logo-ge

Engenharia Química

Este engenheiro trabalha com os processos industriais que recorrem a transformações físico-químicas

Este engenheiro trabalha com os processos industriais que recorrem a transformações físico-químicas. Ele cria técnicas de extração ou obtenção de matérias-primas e faz sua transformação em produtos químicos e petroquímicos, como tintas, plásticos, têxteis, papel e celulose.

Desenvolve produtos e equipamentos, além de pesquisar tecnologias e processos mais eficientes e menos agressivos ao ambiente. Projeta e dirige a construção e a montagem de fábricas, usinas e estações de tratamento de rejeitos industriais.

Pode, ainda, atuar em universidades, institutos de pesquisa ou empresas, dedicando–se à pesquisa, em empresas de consultoria e em órgãos de regulação ambiental. Pode ingressar na carreira com uma formação de tecnólogo.

Veja também

Dúvida do vestibulando

QUAL A DIFERENÇA ENTRE QUÍMICA E ENGENHARIA QUÍMICA?

Os dois profssionais têm diferentes campos de atuação. O bacharel em Química trabalha, fundamentalmente, em laboratórios, fazendo análises químicas, desenvolvendo materiais e propondo novos processos para obter produtos químicos.

O engenheiro químico também se ocupa de processos químicos, mas em escala industrial – ou seja, ele trabalha na indústria, dimensionando equipamentos e definindo as etapas do processo de fabricação.

Para realizar atividades tão distintas, o curso de Química tem um foco maior em disciplinas ligadas às ciências puras, enquanto a Engenharia trabalha mais com a aplicação dessa ciência no dia a dia de uma indústria.

 

O que você pode fazer

Desenvolvimento Criar e aprimorar produtos na indústria química, petroquímica e de alimentos e analisar sua viabilidade técnica e econômica. Aperfeiçoar o processo e a tecnologia de fabricação ou beneficiamento.

Meio ambiente Definir normas e métodos de preservação ambiental em toda a cadeia produtiva. Reciclar e tratar resíduos industriais. Desenvolver tecnologias limpas.

Processo industrial Planejar e supervisionar operações industriais, administrando as equipes e etapas da produção. Estudar e implantar métodos para aumentar a produtividade, reduzir custos e garantir a segurança no trabalho.

Projetos Projetar fábricas, determinar processos de produção, instalações e equipamentos, procedimentos de segurança e a logística de estocagem e movimentação de materiais.

Mercado de Trabalho

O leque de atuação do profissional é amplo e o coloca entre os mais requisitados dos engenheiros. A maior demanda vem da indústria de polímeros, de tintas e vernizes, de alimentos, de combustíveis e farmacêutica e de cosméticos. Deve aumentar a procura pelo setor agroindustrial, onde o engenheiro trabalha com a produção de fertilizantes e defensivos, assim como na indústria de papel e celulose, onde pesquisa e desenvolve processos de produção e métodos para tratar os resíduos industriais.

Na área ambiental, as maiores oportunidades estão no tratamento de resíduos, no reaproveitamento de matérias-primas e na geração de energia de fontes renováveis. A crise hídrica vista nos últimos anos em vários estados do Sudeste aumentou a demanda pelo graduado, requisitado para promover o aumento da eficiência da gestão da água em indústrias. O estado de São Paulo concentra mais da metade das fábricas de produtos químicos, portanto, tem o mercado mais aquecido.

O crescimento da produção mineral e a construção do estaleiro Enseada do Paraguaçu, na Bahia, abrem perspectivas na Região Nordeste. Ainda na Bahia, há demanda no Polo Industrial de Camaçari, que tem mais de 90 empresas químicas, petroquímicas, de celulose e de fertilizantes. Existem oportunidades também no Centro Industrial de Aratu (CIA), na região metropolitana de Salvador.

Curso

Física, matemática e, principalmente, química, estão presentes em todo o curso. Os recentes avanços da biotecnologia fazem com que disciplinas relacionadas às Ciências Biológicas sejam aos poucos incorporadas ao currículo.

A partir do terceiro ano, o conhecimento adquirido nessas disciplinas passa a ser aplicado a processos físico-químicos, nos quais o aluno aprende a identificar as reações, a analisar e a purificar compostos químicos e a projetar equipamentos associados às diversas transformações que ocorrem na indústria química.

As aulas em laboratório ocupam boa parte da carga horária. O estágio e o trabalho de conclusão de curso são obrigatórios.

Atenção: a Furg, em Santo Antônio da Patrulha (RS), oferece o curso de Engenharia Agroindustrial Agroquímica, que forma o profissional que vai atuar na indústria química ligada à agroindústria (fertilizantes, papel, celulose, resinas, biocombustíveis etc.). A FTC, em Salvador (BA), tem ênfase em petróleo e gás.

Duração média: 5 anos.

Outro nome: Eng. Agroind. Agroquímica.

 

Legenda:

Estrelas da Avaliação do Guia do Estudante

★★★★★ - Excelente

★★★★ – Muito bom

★★★ - Bom

CPC – Conceito Preliminar de Curso ① ② ③ ④ ⑤ 

O CPC é o indicador do Ministério da Educação que mede a qualidade dos cursos. Ele varia de 1 (menor valor) a 5 (maior valor). Ele está informado na ficha do curso para todas as graduações que tinham esse indicador disponível (fonte: site do Inep, anos 2014, 2013 e 2012). 

Cifrões – Referem-se às faixas de preço da mensalidade:

$ - Até 500,00 reais

$$ - De 500,01 a 750,00 reais

$$$ - De 750,01 reais a 1.000,00 reais

$$$$ - De 1.000,01 a 1.500,00 reais

$$$$$ - Acima de 1.500,01 reais

n/i - Valor não informado