Clique e assine GE Play por R$16,90

Filosofia

O filósofo investiga e questiona a essência e a natureza do universo, do homem e de fatos

Por Redação - Atualizado em 18 Maio 2020, 14h38 - Publicado em 26 Maio 2012, 15h04
GE/Guia do Estudante

O filósofo investiga e questiona a essência e a natureza do universo, do homem e de fatos, por meio de análise, reflexão e crítica. Este bacharel estuda as grandes correntes do pensamento e a obra dos principais filósofos.

Ele reflete sobre questões éticas, morais, políticas, metafísicas e epistemológicas, além de buscar compreensão teórica de conceitos, como os de espaço, o tempo e a verdade.

Pode fazer pesquisas e prestar consultoria para instituições científicas, artísticas ou culturais. E é habilitado a implantar projetos educacionais em escolas e empresas.

O que você pode fazer

Crítica: analisar obras artísticas e escrever artigos sobre elas. Analisar a sociedade, sua evolução e questões éticas, culturais e políticas.

Ensino: lecionar em escolas de Ensino Médio, com licenciatura. Para dedicar-se ao Ensino Superior, é preciso ter uma pós-graduação.

Pesquisa: desenvolver estudos acadêmicos sobre diversos temas nas áreas de lógica, filosofia da ciência, ética, estética, filosofia da arte ou da política, entre outros.

Mercado de Trabalho

A obrigatoriedade da disciplina no ensino Médio desde 2008, em todas as escolas particulares e públicas, ajudou a expandir o mercado para o licenciado em Filosofia em todo o país.

Esse quadro, no entanto, pode mudar com a aprovação este ano da reforma do ensino Médio, que modifica a estrutura curricular desse nível de ensino.

Dez anos depois, em 2018, foi aprovada a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), mais conhecida como reforma do Ensino Médio. Segundo ela, as únicas disciplinas obrigatórias durante todo o Ensino Médio são português e matemática - as outras matérias estão dentro das “competências” estabelecidas pelo Ministério da Educação e podem aparecer em qualquer série do Ensino Médio. 

A filosofia continua ali: ela compõe a competência Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, ao lado de história, geografia e sociologia. Portanto, ensinar filosofia em escolas continua sendo um caminho possível!

Outra trajetória muito procurada pelos formados em filosofia é a carreira acadêmica - tanto em pesquisa quanto em docência em universidades. E vale lembrar que não é preciso ficar preso só a aulas de cursos específicos de Filosofia, pois outras graduações também têm essa disciplina nas grades curriculares, como Jornalismo, Administração, Direito, Ciências Sociais e até Medicina.

Nas duas últimas décadas, multiplicaram-se também os cursos de extensão e especialização em Filosofia para profissionais das mais diversas áreas. Mas o campo de atuação se amplia para além da docência.

Com domínio de línguas estrangeiras, por exemplo, o bacharel em Filosofia pode concorrer a bolsas de pesquisa em universidades ou trabalhar no ramo de tradução de obras clássicas.

A formação em Filosofia pode ser o diferencial competitivo em carreiras como as de jurista, psicólogo, neurocientista e linguista.

Graduados em Filosofia são requisitados para atuar em grupos interdisciplinares de pesquisa em ciências cognitivas e neurociências, bem como no campo da bioética – que estuda as questões éticas surgidas, principalmente, do avanço das ciências biológicas e médicas.

Em ONGs, eles são procurados para atuar, com profissionais de outras áreas, na implantação de projetos que visem à transformação da realidade social de determinados grupos da sociedade.

O filósofo também é solicitado para proferir palestras em empresas sobre transformações da realidade, motivação, sentido para a existência no trabalho e relação entre família e trabalho.

Os bacharéis também encontram trabalho em instituições culturais do governo ou naquelas mantidas por ONGs e pela iniciativa privada. A demanda pelo filósofo é grande no país, especialmente fora das capitais.

Como as áreas de atuação em filosofia são muito diversificadas, a faixa salarial também costuma variar. Mas o salário médio do filósofo costuma girar em torno de R$ 2.800 mensais.

Curso

Prepare-se para ler e escrever muitas dissertações e monografias, além de participar de seminários e palestras. É preciso mergulhar de cabeça em obras de mestres como Platão, Aristóteles, Kant e Hegel, entre outros grandes filósofos da história.

No primeiro ano, a grade curricular é fundamentada em matérias básicas, nas quais você estuda introdução à filosofia e filosofia geral. No decorrer do curso, entram as matérias temáticas, como história da filosofia, lógica, teoria do conhecimento, filosofia da ciência e da linguagem e filosofia política.

No caso das licenciaturas, que constituem a maioria dos cursos ofertados no país, o currículo ainda possui disciplinas pedagógicas.

São exigidos trabalho de conclusão de curso e estágio.

Duração média: 4 anos

LEITURA INDICADA:

Convite à Filosofia, de Marilena Chauí

50 Ideias da Filosofia que Você Precisa Conhecer, de Ben Dupre

Quando Nietzche Chorou, de Irvin D. Yalom

Legenda:

Estrelas da Avaliação do Guia do Estudante

★★★★★ - Excelente

★★★★ – Muito bom

★★★ - Bom

CPC – Conceito Preliminar de Curso ① ② ③ ④ ⑤ 

O CPC é o indicador do Ministério da Educação que mede a qualidade dos cursos. Ele varia de 1 (menor valor) a 5 (maior valor). Ele está informado na ficha do curso para todas as graduações que tinham esse indicador disponível (fonte: site do Inep, anos 2014, 2013 e 2012). 

Cifrões – Referem-se às faixas de preço da mensalidade:

$ - Até 500,00 reais

$$ - De 500,01 a 750,00 reais

$$$ - De 750,01 reais a 1.000,00 reais

$$$$ - De 1.000,01 a 1.500,00 reais

$$$$$ - Acima de 1.500,01 reais

n/i - Valor não informado

Você também pode se interessar por:

Publicidade