Clique e assine GE Play por R$16,90

Posso usar metáforas na redação do Enem?

Será que esse recurso pode te ajudar ou atrapalhar na hora da prova?

Por Redação - Atualizado em 7 abr 2020, 15h55 - Publicado em 6 abr 2020, 18h11

A redação é uma das partes mais temidas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Além de treinar muito, ter um bom repertório e conhecer bem o que a banca espera do candidato pode fazer toda diferença. 

Por isso, é importante saber quais os melhores recursos a serem usados e quais os mais adequados para o exame. E, nesse caso, será que vale a pena usar uma figura de linguagem, como a metáfora?

“A dissertação é por natureza um texto de caráter objetivo, que deve ter clareza. Ao usar um recurso como esse você já parte para um processo de subjetivação. Não é proibido, mas também não é comum. É mais fácil encontrar textos nota 1000 que sejam objetivos e não se utilizam desses recursos como a metáfora”, explica Thiago Braga, professor e autor do Sistema de Ensino pH.

Cuidados que você precisa tomar

“O maior erro é não ser entendido, não se fazer claro, e esse erro em uma redação que é utilizada como parâmetro para entrada em uma universidade é perigosíssimo”, diz Thiago. “É necessário que o candidato não deixe informações subentendidas ou pressupostas em seu texto, o que prejudicaria não só na coesão e coerência dos dados, mas também no objetivo final, que é a análise e resolução do problema”, explica Andréia Silveira Tavares, professora de redação do Maximize, de São Paulo. 

Para isso, a orientação da professora é não só fazer um bom projeto de texto, que garanta a organização dos dados, da construção e estrutura lógica da análise, presente ao longo de toda a redação, mas também a leitura e correção do texto feita pelo próprio candidato. Tais cuidados podem contribuir para a garantia de um melhor desempenho na prova.

Thiago também faz um alerta: cuidado para não soar clichê ao usar uma metáfora muito óbvia que pode prejudicar a avaliação do texto. Ele explica que o candidato pode achar que está oferecendo uma grande ideia, mas para o leitor, que é uma pessoa mais madura e com uma carga de leituras maior, aquilo pode soar bobo, fraco ou de pouco acréscimo ao texto.

Como decidir se vai ou não usar uma metáfora?

Segundo Andréia, contanto que não prejudique ou dificulte a leitura e interpretação do texto, o candidato pode fazer uso de expressões metafóricas. Em primeiro lugar, avalie se tal expressão é de fato necessária, se enriquecerá seu texto e se ela será compreendida, ou produzirá equívocos e, consequentemente, incoerência do texto.

Uma dica da especialista é reforçar a ideia com o uso de uma paráfrase, ou seja, repetir a afirmação de modo a explicá-la com outras palavras, para garantir a compreensão do que foi dito.

Prepare-se para o Enem sem sair de casa. Assine o Curso Enem do GUIA DO ESTUDANTE e tenha acesso a centenas de videoaulas com professores do Poliedro.

Continua após a publicidade
Publicidade