Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

Enem digital: 5 pontos de atenção que você precisa saber

Confira como funciona, obrigatoriedade, lugares de aplicação, questões, vantagens e desvantagens da versão digital do exame

Por Julia Di Spagna Atualizado em 18 nov 2021, 10h29 - Publicado em 9 dez 2020, 11h46

A prova digital do Enem foi pensada para informatizar os processos e diminuir as chances de fraudes ou erros nas correções, segundo o  Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Além disso, com as provas digitais, há menos custos com papel e mão de obra para a impressão. Segundo o Inep, outro beneficio seria deixar o Enem mais moderno, com conteúdos interativos e diferenciados das provas físicas.

Em 2019, o Ministério da Educação (MEC) divulgou o lançamento do Enem digital, mas o Enem digital 2020 foi aplicado apenas em janeiro de 2021, ainda em formato básico, sem interatividade. Mesmo diante das dificuldades da pandemia de coronoavírus e as dúvidas sobre o que é Enem digital, 93 mil candidatos se inscreveram para a modalidade da prova. De acordo com o MEC, a ideia é tornar o Enem totalmente digital até 2026. 

O Enem digital 2021 será realizado em dois domingos sequenciais, 21 e 28 de novembro — as mesmas datas da versão impressa do exame.

Segundo o edital, a prova de redação será realizada em formato impresso, nos mesmos moldes de aplicação e correção da prova em papel. Os candidatos receberão folhas de rascunho nos dois dias do exame.

Adriano Guimarães, especialista em educação e CEO da Prova Fácil, diz que por mais que o Enem, em formato digital, seja a mesma prova aplicada em anos anteriores, do ponto de vista de conteúdo e da quantidade de questões a simples transição do ambiente analógico para o digital faz com que alguns estudantes estranhem o novo formato.

Ana Paula Dibbern, coordenadora do Cursinho Maximize, explica: “Para fazer o exame digital, é preciso ter bastante familiaridade com o uso dos computadores. Não se trata apenas de saber usar, mas de gostar, de ter a preferência pelo ambiente digital. Pense no seguinte: você prefere ler um livro em papel ou no computador? Você está acostumado a responder questões nesse formato? E simulados? Eu não recomendo que um aluno opte pelo Enem digital se ele não tiver feito alguns simulados digitais ao longo do ano”, diz. 

++ Enem digital: como esse formato funciona em outros países

Para evitar que você fique confuso com as novidades, GUIA consultou especialistas para explicar 5 pontos de atenção sobre o Enem Digital: como funciona, obrigatoriedade, lugares de aplicação, questões, vantagens x desvantagens. Confira abaixo:

1 – Como funciona

O Enem digital apresenta questões referentes aos quatro campos do conhecimento, assim como a prova impressa tradicional do exame. São eles:

1 – Ciências da Natureza: Biologia, Química e Física;

2 – Ciências Humanas: História, Geografia, Filosofia e Sociologia;

3 – Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: Português, Literatura, Língua Estrangeira, Artes, Educação Física e Tecnologias da Informação e Comunicação;

Continua após a publicidade

4 – Matemática e suas tecnologias.

2 – Não é obrigatório, por enquanto

É importante saber que a participação no Enem digital não é obrigatória. Ou seja, pelo menos por enquanto, o estudante que não se sentir à vontade com o modelo digital pode simplesmente optar pela versão tradicional.

Já a partir de 2026, pretende-se disponibilizar o Enem apenas no formato digital, com várias aplicações por ano. Se isso acontecer, o estudante poderá fazer várias provas ao longo do ano e utilizar a sua melhor nota para os sistemas de seleção das universidades.

3 – A prova será realizada em lugares específicos

A prova digital não é realizada na casa dos participantes, mas em salas de computação de escolas e universidades. O ambiente é controlado e não há vantagem de tempo ou acesso à internet.

4 – Questões 

No Enem digital 2021, o tema da redação e as 45 questões de cada área do conhecimento serão iguais as questões e o tema de redação da versão impressa.

“É comum ouvirmos a pergunta sobre as questões da prova: afinal, serão as mesmas da versão impressa? Na edição 2020, as questões foram diferentes, mas tiveram o mesmo nível de dificuldade da prova impressa”, explica Ana Paula.

Além disso, a metodologia de cálculo da nota do Enem (Teoria de Resposta ao Item – TRI) permite que provas diferentes se tornem comparáveis. Assim, independentemente de qual conjunto de questões o aluno resolver (o da prova impressa ou o da prova digital), o exame conseguirá identificar a sua capacidade com precisão.

5 – Vantagem X desvantagem

Uma das dificuldades do Enem tradicional é a demora para a divulgação dos resultados, que leva quase dois meses, porque as provas precisam ser processadas. Para isso, elas são encaminhadas a um local de processamento e necessitam de duas ou três checagens.

“Nesse modelo analógico, problemas como o que vimos na aplicação do Enem, em 2019, podem acontecer, como no processamento das folhas de resposta. Com o Enem Digital, no entanto, essa é uma dificuldade que não aconteceria”, diz Adriano. Ou seja, uma vantagem é que com o Enem digital o resultado das questões objetivas da prova, exceto a nota de redação, pode ser imediato ou mais rápido. No entanto, essa maior agilidade para a divulgação da nota ainda não aconteceu no Enem 2020. 

Já a desvantagem em relação ao Enem tradicional é que é preciso de uma infraestrutura que funcione. A aplicação de uma prova online exige ambientes com bons computadores. “Realizar um exame como o Enem é algo que gera tensão em qualquer estudante e ele não pode ser surpreendido ou ter sua ansiedade aumentada por causa de problemas de infraestrutura ou qualquer outra instabilidade”, diz o especialista. 

Prepare-se para o Enem sem sair de casa. Assine o Curso Enem do GUIA DO ESTUDANTE e tenha acesso a centenas de videoaulas com professores do Poliedro, que é recordista em aprovações na Medicina da USP Pinheiros.

Continua após a publicidade

Publicidade