Clique e assine GE Play por R$16,90

Com a pandemia, como será o vestibular das principais particulares?

Universidades particulares tradicionais apostam ainda mais em vestibulares online e no uso das notas do Enem para o ingresso

Por Juliana Morales - 23 jun 2020, 16h29

A mesma pandemia que impossibilitou aulas presenciais tem afetado os calendários dos vestibulares das instituições de Ensino Superior. Após diversas discussões, o Enem 2020 foi adiado. E as principais universidades públicas esperam a nova data do exame para definir novos cronogramas.

As universidades particulares também estão em busca de saídas, ainda mais que muitas realizam vestibulares para alunos ingressarem já no segundo semestre de 2020. Conciliar as medidas preventivas nos locais de provas é um enorme desafio. Distância entre carteiras, menos alunos por sala, e, consequentemente, a necessidade de muito mais salas disponíveis. Tudo acaba se tornando mais complicado, à medida que número de infectados e mortos só aumenta no país.

A resolução, para algumas dessas universidades, foi o uso da nota das provas anteriores do Enem para o ingresso neste ano. Tal prática já era usada por algumas instituições como opção de avaliação, mas em outras foi total novidade. É o caso da PUC-SP, que, pela primeira vez, terá como forma de acesso, exclusivamente, o desempenho do aluno no Exame Nacional do Ensino Médio.

Os interessados no seletivo de inverno da instituição devem realizar a inscrição no site até o dia 24 de junho. A taxa de inscrição é de R$ 30, valor bem inferior ao das edições anteriores, que giravam em torno de R$ 140. No formulário a ser preenchido, o candidato deve indicar o Boletim Individual de Resultado do Enem 2018 ou 2019. Ele poderá optar por usar a edição em que tirou a melhor nota. O candidato será classificado pela ordem decrescente de pontuação média do Enem, observando o limite mínimo de 450 pontos. Serão desclassificados os candidatos que obtiveram nota inferior a 500 pontos na redação do exame.

Outras PUCs seguem caminhos bem parecidos. A PUC-Rio, por exemplo, também usará os resultados obtidos no Enem dos anos 2019, 2018 ou 2017, além de resultados de um dos seguintes exames internacionais: Abitur ou IB (International Baccalaureate Diploma Programme). A PUC-RS dá como alternativa para os estudantes que não têm nota do Enem entre 2011 e 2019 ingressar por meio de uma prova de redação agendada. Já a PUC-Campinas aceitará como forma de acesso a nota do Enem em uma das edições feitas desde 2013 e a outra modalidade se dará por meio de uma carta de apresentação elaborada pelo próprio candidato.

Mais opções

O processo seletivo 2020/2 da Universidade Presbiteriana Mackenzie também não será realizado de forma presencial. A entrada no próximo semestre ocorrerá por meio de três modalidades distintas: uso da nota do Enem, da nota do vestibular anterior ou por uma prova online.

A universidade vai enquadrar o aluno automaticamente na seguinte ordem:

a) Nota do Enem (dos anos 2019, 2018 e 2017). Caso tenha feito mais de um exame nesses anos, contará a nota do mais recente;

b) Se o aluno não tem nenhuma nota de Enem, vale a nota do vestibular Mackenzie 2º sem/2019 ou 1º sem/2020;

Continua após a publicidade

c) Se o candidato não tem a nota do Enem nem do processo da universidade, ele realizará uma prova online para acesso a graduação, no dia 20 de julho;

Cada modalidade tem uma distribuição de vagas, informadas no edital. Segundo o documento, o candidato inscrito enquadrado automaticamente em determinada modalidade poderá solicitar alteração para outra, desde que preencha os requisitos exigidos para a nova modalidade, mediante manifestação formal encaminhada, até o dia 1° de julho para o e-mail da instituição.

Vestibulares online

Antes do coronavírus chegar e abalar a educação como fez, o Amigo Edu, canal de educação, finanças e captação digital, já estava trabalhando no desenvolvimento de uma nova solução, o Vestibular e Admissão Digital. “Pensamos em um primeiro momento na praticidade, comodidade e sustentabilidade de todo esse processo. Observamos as desistências do processos seletivos tradicionais e vimos o EAD ganhando força”, explica José Roberto Dantas, fundador e CEO da plataforma.

Com a chegada da pandemia, o processo para o lançamento foi acelerado. Já que as universidades iriam fechar e a solução do Amigo Edu possibilita realizar todo o processo, desde a inscrição, passando pela prova, até a efetivação da matrícula, em um ambiente 100% virtual, sem sair de casa. Desde então, 26 universidades aderiram à ferramenta, entre elas FMU, Anhembi Morumbi, Centro Universitário Ritter dos Reis, Faculdade Internacional da Paraíba, Centro Universitário IBMR Barra, Universidade Potiguar, Faculdade Guararapes, Faculdade Salvador, São Judas, Una e Belas Artes. 

O processo online pode ser totalmente customizado, de acordo com as características de cada instituição. Nas avaliações compostas por questões de múltipla escolha e redação, após a realização, em apenas 5 minutos, é possível saber se o aluno foi pré-aprovado ou não. Tudo por meio de inteligência artificial. Em 24 horas, o resultado final é divulgado, após passar por uma banca de professores da plataforma, que corrige a redação.

Dantas conta que o maior desafio de pensar em um vestibular de forma remota é a segurança digital, para garantir a idoneidade do processo. Entre os recursos antifraude desenvolvidos estão a análise dos documentos enviados pelo estudante, reconhecimento facial de imagens capturadas pela webcam, gravação da interação do usuário com a plataforma e análise de plágio. “A pandemia acelerou algo que já iria acontecer na educação e o vestibular digital está inserido nesse processo de antecipação de uma nova relação de consumo por parte dos alunos”, acredita Dantas.

Novas maneiras

Além do ingresso pela nota do Enem, a ESPM, com campi em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre, anunciou um novo formato para o processo seletivo do segundo semestre deste ano. De forma digital, a avaliação dará prioridade a competências interpessoais. 

Até 2 de julho, os candidatos devem agendar pelo site da instituição uma entrevista individual, que terá duração de 30 minutos e será realizada pelo aplicativo Zoom. As entrevistas serão feitas por professores do curso escolhido pelo candidato e abordarão temas como propósito de vida, autonomia, criatividade, tecnologia, ética e responsabilidade. A intenção é avaliar as capacidades de planejamento, comunicação oral e solução de problemas.

A segunda etapa é uma redação online, no dia 5 de julho, por meio de uma plataforma que será disponibilizada pela ESPM. O candidato também deverá gravar um vídeo de, no máximo, 3 minutos, explicando o raciocínio desenvolvido na redação. O resultado será divulgado no dia 10 de julho, para todas as unidades. A segunda chamada está prevista para o dia 16 de julho.

Continua após a publicidade
Publicidade