Clique e assine GE Play por R$16,90

Efeito da pandemia: Fatecs e Etecs trocam vestibular por histórico escolar

Medida vale para o processo seletivo de meio de ano

Por Taís Ilhéu - Atualizado em 1 jul 2020, 16h32 - Publicado em 1 jul 2020, 14h44

O Centro Paula Souza, responsável pela gestão das Fatecs e das Etecs do estado de São Paulo, anunciou nesta terça (30) que o processo seletivo para ingresso nessas instituições se dará de forma bastante diferente no próximo semestre, tudo em função da pandemia do novo coronavírus. Em vez de provas, nesta edição os candidatos passarão por uma análise do histórico escolar do Ensino Médio, no caso das Fatecs, e do Ensino Fundamental, no caso das Etecs.

Com o anúncio, elas se tornam as primeiras instituições públicas de São Paulo a oficializar mudanças na forma de ingresso para o meio do ano. Até agora, só as faculdades e universidades particulares haviam divulgado como seriam seus vestibulares – a maioria delas utilizando notas de edições anteriores do Enem ou por meio de avaliações online, como entrevistas, provas e cartas de apresentação. 

Vantagens e desvantagens da análise do histórico

Apesar da análise de histórico escolar ser muito mais conhecida e aplicada em universidades estrangeiras (que a aliam ainda a outros procedimentos como entrevista e carta de intenção), instituições públicas e privadas brasileiras já vinham testando o modelo. É o caso da Unisul e dos Institutos Federais do Sergipe (IFS), do Piauí (IFPI), de Santa Catarina (IFC) e do Acre (IFAC), que já selecionavam estudantes dessa maneira desde 2016. 

Em nota no site do IFS, a pedagoga Deise de Assis, que trabalho no campus Aracaju da instituição, explicou que além da redução de custos – o que permitiu a gratuidade do vestibular para os estudantes – a avaliação do histórico apresenta ainda duas vantagens em relação à prova. A primeira é que se faz uma análise global do aprendizado do candidato, avaliando seu desempenho durante um longo período de tempo e não apenas em um dia (já que na data da prova diversos fatores podem levar a uma nota menor, como o nervosismo). 

Além disso, para ela o modelo também amplia a possibilidade de incluir candidatos de todas as redes de ensino, considerando, por exemplo, as particularidades de um aluno que venha de escolas públicas. “Ao analisar o histórico, nós temos a chance de observar o tipo de aluno que o candidato foi na sua escola e selecioná-lo por isso”, afirma. 

Ainda assim, é válido ponderar que os candidatos que se inscreverão no vestibular das Fatecs e Etecs de São Paulo agora não tiveram a chance de se preparar para esse tipo de seleção – e nem terão outras opções de ingresso como tiveram os alunos dos Institutos Federais enquanto testavam o modelo.

As inscrições para a seleção das Fatecs vai de 8 a 22 de julho, no site da instituição. Já os estudantes que querem tentar uma vaga em uma das Etecs deverão se inscrever entre 7 e 21 de julho no site do Vestibulinho.

Continua após a publicidade
Publicidade