Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

Sisu: vale a pena a ampla concorrência, mesmo tendo direito a cotas?

É preciso estudar caso a caso, levando em consideração a nota de corte e o número de vagas. Explicamos os cenários e as estratégias

Por Juliana Morales 28 jun 2022, 20h39

Durante o período de inscrições para o Sisu 2022/2, que vai até o dia 1 de julho, o candidato, além de selecionar uma ou duas opções de curso, deverá indicar qual é a modalidade de concorrência (ampla concorrência ou cotas) em que se encaixa. No entanto, mesmo os participantes que têm direito a concorrer pelas ações afirmativas podem optar pela ampla concorrência como estratégia.

Neste texto, vamos mostrar os cenários possíveis e como analisar o melhor caminho ao pleitear uma vaga.

Ampla concorrência ou cota: existe uma única saída?

Quando o assunto é Sisu, existem muitas variáveis em jogo. Não é possível afirmar, generalizando, se as chances de conseguir a vaga são maiores na ampla concorrência ou pelo sistema de cotas: depende muito do curso e da universidade. O mais aconselhado é estudar caso a caso, levando em consideração a nota de corte e o número de vagas.

A quantidade de vagas é algo que conta a favor da modalide de ampla concorrência. Nesta edição, por exemplo, a Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) oferece 50 vagas para o curso de Direito: 25 delas são para ampla concorrência, enquanto os candidatos que concorrem pela modalidade PPI (pretos pardos e indígenas) de baixa renda competem entre si por apenas 6 vagas.

Por outro lado, as notas de corte na ampla concorrência quase sempre são mais altas do que as notas das modalidades de cotas.

Mas atenção: nós dissemos quase sempre. Também acontece das notas de corte da modalidade de cotas se tornarem muito competitivas e próximas às de ampla concorrência ou até maiores. É por conta de situações como essa, inclusive, que a Fuvest anunciou recentemente mudanças na classificação a partir de 2023 para corrigir distorções e ampliar as possibilidades dos cotistas.

Por fim, um outro fator que precisa entrar na balança é a lista de espera. Uma vez que na modalidade de ampla concorrência são ofertadas mais vagas do que nas outras, as listas de espera também tendem a ‘rodar’ mais. Caso a nota do candidato esteja abaixo do corte em ambas as modalidades, vale consultar as listas de espera daquele curso em edições anteriores do Sisu e verificar em qual modalidade ocorreram mais desistências. A resposta pode estar aí.

Continua após a publicidade

Tenha estratégia

Vale lembrar que, durante os dias de inscrições, os candidatos podem modificar suas opções quantas vezes quiserem. O sistema irá considerar a última opção preenchida. Além disso, uma vez por dia, o Sisu calcula a nota de corte para cada curso com base no número de vagas disponíveis e no total dos candidatos inscritos naquele curso, por modalidade de concorrência. O candidato também pode consultar, em seu boletim, a sua classificação parcial na opção de curso escolhido.

A dica para quem está na dúvida entre ampla concorrência e cotas é, a partir desses recursos, fazer um acompanhamento diário, analisando em qual situação citada acima se encaixa o curso e instituição desejada. Verifique: qual nota de corte está maior? E o número de vagas? Em qual das modalidades me aproximo mais da nota de corte? Assim será possível analisar estrategicamente e optar pelo melhor caminho.

Cotas no Sisu

Todas as instituições de Ensino Superior participantes do Sisu terão, no mínimo, 50% de suas vagas reservadas para estudantes que cursaram o Ensino Médio em escolas públicas, seguindo as regras da Lei de Cotas, instituída em 2012. Essas vagas serão ainda divididas em outras modalidades: metade delas será destinada para estudantes de baixa renda (1,5 salário mínimo) e uma parte será destinada a candidatos que se autodeclaram pretos, pardos e indígenas. Uma parcela das vagas também é reservada a pessoas com deficiência.

Há instituições participantes do Sisu que disponibilizam, ainda, uma parte de suas vagas para políticas afirmativas próprias. Assim, em determinados cursos, pode haver três modalidades de concorrência: vagas de ampla concorrência, vagas reservadas de acordo com a Lei de Cotas e vagas destinadas às demais ações afirmativas da instituição. O candidato deverá, no momento da inscrição, optar por uma destas modalidades, de acordo com seu perfil.

Dessa forma, durante as duas chamadas do Sisu, o candidato que optar por uma determinada modalidade de concorrência estará concorrendo apenas com os candidatos que tenham feito essa mesma opção, e o sistema selecionará, dentre eles, os que possuírem as melhores notas no Enem.

É de responsabilidade do candidato se certificar de que atende os requisitos exigidos para concorrer a uma vaga destinada a política afirmativa e se possui os documentos que serão exigidos pela instituição de ensino no momento da matrícula, em caso de aprovação. A documentação necessária será informada pelo sistema, juntamente com os demais documentos exigidos para matrícula, quando o candidato clicar na sua opção de curso.

Prepare-se para o Enem sem sair de casa. Assine o Curso PASSEI! do GUIA DO ESTUDANTE e tenha acesso a todas as provas do Enem para fazer online e mais de 180 videoaulas com professores do Poliedro, recordista de aprovação nas universidades mais concorridas do país. 

Continua após a publicidade

Publicidade