Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

USP estuda aumentar bônus para alunos de escola pública no vestibular

Menos de 30% dos alunos matriculados são da rede pública

Por da redação Atualizado em 16 Maio 2017, 13h52 - Publicado em 23 abr 2013, 17h04

A Universidade de São Paulo (USP) estuda adotar alternativas para ampliar o número de alunos de escola pública na instituição. Uma das ideias é aumentar a bonificação, segundo a Telma Zorn, pró-reitora de Gradução. O anúncio foi feito durante a divulgação das estatísticas referentes ao exame aplicado em 2012. Houve um aumento de apenas 0,5% na quantidade de estudantes matriculados oriundos da rede pública. Com relação ao último levantamento, o número subiu de 28% para 28,5%.

– USP, Unesp, Unicamp e Fatec poderão ter programa de cotas a partir de 2014

– Programa de cotas das universidades paulistas poderá ter bolsa de um salário mínimo e curso preparatório

– Direito, Medicina e Poli querem cotas na USP, mas recusam plano do governo

No total, apenas 7,7% dos candidatos de escola pública que fizeram o vestibular da Fuvest conseguiram entrar na USP em 2013, bem menos do que em relação ao ano anterior, que teve uma aprovação de 8,36%. A realidade da distribuição de alunos no sistema de ensino é bem diferente no Brasil: 85% dos estudantes estão na rede pública, enquanto esse número não chega nem a 30% na USP.

Continua após a publicidade

A universidade aplica, desde 2006, o Programa de Inclusão Social da USP (Inclusp), válido para alunos que cursaram todo o Ensino Médio em escola pública, que concede bônus de até 8% para o vestibulando, dependendo de seu desempenho no vestibular. Aliado ao isso, a universidade também criou o Programa de Avaliação Seriada (Pasusp), que é voltado ao estudante que, além do Ensino Médio, também cursou o Ensino Fundamental na rede pública. Em formato de prova, é aplicado no 2º e no 3º ano e pode conceder até 15% de bônus (até 5% no 2º ano e até 10% no 3º).

Telma Zorn avalia que ambos os programas "ainda tem muito espaço para melhorias", inclusive com a possibilidade de ampliar a bonificação do Inclusp. “Hoje em dia, quase todos os cursos da USP têm alunos do Inclusp e do Pasusp. Sabemos que é possível aumentar o bônus sem prejudicar a qualidade dos alunos selecionados”, revela. 

A pró-reitora sugere ainda que a participação em olimpíadas realizadas para alunos do Ensino Médio pode vir a figurar como fator no acesso à universidade. Para Zorn, essa é uma possibilidade de buscar talentos nas escolas.

Quanto à adoção de cotas pela USP, a pró-reitora disse que o assunto começará a ser discutido ainda. O Programa de Inclusão com Mérito no Ensino Público Paulista (Pimesp) é um projeto do governo do estado de São Paulo para ampliar o número de alunos nas instituições paulistas de ensino superior, anunciado em dezembro de 2012, mas ainda sem data prevista para execução.

LEIA MAIS

– Notícias de vestibular e Enem

Continua após a publicidade
Publicidade