Guia do Estudante

Nova proposta de redação: violência contra as mulheres

Ana Prado | 14/04/2014

A proposta desta semana foi tirada da prova de redação do vestibular 2014 da Universidade Federal de Roraima (UFRR).

redacao-1redacao-2

A partir dessas informações, elabore um texto dissertativo-argumentativo, discutindo as formas de violência contra as mulheres.

 

INSTRUÇÕES:

• Redija seu texto de acordo com a norma culta escrita da língua. Dê um título.

• A redação deve ter entre 7 e 25 linhas.

• Não copie trechos da proposta.

Você pode enviar seu texto até terça-feira, dia 22 de abril, para o e-mail: redacaoguia@gmail.com. Seu texto pode ser enviado em um anexo ou no corpo na mensagem.

Coloque seu nome completo, idade e cidade. Ele poderá ser avaliado e publicado aqui no blog.

Importante: apenas uma redação será corrigida, mas não fique chateado. Lembre-se de que a melhor forma de se preparar para a prova de redação é treinando, certo?

Comentários: nenhuma pessoa comentou

Categoria: Sem categoria

Tags: ,

Compartilhe

Análise da redação para a proposta do Enem 2012

Ana Prado | 07/04/2014

Migrants Seek Asylum In The Spanish Enclave Of Melilla In Northern Africa
Foto: Alexander Koerner/Getty Images

Com base na proposta de redação extraída do Enem 2012 (clique para ver), o estudante deveria escrever um texto dissertativo-argumentativo sobre o tema “O MOVIMENTO IMIGRATÓRIO PARA O BRASIL NO SÉCULO XXI”, apresentando proposta de intervenção que respeitasse os direitos humanos.

Leia o texto escolhido, com os comentários (em vermelho) da professora de redação da Oficina do Estudante, Ednir Barboza:

Imigração: a busca por uma vida melhor

Desde a sua descoberta, em 1500, o Brasil sempre foi uma terra disputada. No século XXI a disputa não caracterizou-se (não se caracterizou) pela ganância de riqueza e sim de imigrantes (pela chegada de imigrantes ) em busca de melhores condições de vida.

Dentre os inúmeros motivos que levaram e levam esses imigrantes virem para o Brasil, é incontestável que as condições humanitárias e infraestrutura de seus países lhes obrigam a procurarem um lugar melhor. Por outro lado, nem sempre o “lugar melhor” está preparado para receber tais imigrantes.

Atualmente (Trocar por “recentemente”), observa-se que houve um aumento no número de imigrantes vindos principalmente do Haiti.[Faltou justificar] Porém, o que se percebe é que o Brasil não tem infraestrutura e tampouco condições sociais para receber tais pessoas [justificar]. Ainda convém lembrar que os imigrantes, em sua maioria, têm uma profissão e estão em busca de emprego e melhores condições de vida, não de esmolas como alguns pensam.[analisar esse dado]

Levando-se em conta o que foi observado, a entrada de imigrantes no Brasil não um problema, o problema é a falta de políticas para receber os mesmos [e isso não é problema?] Criar uma carteira para o imigrante, regulamentar seus documentos e haver [disponibilizar] escolas preparadas em ensinar língua portuguesa, ajudará o governo a arrecadar mais dinheiro através de impostos e ter mão de obra à disposição.

Comentários da professora sobre a redação:

1.    A parte de escrita está anotada no próprio texto- foram grifados em amarelo os trechos que deveriam ser melhorados do ponto de vista da linguagem. Entre colchetes e em negrito, comentários do que ficou faltando em relação ao conteúdo.

2.    O texto apresenta algumas ideias interessantes e pertinentes:

a)    o Brasil sempre foi alvo do interesse imigratório (1ºparágrafo). Entretanto houve um salto muito grande entre as duas datas ali mencionadas: 1500 e século XXI . Entre esses períodos, não aconteceu nada? Seria importante elaborar, pois isso justificaria a referência ao interesse dos imigrantes pelo Brasil;

b)    bem lembrado o fato de que os imigrantes vêm em busca de melhores condições de vida (2ºparágrafo). Faltou, entretanto, uma ligação(coesão) desse parágrafo com o anterior. É sempre bom ressaltar que o texto dissertativo deve ser  coeso, interligado, sequencial. Também pertinente a referência de falta de preparo brasileiro para receber imigrantes. Entretanto, essa ideia não teve desenvolvimento. Ficou isolada, sem a complementação que seria apropriada num texto dissertativo;

c)    o 3º parágrafo faz uma referência à coletânea quando aborda os imigrantes do Haiti. Embora a ideia geral sobre essa imigração seja boa, também aqui, não houve desdobramento, com análises dos dados apresentados. Poderia ter sido feita uma contextualização do caso dos haitianos: a tragédia natural que deslocou e desalojou milhares e milhares de pessoas, inclusive profissionais competentes;

d)    no último parágrafo, quando o aluno se propôs a fazer a intervenção, que é exigida pela proposta, faltou mais firmeza na elucidação das medidas que poderiam ser tomadas e a forma (política ou financeira) de se realizar isso. Sugerir que o Brasil poderia se beneficiar da imigração –via impostos ou mão de obra especializada – foi uma ideia interessante que deveria ter sido melhor explorada, até para se justificar as ações mencionadas como forma de acolher e adaptar os imigrantes.

Conclusão: é um texto que poderia ter obtido uma boa nota, se o conteúdo tivesse sido melhor explorado. No entanto, as dificuldades de escrita e a falta de estrutura correta, comprometem a qualidade da redação.

Redação regular.

Comentários: nenhuma pessoa comentou

Categoria: Correção, Enem

Tags: ,

Compartilhe

Nova proposta de redação: analfabetismo e exclusão

Ana Prado | 03/04/2014

A proposta de redação desta semana foi tirada do Processo Seletivo de Verão 2010 da Universidade de Passo Fundo (UPF).

Melbourne Racing

ANALFABETISMO: UMA FORMA DE EXCLUSÃO

Um dos resultados de pesquisa mais chocantes a respeito da educação brasileira foi comunicado em 2007, com a divulgação do Indicador Nacional de Alfabetismo Funcional (Inaf). Entende-se por alfabetismo funcional a capacidade de emprego do conhecimento para o desempenho da cidadania e das atividades cotidianas. Na pesquisa, apenas 28% da população são plenamente alfabetizados. A taxa de analfabetismo absoluto é de 7%, e os níveis rudimentar e básico estão em 25% e 40%, respectivamente. (Afonso Celso Scocuglia, Mundo Jovem, n. 400, set. 2009, p. 10)

Os índices têm melhorado ao longo dos anos, mas ainda estão longe de serem satisfatórios.

**********************************

Com base na leitura do fragmento, produza um texto dissertativo sobre os tipos de exclusão que as pessoas não plenamente alfabetizadas sofrem em seu cotidiano.

 

INSTRUÇÕES:

• Redija seu texto de acordo com a norma culta escrita da língua. Dê um título.

• A redação deve ter entre 7 e 25 linhas.

• Não copie trechos da proposta.

Você pode enviar seu texto até quarta-feira, dia 9 de abril, para o e-mail: redacaoguia@gmail.com. Seu texto pode ser enviado em um anexo ou no corpo na mensagem.

Coloque seu nome completo, idade e cidade. Ele poderá ser avaliado e publicado aqui no blog.

Importante: apenas uma redação será corrigida, mas não fique chateado. Lembre-se de que a melhor forma de se preparar para a prova de redação é treinando, certo?

 

Comentários: nenhuma pessoa comentou

Categoria: Proposta, Sem categoria

Tags:

Compartilhe

Nova proposta de redação: Enem 2012

Ana Prado | 21/03/2014

A proposta desta semana foi tirada da prova de redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2012. Leia as instruções:

caneta

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma padrão da língua portuguesa sobre o tema O MOVIMENTO IMIGRATÓRIO PARA O BRASIL NO SÉCULO XXI, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Ao desembarcar no Brasil, os imigrantes trouxeram muito mais do que o anseio de refazer suas vidas trabalhando nas  lavouras de café e no início da indústria paulista. Nos séculos XIX e XX, os representantes de mais de 70 nacionalidades e etnias chegaram com o sonho de “fazer a América” e acabaram por contribuir expressivamente para a história do país e para a cultura brasileira. Deles, o Brasil herdou sobrenomes, sotaques, costumes, comidas e vestimentas.

A história da migração humana não deve ser encarada como uma questão relacionada exclusivamente ao passado; há a necessidade de tratar sobre deslocamentos mais recentes.
Disponível em: http://www.museudaimigracao.org.br. Acesso em: 19 jul. 2012 (adaptado)

Acre sofre com invasão de imigrantes do Haiti

Nos últimos três dias de 2011, uma leva de 500 haitianos entrou ilegalmente no Brasil pelo Acre, elevando para 1 400 a quantidade de imigrantes daquele país no município de Brasileia (AC). Segundo o secretário-adjunto de Justiça e Direitos Humanos do Acre, José Henrique Corinto, os haitianos ocuparam a praça da cidade. A Defesa Civil do estado enviou galões de água potável e alimentos, mas ainda não providenciou abrigo.

A imigração ocorre porque o Haiti ainda não se recuperou dos estragos causados pelo terremoto de janeiro de 2010. O primeiro grande grupo de haitianos chegou a Brasileia no dia 14 de janeiro de 2011. Desde então, a entrada ilegal continua, mas eles não são expulsos: obtêm visto humanitário e conseguem tirar carteira de trabalho e CPF para morar e trabalhar no Brasil.

Segundo Corinto, ao contrário do que se imagina, não são haitianos miseráveis que buscam o Brasil para viver, mas pessoas da  classe média do Haiti e profissionais qualificados, como engenheiros, professores, advogados, pedreiros, mestres de obras e carpinteiros. Porém, a maioria chega sem dinheiro.

Os brasileiros sempre criticaram a forma como os países europeus tratavam os imigrantes. Agora, chegou a nossa vez – afirma Corinto.

Disponível em: http://www.dpf.gov.br. Acesso em: 19 jul. 2012 (adaptado).

Trilha da Costura

Os imigrantes bolivianos, pelo último censo, são mais de 3 milhões, com população de aproximadamente 9,119 milhões de pessoas. A Bolívia em termos de IDH ocupa a posição de 114º de acordo com os parâmetros estabelecidos pela ONU. O país está no centro da América do Sul e é o mais pobre, sendo 70% da população considerada miserável. Os principais países para onde os bolivianos imigrantes dirigem-se são: Argentina, Brasil, Espanha e Estados Unidos.

Assim sendo, este é o quadro social em que se encontra a maioria da população da Bolívia, estes dados já demonstram que as motivações do fluxo de imigração não são políticas, mas econômicas. Como a maioria da população tem baixa qualificação, os trabalhos artesanais, culturais, de campo e de costura são os de mais fácil acesso.

OLIVEIRA, R.T. Disponível em: http://www.ipea.gov.br. Acesso em: 19 jul. 2012 (adaptado).

 

INSTRUÇÕES:

• O texto não pode ter mais de 20 linhas no Word.

• A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.

• A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.

• A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.

• A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.

Você pode enviar seu texto até quinta-feira, dia 27 de março, para o e-mail: redacaoguia@gmail.com. Coloque seu nome completo, idade e cidade. Ele poderá ser avaliado e publicado aqui no blog.

Importante: apenas uma redação será corrigida, mas não fique chateado. Lembre-se de que a melhor forma de se preparar para a prova de redação é treinando, certo?

 

Comentários: nenhuma pessoa comentou

Categoria: Proposta

Tags: , , ,

Compartilhe

Análise da redação para a proposta do vestibular 2014 da UPE – protestos no Brasil

Ana Prado | 17/03/2014

Protests Against The World Cup Continue In Brazil
(Foto: Victor Moriyama/Getty Images)

Com base na proposta de redação extraída do vestibular 2014 da UPE, o estudante deveria escrever um texto dissertativo/argumentativo sobre as manifestações sociais no Brasil em 2013.

Leia a íntegra do texto escolhido:

Incrivelmente o mundo está tomando um rumo positivo e inesperado com a globalização, a socialização que algumas nações começaram a adotar, inclusive o Estados Unidos da América elegendo uma liderança com vínculos populares com objetivos sociais tanto quanto capitalistas, tomando até o Brasil como exemplo de direcionamento com seus trabalhos sociais; afinal não é possível alcançar objetivos capitalistas sem olhar para a população e suas necessidades…

A primavera árabe também não está longe disso, é um rumo social, inteligente e evolutivo da sociedade moderna.

Aqui no Brasil apesar dos “esforços” do governo de avançar nas suas políticas sociais, acabou esbarrando contra seu grande entrave do progresso, a corrupção! O governo atropelou as necessidades básicas do país investindo capital pesado em um evento internacional que sabemos, retornará pouco para o que se espera em um investimentos desse porte.

O país mergulhado em dificuldades sociais e o governo esbanjando gastos milionários em construções de estádios majestosos. Os protestos e a “deixa” óbvia da FIFA com a vitória da seleção na copa das confederações… Algo até vergonhoso para nossa imagem no exterior, ou será que os estrangeiros não sabem da situação de nosso povo?

A indignação é o sentimento chave que levou a população às ruas… A indignação não se cessa sem a justiça realizada, ela se acumula, se silencia e as vezes desaba sobre os responsáveis como uma represa esgotada pelo peso das águas.

Assim como em todo o mundo, baixas em manifestações dessa magnitude já é algo esperado, a considerar que a baixa tão amplamente divulgada não pareceu homicida mas dissuasiva, que infelizmente teve um resultado negativo, e claro, cabível de punição.

As eleições estão por vir e lá poderemos ver o maior de todos os protestos de uma democracia contra seus governantes, o maior número de abstinências já registradas na história de nosso país, que exclamará no resultado das urnas: “Nenhum de vocês representam os interesses de nosso povo”.

Confira abaixo a análise da professora de redação da Oficina do Estudante, Ednir Barboza:

Esta redação comete alguns equívocos que são perigosos num vestibular. Vou apontá-los abaixo, fazendo comentários sobre cada um deles:

1.       A proposta pede um título. O aluno não o colocou. Isso, com certeza, diminui a nota da redação. As instruções da  proposta devem ser seguidas, na íntegra. Por isso, ela está aí.

2.       O primeiro e o segundo parágrafos abordam um contexto internacional, sem nenhuma referência aos fatos ocorridos no Brasil. São palavras bonitas, mas que não têm significado para o objetivo do texto. Há, inclusive, alguns trechos incompletos de significado. Mistura termos como: globalização, socialização, capitalismo, objetivos sociais, populares… não há muita lógica neste agrupamento de palavras. No 2ºparágrafo, aparece referência à primavera árabe, também sem ligação com o tema e solto no meio do texto. Portanto, os 2 primeiros parágrafos não têm finalidade para a resolução desta proposta. Esta última referência- primavera árabe- poderia aparecer como exemplo de manifestações populares, numa analogia com os movimentos de rua no Brasil, mas não foi assim que aconteceu.

3.       Somente a partir do 3º parágrafo, o aluno se volta para o Brasil. Entretanto, faz menção a alguns fatos sem esclarecer o que são: dos “esforços” do governo, necessidades básicas do país, evento internacional ( Quais? É preciso nomear, esclarecer, citar primeiro, comentar depois.) Da forma como foram colocados, esses fatos não têm vínculo com o texto, não informam o leitor, não levam à reflexão, que é o objetivo da dissertação.

4.       Esse mesmo equívoco aparece no parágrafo seguinte. Há uma série de citações sem contexto, sem prévio esclarecimento.

5.       Quando o texto parece que vai abordar o tema, o aluno usa uma metáfora que poderia ser justificada, mas a ideia continua inconclusa. A palavra indignação que aparece no texto poderia ser o início da argumentação sobre as passeatas, se anteriormente, se tivesse relatado o que levou o povo à indignação. Mas ainda não é por aí que o texto segue.

6.       No penúltimo parágrafo, quando a argumentação deveria estar caminhando para o final, indicando a conclusão, há outra série de palavras bonitas que não “conversam” entre si. “Exemplo: baixas em manifestações dessa magnitude já é algo esperado,” o que são essas baixas? Mortes? Tumultos? Prejuízos? Não se sabe…Outro trecho confuso: “baixa tão amplamente divulgada não pareceu homicida mas dissuasiva,” pergunta-se: por que homicida e dissuasiva? “resultado negativo, e claro, cabível de punição”;  Pergunta-se: qual resultado e qual punição? Tais expressões só têm validade se discutidas, explicadas e analisadas.

7.       Finalmente, na conclusão, um alerta aos políticos-candidatos da próxima eleição. Mas onde eles apareceram no restante do texto? Por que chamá-los à briga aqui no final, onde deveria ficar registrada a conclusão de uma discussão argumentativa e explicativa realizada nos parágrafos anteriores. Esse até poderia ser o final, se anteriormente, tivesse havido alguma referência à política brasileira.

Concluindo: Este não é um texto dissertativo; não tem a estrutura da dissertação nem formal nem ideologicamente. Em nenhum momento, infelizmente, o aluno respondeu à pergunta-tema desta proposta. Portanto, fugiu do tema e do tipo de texto. Observe-se que quase não há deslizes do ponto de vista gramatical (grafia, concordância, etc). Mesmo assim receberia uma nota muito baixa e, do meu ponto de vista, zeraria em tema e tipo de texto.

Segue, apenas como sugestão, um modesto projeto de texto para esta proposta que poderia estruturar-se assim:

1º parágrafo- esclarecer o que foram as manifestações de 2013,  sua amplitude e características, apontando  causas e futuras perspectivas.

2º parágrafo- argumentar sobre as causas dando exemplos e analisando-os;

3º parágrafo- argumentar sobre as possíveis perspectivas que esse movimento pode gerar- dar exemplos e analisá-los ( é sempre bom lembrar que a argumentação, propriamente dita,está na análise que se faz dos fatos e dos dados apresentados);

4º parágrafo- conclusão:- em que se retoma a ideia inicial e a incorpora à síntese da argumentação, fechando a reflexão feita sobre o assunto.

 

Fique ligado: toda semana tem tema novo de redação no blog!

Comentários: nenhuma pessoa comentou

Categoria: Correção

Tags:

Compartilhe

Nova proposta de redação: uso do celular

Ana Prado | 11/03/2014

A proposta desta semana foi tirada da prova de redação do vestibular seriado 2013 da Universidade Federal de Roraima (UFRR).

giphy

Leia o fragmento a seguir e siga as instruções:

Elabore um texto dissertativo-argumentativo apontando benefícios e prejuízos trazidos pelo o uso do celular, além de indicar possibilidade(s) de como transformá-lo em uma ferramenta de trabalho educacional.

texto1 

ORIENTAÇÕES

1. Redija seu texto de acordo com a norma culta escrita da língua. Dê um título.

2. O texto não pode ter mais de 20 linhas no Word.

Você pode enviar seu texto até quarta-feira, dia 19 de março, para o e-mail: redacaoguia@gmail.com. Coloque seu nome completo, idade e cidade. Ele poderá ser avaliado e publicado aqui no blog.

Importante: apenas uma redação será corrigida, mas não fique chateado. Lembre-se de que a melhor forma de se preparar para a prova de redação é treinando, certo?

 

Comentários: nenhuma pessoa comentou

Categoria: Proposta

Tags:

Compartilhe

Análise da redação para a proposta do vestibular 2014 da UFSC

Mariana Nadai | 05/03/2014

Com base na proposta de redação extraída do vestibular 2014 da UFSC, o estudante deveria escrever um texto relatando de que forma um ou mais perfis femininos representados nos excertos desafiam o comportamento masculino na atualidade.

redacao2

Leia a íntegra do texto escolhido:

Foi-se o tempo em que a mulher era tratada segundo os conceitos predefinidos de que deveria zelar por uma reputação de “moça pura”, livre de qualquer desejo carnal, emoções ou sentimentos que pudessem por em contestação sua “dignidade”; atender a seu marido e filhos incondicionalmente; assim como zelar por seu lar e seus dotes femininos.

Como disse Simone de Beauvoir, a mulher torna-se mulher, e com o tempo foi percebendo o seu verdadeiro papel, independente de qualquer aprovação masculina. A partir dessa consciência, já aparentes na personagem Helena, de Machado de Assis; Macabea, de Clarisse Lispector; Gabriela, de Jorge Amado; e tantas outras figuras literárias ou reais, a mulher, então chamada de sexo frágil, colocou em cheque a “ditadura masculina”.

Atualmente as mulheres entendem que podem – e devem – fazer o mesmo que os homens, sem qualquer – ou equivalente – julgamento. Personalidades corajosas e cientes de si vêm desafiando todas as “regras” machistas e ultrapassadas – mas que insistem em continuar “vigorando”-, o que traz um novo confronto na sociedade.

Trabalhar fora, estudar, assumir o comando de empresas – e por que não do próprio lar?!- , ser independente psico e financeiramente, assumir sua autoestima, entre outras inúmeras atitudes, cada vez mais femininas, vem exigindo um novo comportamento do homem, não só com relação a aceitação dessa realidade, como de esforço dos mesmos, para que não sejam eles os fragilizados da historia.

Confira abaixo a análise da professora de redação da Oficina do Estudante, Ednir Barboza:

1. Falta uma ligação entre os 2 primeiros parágrafos. O primeiro trata de listar como a mulher não precisa mais ser. No segundo, há exemplos literários de como ela deve se tornar. Mas não há nenhuma ligação formal entre as duas ideias. (exemplo, um prova disso, aparece em textos de Simone de Beauvoir…)

2. O terceiro parágrafo, aborda a mulher contemporânea- como pode e deve ser- ou seja, igual ao homem. Será que isso é o que almeja a mulher atual? Não há análise sobre esse aspecto, nem um esclarecimento do que seja : “ -fazer o mesmo que os homens, … “

3. No 4º parágrafo, há uma lista de como a mulher deve ser, e uma afirmação : “…vem exigindo um novo comportamento do homem…”. Não aparece, porém, qual seja esse novo comportamento.

Análise do texto como um todo:

Não há unidade na forma de discutir o tema. Cada parágrafo aborda um aspecto do assunto, sem que haja ligação entre eles ou aprofundamento da ideia central, como requer um texto argumentativo.

As ideias estão soltas no texto, ou seja, não aparecem as análises de cada afirmação dada. A dissertação requer dados, fatos e análises; estas últimas constituem a argurmntação, propriamente dita- essencial nesse tipo de texto.

Não há problemas de linguagem, embora faltem os conectores que fariam a interligação do texto. Se a proposta se refere ao comportamento masculino na atualidade, o texto fugiu do tema, pois ateve-se apenas a elencar atitudes femininas, sem preocupar-se com os desafio que isso pode ou deve provocar no sexo masculino.

Texto abaixo da média: de zero a 10 – nota 4,0.

 

Fique ligado: toda semana tem tema novo de redação no blog!

Comentários: nenhuma pessoa comentou

Categoria: Correção

Compartilhe

Nova proposta de redação: protestos no Brasil

Ana Prado | 27/02/2014

A proposta desta semana foi tirada da prova de redação do vestibular 2014 da Universidade de Pernambuco (UPE).

Você deve criar um título e produzir um texto dissertativo/argumentativo com o mínimo de 20 e o máximo de 30 linhas. Antes de desenvolver o tema, leia o fragmento abaixo. Ele pode despertar ideias para desenvolver o seu trabalho.

A recente onda de protestos no Brasil foi desencadeada quando os governos de São Paulo e do Rio de Janeiro decidiram aumentar a passagem de ônibus em R$ 0,20. A população logo se uniu e tomou as ruas para protestar contra o aumento que, segundo os manifestantes, não está ligado ao valor da passagem, que passaria para R$ 3,20, mas sim com o transporte e os serviços públicos caóticos do país. Vídeos e fotos mostraram que a maior parte do movimento era pacífica; com isso, outros brasileiros foram para as ruas e apoiaram os protestos. A população passou a questionar: como assim o país gasta tanto com uma Copa do Mundo e não tem políticas públicas de qualidade para o cidadão? As manifestações tomaram as ruas das principais capitais e repercutiram também no exterior.

(Disponível em: http://blogs.odiario.com/odiarionaescola/2013/07/18/movimentos-sociais-no-brasil/ Adaptado).

protestos
Imagem: Reprodução/Vestibular 2014 UPE

Tema

Manifestações Sociais no Brasil, em 2013: Quais os motivos e as perspectivas a partir desses movimentos?

ORIENTAÇÕES

Redija seu texto de acordo com a norma culta escrita da língua.

Você pode enviar seu texto até quinta-feira, dia 6 de março, para o e-mail: redacaoguia@gmail.com. Coloque seu nome completo, idade e cidade. Ele poderá ser avaliado e publicado aqui no blog.

Importante: apenas uma redação será corrigida, mas não fique chateado. Lembre-se de que a melhor forma de se preparar para a prova de redação é treinando, certo?

Comentários: nenhuma pessoa comentou

Categoria: Proposta

Tags:

Compartilhe

Nova proposta de redação: mulheres

Ana Prado | 14/02/2014

A proposta desta semana foi tirada do vestibular 2014 da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Leia a seguir observando os perfis de mulheres traçados nos textos de diferentes épocas. Então escreva um texto relatando de que forma um ou mais perfis femininos representados nos excertos desafiam o comportamento masculino na atualidade.

redacao1
redacao2
ORIENTAÇÕES

1. Redija seu texto de acordo com a norma culta escrita da língua.

2. O texto não pode ter mais de 20 linhas no Word.

Você pode enviar seu texto até quinta-feira, dia 20 de fevereiro, para o e-mail: redacaoguia@gmail.com. Coloque seu nome completo, idade e cidade. Ele poderá ser avaliado e publicado aqui no blog.

Importante: apenas uma redação será corrigida, mas não fique chateado. Lembre-se de que a melhor forma de se preparar para a prova de redação é treinando, certo?

Comentários: nenhuma pessoa comentou

Categoria: Proposta

Compartilhe

Análise da redação para a proposta do vestibular 2011 da Unesp

Ana Prado | 05/12/2013

Portsmouth v Oxford United - Sky Bet League Two

Com base na proposta de redação extraída do vestibular 2011 da Unesp, o estudante deveria escrever um texto dissertativo sobre o tema “GRAFITES: ENTRE O VANDALISMO E A ARTE”.

Leia a íntegra do texto escolhido:

 

De tijolinhos para hip-hop

Quanta mudança. O “Tate Modern”, famoso museu britânico, formado por tijolos –  um estilo totalmente conservador – se tornou uma referência do que é a arte visual do “hip-hop”: o grafite dos irmãos conhecidos por “Osgêmeos” e de “Nunca”. Enquanto colorem, os grafiteiros, museus, casas e ruas, há aqueles cuja expressão se denomina vandalismo. A arte do “hip-hop” não deve ser confundida com a barbárie que se observa nas ruas.

Enquanto alguns pedem permissão para a arte, outros invadem com suas pichações locais privados e desafiam a ordem em locais públicos – querem o vandalismo, em vez da expressão; desafiam-se em locais de difícil acesso e formam gangues que rivalizam entre si.

A arte, por sua vez, é transcendental. Ela permite o indivíduo repensar o mundo e transformá-lo em símbolos, muitas vezes contrariando os valores vigentes. No caso do grafite, os desenhos retratam os valores do mundo das favelas brasileiras, com um colorido próprio desta cultura, que alegram as ruas cobertas, anteriormente, por cinza. Por conseguinte, artista e leitor percebem a arte e se sensibilizam. Isso ocorre com a arte de “Osgêmeos”, que repensa a sexualidade. Em corpos masculinos, seios.

Dessa forma, distingue-se o vandalismo do grafite pela intenção. Se no primeiro a expressão se equivale à imposição, o desafio do segundo é a própria expressão.

Confira abaixo a análise da da professora de redação da Oficina do Estudante, Ednir Barboza:

A redação, embora, trate do tema proposto, é falha em alguns aspectos importantes.

1. O título destaca o hip-hop, que é uma dança urbana, mas não há referências dela, no texto, com o grafite, que é o tema central da proposta. Portanto, o título se torna incoerente com o restante da redação. Hip-hop é dança urbana e grafite é arte visual urbana, mas são diferentes.

2. O museu não é formado por tijolos, mas sim, tem suas paredes revestidas por eles. A referência aos tijolos busca mostrar a diferença entre o tradicional e o inovador – o grafite, o que está correto, mas a forma de expressar a ideia precisa ser melhor redigida.

3. A frase “Enquanto colorem, os grafiteiros, museus, casas e ruas, há aqueles cuja expressão se denomina vandalismo” está confusa por causa da inversão dos termos da oração e daquilo que se coloca como implícito. Melhor ficaria a redação assim: Enquanto os grafiteiros colorem, com arte, museus, casas e ruas, há pichadores que praticam vandalismo rabiscando fachadas, muros, prédios históricos.

4. O segundo parágrafo inicia-se com uma referência à arte, mas faltou a ligação com o parágrafo anterior. Faltou coesão formal (através dos conectivos) e ideológica ( referente a sentido). Melhor seria ter iniciado esse parágrafo com a 3ª oração do parágrafo: No caso do grafite, os desenhos retratam os valores do mundo das favelas brasileiras… depois, sim, cairia bem a informação sobre a arte. Ainda nesse parágrafo, as orações: “ Isso ocorre com a arte de ‘Osgêmeos’, que repensa a sexualidade. Em corpos masculinos, seios”, expressam mal o pensamento do autor do texto. O ideal seria unir as duas orações e completar-lhes o sentido, em referência ao corpo masculino e feminino.

5. O último parágrafo inicia-se com uma frase dúbia: “Dessa forma, distingue-se o vandalismo do grafite pela intenção.”. Melhor seria: Vandalismo e grafite distinguem-se pela intenção dos seus autores. Se no primeiro prevalece a imposição, no segundo, é a própria arte que se revela na expressão do artista.

6. Do ponto de vista das ideias, o texto é pouco esclarecedor na comparação do grafite com a pichação, que são as duas atividades colocadas em discussão. Faltou um pouco mais de ênfase no enfoque do tema: grafite – arte ou vandalismo. Não houve, no texto, a defesa de que grafite não é vandalismo e que, por isso, não deve ser confundido com pichação- essa sim, considerada vandalismo.

7. Em relação à nota, o texto figuraria numa escala média: entre 5,0 e 6,0 – para um total de 10,0 pontos.

Comentários: nenhuma pessoa comentou

Categoria: Correção

Tags: , ,

Compartilhe