Guia do Estudante

Análise de redação: A importância de proteger a Floresta Amazônica

Ana Lourenço | 19/09/2016

Com base na proposta da semana passada (acesse aqui), os estudantes deveriam escrever uma dissertação sobre o tema “A importância de proteger a Floresta Amazônica”. Leia abaixo uma das redações enviada por um de nossos leitores e veja, em seguida, a análise feita pelos professores da plataforma de correção Imaginie.

The Amazon Wetland in Brazil
Foto: iStock

[3] A Floresta Amazônica é considerada o pulmão do mundo e, também, a maior floresta tropical do planeta. Ela é importante para todos nós seres humanos. É nosso dever cuidar e preservar.

Mas afinal porque devemos [1] preserva-lá? Porque, ao longo dos anos, ela vem sendo desmatada, sofrendo incêndios e alguns animais sendo caçados. Se um dia a Floresta Amazônica for extinta, perderemos inúmeros recursos, como a biodiversidade, pesquisas de medicamentos, fauna e flora, sem contar que os indígenas que moram lá [2] ficaram sem casa e os animais também. E os inúmeros recursos ainda não descobertos. [4]

Há vários países que fazem campanha de conscientização para preservar a Amazônia, mas a grande maioria deles foca em combate ao corte raso. [5] Sendo que essa prática elimina toda a vegetação existente na área. No entanto, os esforços para conservar as espécies tropicais serão inválidos se não controlarem a maior causa da destruição, que é o homem agredindo a natureza.

[6] É preciso usar a Amazônia de forma consciente, ou seja, encontrar a melhor maneira de explora-la garantindo a vida existente ali. Incentivar a sustentabilidade, plantio de árvores, explorar as áreas e os recursos naturais de forma que não prejudique o equilíbrio do meio ambiente e da biosfera.

Análise da proposta:

A proposta de redação pede a produção de um texto dissertativo-argumentativo sobre o tema A importância de proteger a Floresta Amazônica. Esse gênero de texto consiste na defesa de uma ideia por meio de argumentos e explicações e o objetivo central é convencer o leitor de seu ponto de vista.

A estrutura do texto dissertativo-argumentativo deve possuir introdução, desenvolvimento e conclusão. Na introdução o candidato deve contextualizar o tema abordado e já assumir um ponto de vista. No desenvolvimento, apresentar os argumentos. O candidato precisa ficar atento para não copiar os textos motivadores na hora da argumentação, e se utilizar citações, é necessário usar aspas e identificar o autor. Como o objetivo é convencer quem está lendo, espera-se do candidato um bom embasamento e capacidade de persuasão. Além disso, a construção do texto precisa ser coesa e coerente, respeitando uma ordem lógica. Ao concluir, é necessário apresentar uma proposta de intervenção que respeite os direitos humanos e que seja possível de ser realizada.

Fuga ao tema, desrespeito aos direitos humanos e descumprimento do gênero dissertativo-argumentativo podem anular a redação do Enem. Não cometa esse erro!

>> Veja aqui algumas dicas para melhorar sua redação

Análise da redação do aluno:

A redação atende aos padrões de uma redação dissertativa-argumentativa contendo introdução, desenvolvimento e conclusão. Mas é importante que antes de escrever a redação o estudante esquematize as ideias, organizando o que escrever em cada parte do texto, pois em alguns parágrafos as ideias ficaram confusas. Além disso, a proposta de intervenção deve ser mais detalhada possível, informando quem irá fazer, para quem, como será viabilizado e quais os meios para isso. Lembrando que a leitura ajuda muito na argumentação.

Competência I – Demonstrar domínio da norma culta:

[1] O correto é preservá-la e não preserva-lá.

[2] A grafia correta é ficarão, pois a ideia passada é de futuro.

Competência II – Compreender a proposta:

O estudante precisa ter cuidado, pois os parágrafos abordam vários temas de uma vez. É importante organizar as ideias e abordar um tópico de cada vez. É essencial que a união das ideias fique coerente e siga uma ordem lógica.

Competência III – Selecionar, relacionar argumentos:

[3] A tese  do aluno foi exposta e isso garante que o texto tenha um objetivo.

[4] Não ficou claro o que o estudante quis dizer nessa parte. É preciso organizar melhor as ideias de modo que elas não fiquem soltas.

Competência IV – Conhecer os mecanismos linguísticos para a construção da argumentação:

[5] Ao invés do ponto final o estudante deveria ter usado a vírgula para dar continuidade a frase.

Competência V – Elaborar a proposta de solução para o problema:

[6] É necessário detalhar como sua solução pode ser implementada/melhorada, quem será atingido e com que verba isso irá acontecer. E além dos aspectos globais, você também pode dizer como cada indivíduo pode contribuir para a solução apresentada. Quanto mais detalhes, maior a nota.

Nota: 700

Compartilhe

Nova proposta de redação: A importância de proteger a Floresta Amazônica

Ana Prado | 11/09/2016

biomas-brasileiros

Chegou proposta nova de redação no blog! O tema é A importância de proteger a Floresta AmazônicaVocê pode enviar o seu texto até o próximo domingo (18).

Para participar, você deverá criar um perfil de usuário na plataforma Imaginie, selecionar a proposta e seguir as instruções para o envio da redação diretamente pelo site. Os primeiros a se cadastrarem por meio desse link terão direito a uma correção, sempre feita por dois ou mais professores, seguindo os mesmos critérios do Enem. O Guia do Estudante vai distribuir entre 50 e 250 correções gratuitas por proposta.

ATENÇÃO: Para que sua redação seja publicada no blog, é preciso desenvolver a proposta correspondente à semana em curso! Ou seja, para os textos enviados até domingo (4), a proposta deve ser a que está descrita abaixo.

Veja as instruções do tema da semana:

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma-padrão da língua portuguesa sobre o tema: A importância de proteger a Floresta Amazônica

Apresente experiência ou proposta de ação social que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

TEXTO I

A Floresta Amazônica é considerada a principal vegetação em todo o mundo, isso porque além de ser a maior em extensão, também conta com a maior variedade de animais e também algumas espécies de plantas que só ela possui. Além disso, a Amazônia é também a maior bacia de rios do planeta, área que comparada ao Rio Nilo por exemplo, que fica no Egito, é quase duas vezes maior.

Porém todas essas belezas naturais precisam ser preservadas, pois são muitas espécies de animais que correrm risco de extinção e as áreas cobertas de vegetação estão diminuindo cada vez mais.

Disponível em: http://www.nossoclubinho.com.br/amazonia-e-sua-importancia-para-o-mundo/ Acesso em 9 set 2016

 

TEXTO II

Além do ciclo hidrológico e do imperativo de considerar a região como um sistema, a maior promessa da Amazônia, para todos os países que a abrigam, é a sua extraordinária biodiversidade. Esta já proporcionou à humanidade um dos medicamentos mais eficazes para o controle da pressão arterial, assim como um relaxante muscular em uso nas cirurgias abdominais. E isso mal dá ideia do que há na superfície, que precisa ser mais estudada. Considere-se, ainda, que cada espécie é um conjunto de soluções para uma vastidão de problemas biológicos. A variedade é fascinante, riquíssima. Enten­dê-la pode ser crucial para o avanço das ciências biológicas. Não se trata apenas de um exercício intelectual estimulante, mas de benefícios diretos incalculáveis.

Disponível em: http://veja.abril.com.br/ciencia/como-a-amazonia-foi-salva/ Acesso em 09 set 2016

 

TEXTO III

A partir de hoje, o fato é científico: em se tratando de florestas tropicais, o desmatamento não é o único vilão.

Em todo o mundo, as políticas públicas de conservação de biomas como o amazônico focam no combate ao corte raso, prática que elimina toda vegetação existente em uma área. No entanto, esforços para conservar espécies tropicais não terão sucesso se não levarem em consideração o controle das perturbações mais comuns causadas pelo homem: a exploração madeireira, os incêndios florestais, a fragmentação de áreas remanescentes e a caça. Esta conclusão está em um estudo publicado na última edição do periódico Nature.

O preço é alto para todos os envolvidos. Quanto menor a saúde da floresta, maior sua incapacidade de prestar os serviços ecossistêmicos que ajudam a manter a vida no planeta – a nossa, inclusive. Serviços ecossistêmicos? Estamos falando, entre outros, do sequestro e do armazenamento do carbono (atuantes na regulação do clima), da oferta de água, do controle da erosão.

Disponível em: http://viajeaqui.abril.com.br/materias/nosso-impacto-na-amazonia-e-ainda-maior-do-que-o-imaginado Acesso em 09 set 2016

 

TEXTO IV

florestas

Disponível em: http://www.greenpeace.org/brasil/pt/Participe/Divulgue/Midia-Impressa/ Acesso em 09 set 2016

 

 

Comentários: nenhuma pessoa comentou

Categoria: Proposta

Tags: ,

Compartilhe

Saiba como explorar imagens e charges na prova de redação do vestibular

Paulo Montoia | 09/09/2016

Uma imagem pode não valer por mil palavras, como diz o ditado, mas diz muita coisa. Separamos e analisamos para vocês imagens utilizadas na prova de redação de três importantes vestibulares do país.

FGV-Direito 2014
Proposta: Imprensa e democracia: a regulação da imprensa nas sociedades democráticas.

Laerta Liberdade de imprensa FGV Direito

Imagem: Reprodução

 
Laerte. Folha de S.Paulo, 10 de junho de 2014

A prova de Direito da Fundação Getulio Vargas 2014 trouxe aos calouros um tema espinhoso: a difícil intersecção entre os conceitos de liberdade de imprensa e liberdade de expressão. O primeiro texto da proposta, a charge da cartunista Laerte, propositadamente irônica, sugere que algum controle já existe, ao perguntar se existe controle e se é o povo que o exerce.
O silêncio, no segundo quadro, ilustra a necessidade de se refletir a respeito e ampliar o questionamento do interlocutor.

Um caminho para a argumentação seria situar a liberdade de imprensa enquanto liberdade de expressão, esta como um direito do cidadão que se reflete e amplia como direito de todos os cidadãos. Torna-se, assim, um direito social sujeito a ser legislado, como todos os demais direitos, pela representação política do povo, que é o governo como um todo.

No Brasil, por exemplo, a Lei 7.716 de 1989, que define crimes de preconceito, tem sido atualizada pelo Congresso. Em seu artigo 20, emendado em 1997, a lei define os crimes de incitação à discriminação, com penas de um a três anos de prisão com penas e multa para o indivíduo que a praticar. Porém, essa pena é agravada para dois a cinco anos de prisão e multa para os veículos de comunicação que a divulgarem, pois o veículo está vinculado mais diretamente ao direito social e coletivo. Outros textos escritos polemizaram o tema, permitindo discutir a afirmação da imprensa como Quarto Poder e, assim como o poder financeiro, o militar e outros, merece legislação de regulamentação e controle. Também poderiam ser abordados aspectos como a concentração das mídias no país, a propriedade de rádios, jornais e emissoras de televisão por parlamentares, e a criação da agência de controle Anatel (1997) como exemplo da necessidade de regulação.

Fuvest 2013
Proposta: Aproveite o que o mundo tem a oferecer com o Cartão de Crédito X. Redija uma dissertação em prosa, na qual você interprete e discuta a mensagem contida nesse anúncio (…).

Fuvest 2013

Consumo e cidadania
Nessa prova, o texto de abertura enfatizava ao candidato interpretar a mensagem contida no anúncio, associar a imagem a seu texto e problematizar aspectos como valores humanos, visão de mundo, mentalidade.
Pessoas tranquilas observando o vão central, ou sentadas conversando, sugerem que a segurança do espaço privado é uma das coisas que o cartão de crédito oferece e distingue esses consumidores dos não consumidores.
Alguns candidatos exploraram a ideia de que os shopping centers são os “templos de consumo” deste século, em contraposição aos grandes templos católicos da Idade Média europeia, e que o consumo é uma nova forma de religião a ditar valores sociais e morais.
Outros aspectos importantes são a substituição dos valores sociais por valores de mercado, e do conceito de cidadania pelo de consumidor.

ITA 2013
Proposta: A partir da leitura dessa tirinha, e de textos da prova, redija uma dissertação defendendo um ponto de vista.

Mafalda

Tecnologias e privacidade
O cartunista argentino Quino aborda a crise de identidade das pessoas diante da tecnologia, traduzida nesta tira em um questionamento da pequena Mafalda. Nessa prova, outros textos trataram da privacidade na internet, do uso que as empresas estão fazendo da rede, com a apropriação de dados das pessoas e o envio de spams (mensagens publicitárias); do uso que as pessoas fazem da tecnologia e de ficarem viciadas em trocas de mensagens.

Um dos caminhos seria dissertar sobre a oposição entre consumo e cidadania, a dissolvência do conceito de cidadão, que na globalização está sendo substituído pelo de consumidor. Veja algumas sugestões de abordagens possíveis nesse tema:

– Abordar a necessidade de regulamentações legais para os direitos dos cidadãos e o das empresas no uso das tecnologias de comunicações;
– Dissertar sobre o uso que é feito da tecnologia, no capitalismo, para criar necessidades de consumo explorando nossas fraquezas, conforme constata Mafalda;
– A importância de questionarmos os discursos imperativos e impositivos, como fator essencial tanto na busca do conhecimento pessoal quanto pela sociedade.

E aí, valeu? yay2

 

 

 

Compartilhe

Universidade nos EUA é famosa por pedir redações com temas bizarros; veja alguns

Paulo Montoia | 05/09/2016

A Universidade de Chicago (UC) tornou-se famosa nos Estados Unidos pelos estranhos temas de redação que coloca no seu vestibular. E quem os inventa são os próprios alunos: todos os anos, a universidade envia e-mails à comunidade estudantil pedindo sugestões e então escolhe as melhores.

Assim, a prova de redação é uma espécie de trote prévio dos que já passaram para os que querem entrar. Embora a instituição sofra chacotas por causa disso, ela explica na apresentação da prova 2016/2017 em seu site: “Nós achamos que o tema é uma oportunidade aos estudantes de nos falar a respeito deles, seus gostos e suas ambições. Eles podem abordar o tema com absoluta seriedade ou de forma fantasiosa – ou algo entre essas duas possibilidades”.

A UC tem diferentes formas de acesso, e uma delas é a Common Application (exame conjunto), uma espécie de Enem para 700 faculdades do país. Mas a universidade mantém prova própria de redação, sem cobrar um tipo textual específico. A prova procura avaliar a qualidade de escrita e a criatividade, e sugere quase sempre que o candidato tente se divertir um pouco.

Divirta-se agora você também, com alguns temas de diferentes anos. O vestibulando deve sempre escolher apenas um dos temas propostos para redigir. As opções entram aqui da forma como foram colocadas na prova, ou seja, não há coletânea de apoio para a redação. (Veja como a prova de dissertação do Enem parece mais  fácil!)

Vestibular 2013/2014
Opção 1

Afinal, onde está Wally de fato?

Opção 2
Encontre X.

Vestibular 2014-15
Opção 1

O que há de tão estranho nos números ímpares?

Collage of house numbers odd numbers from 1 to 23

O que é que há de estranho nesses números, gente????                           Imagem: iStock

Opção 2
Em francês não existem palavras distintas para “conscious” (consciente) e “consciusness” (consciente de alguma coisa). Em japonês, há uma palavra específica para se referir aos pauzinhos de madeira divisíveis para comer nos restaurantes [waribashi, diferentes dos usados em casa, hashi]. A palavra alemã “fremdschämen” inclui o sentimento que você tem quando está envergonhado por outra pessoa e não por você mesmo. Esses termos necessitam ser explicados, a fim de comunicarmos corretamente o seu significado, e são, em graus variados, intraduzíveis. Escolha uma palavra, diga o que significa e, em seguida, explique por que ela não pode (ou não deve) ser traduzida da sua língua e sentido originais.

Opção 3
Porquinhos, galinhas francesas e uma família de ursos.
Ratos cegos, mosqueteiros, as Parcas [da mitologia grega].
As partículas de um átomo, as leis do pensamento, orientações para uma composição.
Omne trium perfectum (Um trio completo)?
Crie o seu próprio grupo de três coisas, e explique porque e como elas se encaixam.

Opção 4
Se pH expressasse uma personalidade, qual seria o seu pH e por quê? (Sinta-se livre para ser ácido na resposta! Não seja neutro, isso nesta prova é básico!)

Opção 5
Uma instalação de néon do artista Jeppe Hein no Charles M. Harper Centro da Universidade de Chicago nos pergunta: “Por que você está aqui e não em outro lugar?” (Potencialmente existem muitos “aqui” possíveis, mas já sabemos que você está “aqui” para tentar ingressar na Universidade de Chicago; portanto, escolha qualquer outro “aqui” e não esse).

Veja também: temas surpreendentes de provas recentes!

Vestibular 2016/2017
Opção 1

O que é uma praça, e você pode realmente voltar para lá?
(Esta é bem difícil porque a palavra square, em inglês, tem uns 20 sentidos possíveis além desse ou do primeiro, que é quadrado).

Opção 2

Seraut

Tarde de domingo na ilha de Grande Jatte, Georges-Pierre Seurat, 1884-1886              Acervo Instituto de Artes de Chicago

Uma vez, o renomado físico Werner Heisenberg disse: “Há um erro fundamental em separar as partes de um todo, o erro de atomizar algo que não deve ser atomizado. Unidade e complementaridade constituem a realidade.” Quer se trate do pontilhismo de Georges Seurat na tela “Tarde de  domingo na ilha de Grande Jatte”, dos jogadores do Chicago Bulls na temporada 1995-96, ou da física quântica, ou de qualquer outro campo de sua escolha, quando podemos separar as partes de um todo e quando não podemos separar?

Opção 3
A bola está com você, damos um centavo pelo que está pensando. Mas é para dizer, não é para se dispersar. Contanto que você não vá com sede demais ao pote, ou fique aparando arestas, escrever esta redação deverá ser mamão com açúcar, ok? Crie um idioma pessoal, próprio, e diga-nos a sua origem e, você sabe, queremos a coisa completa.
PS: Uma imagem vale mais que mil palavras!

Opção 5
Órgão vestigial refere-se a estruturas determinadas geneticamente ou atributos que, aparentemente, perderam a maior parte ou toda a sua função ancestral, mas permaneceram durante o processo de evolução. Nos seres humanos, por exemplo, o apêndice é definido como uma estrutura vestigial. Descreva algo vestigial (real ou imaginário) e nos dê uma explicação para sua existência.

Opção 6
Demonstre espírito de investigação e aventura, apresente a sua própria pergunta. Seja original, criativo, instigante. Alcance suas melhores qualidades como escritor, pensador, visionário, crítico social, sábio, cidadão do mundo, ou futuro cidadão da Universidade de Chicago; arrisque-se um pouco, e divirta-se.

E aí, curtiram? yay2

Compartilhe

Nova proposta de redação: Internet e empoderamento

Ana Lourenço | 29/08/2016

Tem proposta nova de redação no blog! O tema é A capacidade da internet de empoderar o indivíduoVocê pode enviar o seu texto até o próximo domingo (4).


Foto: iStock

Para participar, você deverá criar um perfil de usuário na plataforma Imaginie, selecionar a proposta da semana e seguir as instruções para o envio da redação diretamente pelo site. Os primeiros a se cadastrarem por meio desse link terão direito a uma correção, sempre feita por dois ou mais professores, seguindo os mesmos critérios do Enem. O Guia do Estudante vai distribuir entre 50 e 250 correções gratuitas por texto.

ATENÇÃO: Para que sua redação seja publicada no blog, é preciso desenvolver a proposta correspondente à semana em curso! Ou seja, para os textos enviados até domingo (4), a proposta deve ser a que está descrita abaixo.

Veja as instruções do tema da semana:

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma-padrão da língua portuguesa sobre o tema A capacidade da internet de empoderar o indivíduo. Apresente experiência ou proposta de ação social que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

TEXTO I

Disponível em: http://reillyrangel.com.br/2016/04/somos-todos-ativistas/ Acesso em 26 ago. 2016

TEXTO II

internet2

Disponível em: http://letramento-modulo4.forumfacil.net/t16-charges-de-trabalho Acesso em 26 ago. 2016

TEXTO III

Na minha opinião, um dos efeitos mais importantes da web é dar às pessoas mais condições de cobrar responsabilidade de empresas, governos e outros atores sociais. O acesso às informações do mundo inteiro e a capacidade de passá-las adiante foram durante séculos controlados pelos mais ricos e bem-educados. Ao derrubar muitas das barreiras entre as pessoas e a informação, a internet efetivamente democratizou o acesso ao conhecimento humano, tornando-o disponível para todos. Uma criança de Salvador poderá analisar livros da Biblioteca Bodleian, em Oxford, como se fosse aluno daquela universidade. […] A internet vai muito além de melhorar o funcionamento dos mercados. Acima de tudo, ela abriu espaço para as comunidades de todos os tipos. Eleitores e políticos se comunicam diretamente uns com os outros. Novas avenidas de auto-expressão garantem que uma voz individual atinja um público global. Preservar esses benefícios deveria estar entre as prioridades mais altas da agenda social e econômica do planeta.

Disponível em: http://exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/907/noticias/compartilhar-informacao-e-poder-m0144908 Acesso em 26 ago. 2016. Adaptado

TEXTO IV

Com o dinheiro de milhares de desconhecidos, projetos que pareciam impossíveis estão saindo do papel. O segredo: os financiadores não querem lucrar – entram nessa pela ideia e pelo ideal

Espaços verdes

Outra onda no mundo do crowdfunding é aumentar os espaços verdes em centros urbanos. Com US$ 23 mil, um pessoal do Brooklyn, em Nova York, construiu uma horta de 4 mil m² no topo de um prédio. Com US$ 27 mil, dois amigos transformaram um caminhão em estufa e viajaram o país dando aulas de agricultura.

Disponível em: http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/atitude/dinheiro-financiamento-projetos-tecnologia-sem-lucrar-poder-massa-687228.shtml Acesso em 26 jul. 2016. Adaptado

TEXTO V

Com a democratização do acesso à internet e a ascensão das redes sociais, as pessoas passaram a ser difusoras de conteúdo. Para a geógrafa Neli de Mello-Théry, o uso da web pela sociedade para cobrar o poder público é uma forma de exercer a cidadania. […] Para João Ramirez, co-criador da campanha Floresta Faz a Diferença, estamos vivenciando uma mudança de paradigma na web: do comercial para o social. “As pessoas hoje se engajam por mudanças. Não é mais apenas para conversar, ler fofoca e buscar conteúdo”, falou.

Disponível em: http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/atitude/ativismo-redes-sociais-cidadania-688540.shtml Acesso em 26 jul. 2016. Adaptado

Compartilhe

Análise de redação: Refugiados

Ana Lourenço | 22/08/2016

Com base na proposta da semana passada (acesse aqui), os estudantes deveriam escrever uma dissertação sobre o tema “As dificuldades do acolhimento de refugiados”. Leia abaixo uma das redações enviada por um de nossos leitores e veja, em seguida, a análise feita pelos professores da plataforma de correção Imaginie.

Mãe e filho em campo de refugiados
Mãe e criança curdas em campo de refugiados. Foto: Getty Images

Os intensos conflitos e guerras civis, a violação dos direitos humanos e as más condições de vida têm levado milhares de pessoas, dos mais [6] diversos países, a fugirem para outras localidades. Segundo a ONU, o mundo presencia o maior número de refugiados da história. Apesar de enfrentarem riscos na saída de seus países, que acontece principalmente pelo mar [1] mediterrâneo, as suas dificuldades não terminam com a imigração. Em várias nações esses seres humanos nem sequer são acolhidos.

O escritor Castro Alves, em seu poema “Navio Negreiro”, retrata [7] a mortandade que ocorria no transporte dos escravos africanos. Em pleno século XXI, a situação não é diferente com os fugitivos que atravessam o [1] mediterrâneo em embarcações precárias. Os poucos que conseguem vencer essa situação [3] se deparam [2] com a xenofobia, que impede a recepção desses estrangeiros em muitos lugares.

Países da Europa [4] se aderiram à causa dos refugiados, [8] porém enfrentam a aversão de alguns cidadãos. Os tais afirmam que esses estrangeiros desfrutariam dos recursos e infraestrutura locais sem contribuir [5] para isso. Já outros enxergam a possibilidade de que os migrantes disputem com eles as oportunidades de emprego.

Portanto, os preconceitos e as discriminações precisam ser combatidos e a integração social deve ser promovida. [9] Ações governamentais que possibilitassem a oferta de empregos aos refugiados em áreas onde a mão de obra é escassa seria uma forma de equilibrar divergências. [10] Na mídia e nas redes sociais, campanhas que conscientizassem a população sobre as dificuldades enfrentadas pelos fugitivos e o quanto eles podem contribuir culturalmente para a sociedade são imprescindíveis. [11] Assim, eles poderiam ser bem acolhidos e superariam a xenofobia.

Análise da proposta:

A proposta de redação pede a produção de um texto dissertativo-argumentativo sobre o tema As dificuldades do acolhimento de refugiados. Esse gênero de texto consiste na defesa de uma ideia por meio de argumentos e explicações e o objetivo central é convencer o leitor de seu ponto de vista.

A estrutura do texto dissertativo-argumentativo deve possuir introdução, desenvolvimento e conclusão. Na introdução o candidato deve contextualizar o tema abordado e já assumir um ponto de vista. No desenvolvimento, apresentar os argumentos. O candidato precisa ficar atento para não copiar os textos motivadores na hora da argumentação, e se utilizar citações, é necessário usar aspas e identificar o autor. Como o objetivo é convencer quem está lendo, espera-se do candidato um bom embasamento e capacidade de persuasão. Além disso, a construção do texto precisa ser coesa e coerente, respeitando uma ordem lógica. Ao concluir, é necessário apresentar uma proposta de intervenção que respeite os direitos humanos e que seja possível de ser realizada.

Fuga ao tema, desrespeito aos direitos humanos e descumprimento do gênero dissertativo-argumentativo podem anular a redação do Enem. Não cometa esse erro!

Análise da redação do aluno:

O estudante precisa melhorar a argumentação, mas mostrou um bom domínio de pontuação, acentuação e disposição dos parágrafos.

Competência I – Demonstrar domínio da norma culta:

[1] Mediterrâneo é nome próprio, e deve ser grafado com letra maiúscula.

[2] Deparam-se é a forma correta. Não deixe de observar as regras de colocação pronominal: ênclise, próclise e mesóclise.

[3] Sempre que um período for composto por coordenação ou subordinação, usamos a vírgula entre as orações, ou conjunção, se for o caso. Para identificar a oração, localize o verbo ou a locução verbal, pois formam o núcleo da oração.

[4] O correto é aderiram à causa. A partícula “se” é índice de indeterminação do sujeito ou pode ser pronome oblíquo desempenhando a função de objeto. Não é o caso nesta sentença. O sujeito: países da Europa; objeto: causa. Revise termos essenciais, integrantes e acessórios para ficar claro.

[5] Sempre que um período for composto por coordenação ou subordinação, usamos a vírgula entre as orações, ou conjunção se for o caso. Para identificar a oração, localize o verbo ou a locução verbal, pois formam o núcleo da oração.

Competência II – Compreender a proposta:

O parágrafo de introdução é uma breve apresentação sobre o tema. É importante fazer a contextualização, usando um fato histórico, citação de autoridade de conhecimento. Mas também é importante expor o seu ponto de vista. A tese que será defendida ao longo do texto deverá estar explícita na introdução.

Competência III – Selecionar e relacionar argumentos:

[6] Diversos países ficou generalizado. Procure especificar sobre os países em conflito. Embora esteja subentendido, será considerado aquilo que está explícito no texto.

[7] Sempre que defender o ponto de vista na argumentação, procure citar exemplos de fatos concretos, dados estatísticos, retirados de fontes sérias que validem o argumento. A argumentação deve ser pautada na consequência do tema e não na causa.

Competência IV – Conhecer os mecanismos linguísticos para a construção da argumentação:

[8] É a mesma ideia sobre xenofobia exposta acima. Sempre que precisar retomar ou antecipar uma palavra, ideia dentro do argumento, recorra a um elemento de coesão (pronomes, conjunções, pronomes, advérbios etc). Esses conectivos têm por função evitar repetições que comprometem a qualidade do texto.

Competência V – Elaborar a proposta de solução para o problema:

[9] O parágrafo de conclusão serve para apresentar uma solução para o problema abordado nos argumentos anteriores. Como mudar essa situação? Quem e como poderá mudar? Quem será o público-alvo dessa intervenção? Ao responder a essas questões, você estará apresentando a solução efetiva para o problema.

[10] A proposta de intervenção é sempre baseada na tese inicial. No entanto, a tese não ficou explícita na introdução. O estudante fez apenas uma menção. A intervenção é para resolver a questão apresentada inicialmente.

[11] Sempre que redigir sobre um tema, faça pesquisa em fontes variadas de informação, isso refletirá na qualidade da argumentação. Deve-se evitar argumentos óbvios e lugares-comuns. É importante trazer uma provocação ao debate.

Nota: 880

Compartilhe

Cursinhos apontam temas possíveis para a redação do Enem

Paulo Montoia | 19/08/2016

Veja a seleção de temas dos professores do Cursinho pH, do Rio, e Intergraus, de São Paulo. Vários deles já estão sendo abordados neste blog com propostas e redações comentadas.

A convite deste blog, os professores Luciano Segura, que leciona redação no Cursinho Intergraus, de São Paulo, e Thiago Braga, professor e coordenador de Língua Portuguesa e redação do Colégio e Cursinho pH, do Rio de Janeiro, sugeriram temas que podem cair na prova do Enem 2016. São assuntos possíveis também nos vestibulares 2017, como o da Fuvest e outras 39 universidades públicas que ainda mantém provas próprias de redação.

Confira as 40 universidades públicas com provas próprias de redação. 

1 – Inclusão social

Juntos, mas separados: favela versus área urbanizada no Rio de Janeiro  (iStock/Peeter Viisimaa)

Para Luciano Segura, destacam-se neste momento os Movimentos de Inclusão como recorte dos direitos humanos. “Eles estão muito em evidência. Os direitos da mulher já foram abordados, o de refugiados imigrantes, idosos, mas há outros, como a participação inclusiva das comunidades (favelas) no conjunto da sociedade, tema que vimos na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos.”

O professor destaca que os temas ilustrados naquela cerimônia são suficientemente fortes para serem abordados nas provas de redação. Por exemplo:

     2 – Respeito à diversidade de gênero.
     3 – A necessidade de preservar a natureza.
     4 – A valorização do índio. Segundo o Censo 2010, o Brasil possui mais de 890 mil índios, distribuídos por 274 idiomas próprios.
     5Limites da liberdade de expressão. Outro tema atual destacado por Luciano Segura. O tema abrange desde as injúrias raciais em espaços públicos e na internet até as declarações racistas, homofóbicas e de apologia à ditadura militar feitas pelo deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

Para Thiago Braga, do Cursinho pH, o mais forte candidato para a prova deste ano é o tema Mobilidade urbana, que  também destacamos na edição 2017 do Guia do Estudante Redação e neste blog. “É o tema em que mais aposto, pois une sociedade e meio ambiente. A gente vive esse caos no transporte, que também contribui para a emissão de gás carbônico. É um tema na prova que conjugue a possibilidade de maior mobilidade e de um transporte mais limpo, com ciclovias e benefícios ambientais. É forte candidato porque os estudantes podem propor muita coisa, estamos esperando que caia há alguns anos e ainda não caiu”, diz Braga.

iStock/Sasa69M

Veja nossa proposta Desafios da mobilidade urbana sustentável, veiculada em julho.

Agora, as demais apostas do professor Thiago Braga.

     2 – O Esporte como fator de integração e o legado das Olimpíadas. “Estamos esperando um tema do esporte há muito tempo. Dois dos nossos medalhistas de ouro vieram de programas sociais ligados ao esporte, e vemos vínculos com ascensão social, a iniciativa privada adotando políticas de marketing por meio do esporte.”

Veja a proposta que fizemos em julho: Rio 2016: o legado olímpico.

     3 – Racismo e intolerância. “A discussão de racismo ainda não aconteceu no Enem. Em 2007 tivemos O desafio de se conviver com a diferença, mas não o racismo na visão do brasileiro, o fato dele não se aceitar como racista, o racismo endêmico e não assumido.”

     4 – Alternativas para a violência urbana. “O Enem nunca tratou da violência urbana no país, com elementos como o tráfico de drogas e armas e a violência policial”, diz Braga. “Atualmente, tramita no Congresso o Projeto de Lei 3722, que pretende alterar o Estatuto do Desarmamento e, permitir, por exemplo, que advogados e deputados possam ter porte de arma.”

     5Educação de qualidade no Brasil. “É minha última aposta”, diz Braga. Trata-se de tema diretamente afeto aos estudantes, inclui as medidas de inclusão, liga-se ao slogan de Pátria educadora e deverá ser tema de debates nas eleições deste ano.

Veja a proposta que fizemos em julho: A realidade da escola inclusiva no Brasil.

     E aí? Achou as propostas interessantes? Algumas são muito desafiadoras!

Veja também: As quatro grandes áreas de temas de redação no Enem.

Compartilhe

Nova proposta de redação: Refugiados

Ana Lourenço | 14/08/2016

Tem proposta nova de redação no blog! O tema é As dificuldades do acolhimento de refugiados. Você pode enviar o seu texto até o próximo domingo (21).

Refugiados
Foto: Getty Images

Para participar, você deverá criar um perfil de usuário na plataforma Imaginie, selecionar a proposta da semana e seguir as instruções para o envio da redação diretamente pelo site. Os primeiros a se cadastrarem por meio desse link terão direito a uma correção, sempre feita por dois ou mais professores, seguindo os mesmos critérios do Enem. O Guia do Estudante vai distribuir entre 50 e 250 correções gratuitas semanalmente. Ao longo da semana seguinte, o blog publicará algumas das correções.

ATENÇÃO: Para que sua redação seja publicada no blog, é preciso desenvolver a proposta correspondente à semana em curso! Ou seja, para os textos enviados até domingo (21), a proposta deve ser a que está descrita abaixo.

Veja as instruções do tema da semana:

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma-padrão da língua portuguesa sobre o tema As dificuldades do acolhimento de refugiados. Apresente proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

TEXTO I

refugiados

Disponível em: <http://aheadmkt.com/refugiados-pelo-mundo-muito-mais-que-a-morte-de-uma-crianca-siria/> Acesso em 11 jul 2016.

TEXTO II

Na semana passada, a ONU organizou um encontro em Nova York para falar de dois temas que, embora não pareçam, estão intimamente ligados: refugiados e urbanização sustentável. Há hoje no mundo todo um bilhão de pessoas vivendo em favelas, tendência impulsionada justamente pela onda de refugiados que se instalam em condições precárias em cidades de vários países. E não há solução que não seja global tanto para a crise dos refugiados quanto para o clima.

Segundo dados divulgados no encontro, esses migrantes vivem em média 17 anos em campos de refugiados. Ou seja, os locais que os acolhem não são instalações temporárias, e sim permanentes. Se forem bem planejadas, poderão contribuir para que, em vez de problema, o contingente de refugiados se torne um ativo.

Na visão da ONU, os refugiados devem ser cocriadores das cidades que habitam, totalmente integrados a elas. E as cidades que fizerem isso estabelecerão uma relação de ganha-ganha baseada em diversidade e crescimento. Infelizmente, o que prevalece hoje é uma abordagem fragmentada, anti-urbana e marcada pela negação da presença dessas pessoas. “A migração é, na verdade, uma força urbana inerentemente positiva”, afirma Eliasson. “Mas precisamos de esforços melhores, mais coerentes e coordenados para lidar com a questão”.

Disponível em: <http://veja.abril.com.br/blog/cidades-sem-fronteiras/geograficas/um-bilhao-de-pessoas-vive-em-favelas-e-a-crise-dos-refugiados-so-acelera-o-problema-diz-a-onu/> Acesso em 11 ago 2016. Adaptado

TEXTO III

A chanceler alemã Angela Merkel expressou nesta segunda-feira seu desejo de que os líderes europeus deem um “bom passo” em direção a uma solução para a crise de refugiados, que inclui a redução dos fluxos de imigrantes irregulares em todos os países e não só em alguns através de medidas unilaterais. Para ela, o plano de ação com a Turquia é a “chave” para enfrentar a crise de refugiados porque significa melhorar as condições de vida das pessoas mais perto de seus países de origem e reduzir o fluxo de chegadas na Europa. Antes defensora de uma política para acolher os refugiados, Merkel está adequando seu discurso diante das muitas dificuldades que a Europa e a própria Alemanha estão enfrentando.

Disponível em: <http://veja.abril.com.br/mundo/merkel-agora-defende-reducao-de-refugiados-em-todos-os-paises-da-ue/>. Acesso em 11 jul 2016. Adaptado

TEXTO IV

“Ter um time de refugiados me fez ver que tem lugar no mundo para nós. Isso representa tudo”, diz, em um português simples. Mariama Bah assistiu às lutas nesta quarta-feira (10/08) ao lado de dezenas de refugiados na sede da Cáritas, braço humanitário da Igreja Católica, no bairro do Maracanã.

[…]

Para ela, a Olimpíada ajuda a dar visibilidade aos refugiados. “Somos jovens com sonhos. Não temos só histórias tristes, temos vitórias”, diz. Uma delas, para Mariama, é conseguir trazer a filha para o Brasil. A menina, hoje com 12 anos, mora em Gâmbia com as tias e deve chegar em setembro para ficar com a mãe. “Meu coração sempre ficou dividido, com ela lá e eu aqui. Não quero que ela passe pelo que eu passei. Aqui ela vai poder estudar”, afirma.

Disponível em: <http://www.cartacapital.com.br/sociedade/tem-lugar-no-mundo-para-nos-diz-refugiada-sobre-a-rio-2016>. Acesso em 11 jul 2016. Adaptado

Comentários: nenhuma pessoa comentou

Categoria: Sem categoria

Compartilhe

Análise de redação: Desafios da mobilidade urbana sustentável

Ana Lourenço | 11/08/2016

Com base na última proposta de redação, os estudantes deveriam escrever uma dissertação sobre o tema “Os desafios da mobilidade urbana de baixo impacto ambiental. Leia abaixo uma das redações enviada por um de nossos leitores e veja, em seguida, a análise feita pelos professores da plataforma de correção Imaginie.

Ciclistas no Parque do Ibirapuera
Ciclistas no Parque do Ibirapuera. (Foto: iStock)

No que se refere ao transporte de baixo impacto ambiental, é possível afirmar que o Brasil deve investir mais nessa área. Isso se evidencia não apenas pela problemática do aquecimento global, como também pelos benefícios dessa prática sustentável.

Após a Segunda Guerra Mundial, o Brasil começou a urbanizar-se de forma rápida e desordenada. Isso se reflete diretamente nos dias atuais, visto que não houve planejamento adequado na infraestrutura das cidades para facilitar o deslocamento diário dos cidadãos, através de meios alternativos, como as bicicletas. Além disso, durante o governo de Juscelino Kubitschek, o presidente incentivou o modelo desenvolvimentista do país, no qual foi amplificado o poder aquisitivo da população, a fim de estimular a compra de veículos particulares. Com isso, nota-se que a grande quantidade de automotores, bem como a falta de projetos que incentivem o uso de alternativas sustentáveis para a locomoção são impasses a serem superados pela sociedade brasileira.

[2] Segundo pesquisadores, mais de setenta milhões de toneladas de gás carbônico são liberados na atmosfera decorrente da utilização de gasolina por veículos no Brasil. [1] Dessa forma, esse composto químico é responsável pelo aumento do aquecimento global, o que ocasiona a elevação da temperatura média e, consequente, vários problemas ambientais.

Diante disso, percebe-se a real necessidade de desenvolver meios para reverter essa situação. Na cidade de Fortaleza, a prefeitura lançou o projeto Bicicletar, no qual foram instalados postos de bicicletas para uso compartilhado, com intuito de minimizar impactos ambientais, desobstruir o trânsito, além de melhorar o bem-estar da população. De acordo com estatísticas, essa medida já evitou a emissão de duzentas toneladas de CO2.

É necessário, portanto, desenvolver métodos para incentivar formas sustentáveis de transporte. Para isso, os governantes devem implementar projetos similares ao de bicicletas compartilhadas, bem como construir mais ciclo faixas, a fim de melhorar a mobilidade urbana. Além disso, os meios de comunicação necessitam incentivar o uso de bicicletas, por meio de [3] campanhas. [4] Ademais, as escolas precisam inserir aulas sobre educação ambiental, com o objetivo de não só debater esse assunto, mas também promover a criação de medidas para estimular o transporte de baixo impacto ambiental, aplicando-as em nível individual e social. Nesse sentido, haveria maiores benefícios para a sociedade e para o meio ambiente.

Análise da proposta:

A proposta de redação pede a produção de um texto dissertativo-argumentativo sobre o tema Os desafios da mobilidade urbana de baixo impacto ambiental. Esse gênero de texto consiste na defesa de uma ideia por meio de argumentos e explicações e o objetivo central é convencer o leitor de seu ponto de vista.

A estrutura do texto dissertativo-argumentativo deve possuir introdução, desenvolvimento e conclusão. Na introdução o candidato deve contextualizar o tema abordado e já assumir um ponto de vista. No desenvolvimento, apresentar os argumentos. O candidato precisa ficar atento para não copiar os textos motivadores na hora da argumentação, e se utilizar citações, é necessário usar aspas e identificar o autor. Como o objetivo é convencer quem está lendo, espera-se do candidato um bom embasamento e capacidade de persuasão. Além disso, a construção do texto precisa ser coesa e coerente, respeitando uma ordem lógica. Ao concluir, é necessário apresentar uma proposta de intervenção que respeite os direitos humanos e que seja possível de ser realizada.

>> Veja aqui algumas dicas para melhorar sua redação

Análise da redação do aluno:

O estudante desenvolveu bem os argumentos, mas apresentou algumas informações sem relacioná-las muito bem. É importante que o aluno articule melhor o texto e apresente mais informações para melhorar a nota.

Competência I – Demonstrar domínio da norma culta: O estudante mostrou domínio da norma culta e não cometeu erros que pudessem prejudicá-lo.

Competência II – Compreender a proposta: Desenvolveu a proposta de forma consistente.

Competência III – Selecionar e relacionar argumentos: [1] Aqui faltou um pouco de articulação entre as informações.

Competência IV – Conhecer os mecanismos linguísticos para a construção da argumentação: [2] Procure utilizar mais recursos coesivos para articular melhor as partes do texto. Veja uma dica aqui.

Competência V – Elaborar a proposta de solução para o problema: [3] Como seriam feitas essas campanhas? Seja mais detalhista. [4] A proposta de intervenção precisa ser mais desenvolvida e detalhada.

Nota: 840

Compartilhe

Conheça as provas “secretas” de redação do Enem

Paulo Montoia | 09/08/2016

Você já ouviu falar do Enem PPL? Pois se não ouviu, não estranhe. Fala-se pouco dele, e como o Inep divulga apenas os gabaritos e não as provas, tornou-se difícil encontrá-las na internet, e elas têm se mantido quase secretas. Esse “Enem 2” é aplicado todos os anos, um mês após o Enem tradicional.

A sigla PPL resume “pessoa privada de liberdade”. A prova é aplicada para jovens que estão em instituições socioeducativas e para adultos em prisões que se inscrevem, pois têm o direito de querer avançar nos estudos e se reintegrar à sociedade. Os participantes podem conseguir a certificação de conclusão do Ensino Médio ou de disciplinas específicas, se obtiverem a nota mínima exigida. Em 2015, houve 45,5 mil participantes, 19% a mais que no ano anterior. Quem obtém a nota média maior que 600 pontos pode se inscrever nos programas Sisutec, Pronatec ou Sisu, mas precisa obter autorização judicial para deixar a instituição.

As propostas de redação estão dispersas, e em poucos lugares na internet. O que fizemos foi coletá-las para você. Veja aqui os temas e a coletânea das sete provas já aplicadas, algumas das quais poderiam ter caído no Enem tradicional (a última delas, aliás, foi usada em segunda aplicação excepcional).

E fica a sugestão: se algum tema lhe parecer desafiador, veja a coletânea e tente desenvolvê-lo!

Vamos lá:

Enem 2015 PPLO Histórico desafio de se valorizar o professor.
Coletânea: dois textos de Sociologia e duas imagens de valorização do professor.
Esta prova foi também utilizada em segunda aplicação regular em Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Enem 2015

________________

Enem 2014 PPLO que o fenômeno social dos ‘rolezinhos’ representa?
Coletânea: Dois textos informativos e uma charge.

Enem 2014 Texto IEnem 2014 Texto II

Enem 2014 PPL Texto III
Fonte: Imaginie

__________________

Enem 2013 PPL – Cooperativismo como alternativa social
Coletânea:
 Depoimento e notícia, e dois textos não-verbais.

Enem PPL 2013

Fonte: Cursinho pH, Rio de Janeiro

Enem 2012 PPL – O Grupo fortalece o indivíduo?
Coletânea: Textos e notícias da primeira greve dos bancários em 1932, jogador fala da união que garantiu a vitória na Copa Libertadores da América; movimento de igualdade de gênero Marcha das Vadias.

Enem 2012

_______

Enem 2011 PPLCultura e mudança social.
Coletânea: Textos definindo o trabalho do Grupo Cultural AfroReggae; e o perfil e convicções do sociólogo Herbert José de Souza (o Betinho, criador do movimento Fome Zero).

Enem PPL 2011

_____________

Enem 2010 PPL Ajuda humanitária
Coletânea: Trechos de reportagens sobre Comitê de ajuda às vitimas de Palmares e Terremoto no Haiti, cartaz de ajuda a vítimas de enchente no Rio de Janeiro.

Enem 2010

_______

Enem 2009 PPL – A família contemporânea e o que ela representa para a sociedade.
Coletânea: Pintura de Tarsila do Amaral, textos de sociologia.

Enem 2009

E aí, gostou?yay2

 

Compartilhe