logo-ge

6 autoras brasileiras que você precisa conhecer

Que tal ampliar seu repertório com estas escritoras que se destacaram na literatura nacional?

Já levantamos anteriormente quais autoras estão presentes nas listas obrigatórias da Fuvest e da Unicamp. No total, apenas cinco foram selecionadas pelas bancas desses dois grande vestibulares, mas vale ressaltar que não foi por falta de opção. 

Separamos seis autoras brasileiras que são destaques na literatura brasileira. Elas são premiadas e reconhecidas internacionalmente, e seus textos podem aparecer em questões do Enem e de outras provas. Além disso, que tal aproveitar para ampliar seu repertório? Confira:

Cora Coralina 

 (Reprodução/Wikimedia Commons)

Pseudônimo de Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, Cora Coralina é o destaque da poesia do estado de Goiás. Ela começou a escrever ainda na adolescência, mas apenas com 76 anos publicou o seu primeiro livro, Poemas dos Becos de Goiás e Histórias Mais. A obra foi considerada uma das 20 mais importantes do século 20 pelo jornal O Popular, de Goiânia.

Veja também

Em 1982, Cora Coralina recebeu o título de Doutor Honoris Causa da Universidade Federal de Goiás (UFG). No ano seguinte, conquistou o Prêmio Juca Pato da União Brasileira dos Escritores, tornando-se a primeira mulher a receber tal honraria. 

Hilda Hilst

 (Reprodução/Wikimedia Commons)

Hilda Hilst é considerada uma das maiores escritoras em língua portuguesa do século 20. Seus livros e poemas retratam, muitas vezes, a relação das mulheres com seus desejos e sentimentos. 

Formou-se em Direito pela Universidade de São Paulo (USP) e, aos 35 anos, mudou-se para Campinas, onde hoje fica a sede do Instituto Hilda Hilst. Lá, ela se dedicou à escrita de livros de poesia, ficção e peças de teatro. 

Lilia Moritz Schwarcz

 (Reprodução/Wikimedia Commons)

Antropóloga e historiadora, Lilia Moritz Schwarcz é professora titular no Departamento de Antropologia da USP, professora visitante na Universidade de Princeton (EUA) e curadora-adjunta do Museu de Arte de São Paulo (Masp). 

Vencedora do prêmio Jabuti de Livro do Ano em 1999, com As Barbas do Imperador: D. Pedro II, um Monarca nos Trópicos, Lilia tem como foco de suas obras a História do Brasil e questões que envolvem nossa sociedade, tanto no presente quanto no passado. 

Helena Morley

Helena Morley é o pseudônimo de Alice Dayrell Caldeira Brant. Nascida em 1880 em Diamantina, Minas Gerais, a autora tinha até ano passado (2019), um livro na lista de obras obrigatórias da Fuvest: Minha Vida de Menina.

O livro, publicado em 1942, corresponde às confissões de Alice entre seus 13 e 15 anos em um diário, mostrando o cotidiano e os relatos da adolescente, enquanto faz um retrato da vida na região mineira entre 1893 e 1895. Na época de seu lançamento, o livro chegou a ser aclamado por nomes como Carlos Drummond de Andrade e João Guimarães Rosa.

Veja também

Conceição Evaristo

 (Reprodução/Wikimedia Commons)

Nascida em Minas Gerais, em 1946, Maria da Conceição Evaristo de Brito é romancista, contista e poeta. Formada em Letras na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), fez seu mestrado em Literatura Brasileira na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro com a dissertação “Literatura Negra: uma poética da nossa afro-brasilidade”. Já o doutorado foi concluído com a tese “Poemas Malungos – Cânticos Irmãos”, em 2011, na Universidade Federal Fluminense (UFF).

Suas obras, poesia e prosa, abordam temas como a discriminação racial, de gênero e de classe. Atualmente, Conceição leciona na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Seu livro Olhos d’Água foi vencedor do Prêmio Jabuti em 2017, reunindo 15 contos que abordam a miséria, a desigualdade social, a violência urbana e dilemas sobre o amor, a vida e a ancestralidade africana.

Ana Maria Gonçalves 

 (Valter Campanato/Agência Brasil/Reprodução)

A autora nasceu em Minas Gerais e se dedicava à Publicidade antes de lançar seu primeiro livro, em 2002. Suas obras provocam a reflexão do leitor quanto às condições históricas que levam à permanência da desigualdade, do racismo e outras formas de discriminação na nossa sociedade. 

Sua obra mais famosa é Um Defeito de Cor, uma recriação ficcional da história de Luísa Mahin, mãe do poeta Luís Gama, que participou da Revolta dos Malês (1835), na Bahia. O livro ganhou o Prêmio Casa de Las Américas como melhor romance do ano.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Mayane Diniz

    Faltou nossa queridíssima Carolina de Jesus!

    Curtir