Clique e assine GE Play por R$16,90

Carta de motivação: saiba como escrever a sua

Saiba passo a passo como mandar bem em processos seletivos que pedem esse tipo de documento

Por Letícia Albuquerque - Atualizado em 2 out 2020, 16h42 - Publicado em 5 out 2020, 07h15

A carta de motivação é muito comum em candidaturas para universidades e bolsas no exterior. Às vezes, também faz parte dos processos seletivos de trabalho. Mas esse documento não é igual à carta de apresentação, de que já falamos aqui no GUIA. Na carta de motivação, você deve explicar as razões de seu interesse na oportunidade ao participar de um processo de seleção. Para os recrutadores, é imprescindível saber quais são os seus objetivos acadêmicos e profissionais, e por que você deve ser o escolhido entre tantos candidatos.

Se você não sabe nem por onde começar a escrever sua carta de motivação, veja nossas dicas para ter mais chances de mandar bem.

Não faça cartas genéricas

O primeiro passo e um dos mais importantes na hora de escrever sua carta é pesquisar sobre a instituição para a qual você está se candidatando. Primeiro, veja se a universidade tem orientações próprias acerca do documento. Elas costumam indicar o tamanho da carta ou se esperam um formato ou uma estrutura específica. Quem sabe até haja um modelo pronto a ser seguido, o que vai deixar sua tarefa um pouco mais fácil.

Mas não pare por aí. Além de seguir as orientações, tenha certeza de que sua carta será específica ao falar sobre o curso ou vaga para o qual você está se inscrevendo e mostre que você está realmente interessado naquela instituição ou oportunidade. Faça pesquisas sobre a universidade, entenda o que ela preza em seus estudantes e qual engajamento é esperado. 

Depois, leia a grade curricular do curso, a quais projetos os alunos deverão se dedicar e quais professores fazem parte da instituição. Ou, no caso de emprego, a história da empresa, as tarefas a serem desenvolvidas. Escolha, então, os aspectos que mais chamaram sua atenção e acrescente essas informações na sua carta. Tente fazer isso da forma mais natural e honesta possível. Fale sobre assuntos que realmente são importantes para você e mostre que você está interessado naquele curso ou oportunidade, de forma que eles saibam que você realmente irá se dedicar.

Pense na estrutura antes de começar

Quando a pesquisa estiver feita, não comece a carta de cara. Anote em um papel todas as ideias que você pensa em abordar e pense em como você irá organizá-las no documento. Ainda que seja importante mostrar seus pontos fortes e falar sobre sua experiência, a escrita deve ser coesa e seguir uma linha de raciocínio que instigue o recrutador. Lembre-se: você precisa convencê-lo de que escolher você será positivo para a instituição.

A estrutura mais comum para a carta é:

  • Apresentação: como essa não é uma carta de apresentação, vá direto ao assunto. A forma mais comum de começar é falando seu nome e para qual curso e em qual instituição você está se candidatando. Veja o vídeo abaixo do canal Estudar Fora sobre como começar sem clichês. Em seguida, mencione de forma breve os pontos que serão mencionados na carta de forma a deixar o recrutador interessado para ler mais;
  • Desenvolvimento: sinta-se livre para organizar as informações como achar melhor, mas lembre-se de tocar em aspectos como suas motivações ao participar daquele curso, por que essa experiência é importante para você e quais seus objetivos profissionais e acadêmicos (veja o tópico abaixo);
  • Conclusão: como o curso vai influenciar a sua vida profissional e o que você espera levar dessa experiência. Aproveite para agradecer pela oportunidade.

Tenha um objetivo

Ao escolher um candidato, os recrutadores querem ter certeza de que o conteúdo aprendido ali será aproveitado pelos estudantes ou profissionais. Para eles, é importante escolher pessoas que se tornarão profissionais engajados e que farão a diferença na sua comunidade. Por isso, explique quais são os passos que você espera trilhar depois da formação e aproveite o gancho para explicar como o curso ajudaria você na prática.

Nesse vídeo do projeto Estudar Fora, eles explicam que seu objetivo precisa ser mais amplo do que simplesmente “ter um bom emprego”. Seja mais específico quanto ao que você deseja e você pode, até mesmo, dar exemplos de projetos que deseja realizar. Pode ser que sua ideia mude algum tempo depois, mas o importante é dar a noção de que você realmente vai aproveitar ao máximo aquela oportunidade.

Continua após a publicidade

Mostre quem você é

A carta de motivação será um dos poucos momentos em que você terá a oportunidade de mostrar quem você é para os avaliadores. Então, não perca a chance de contar sobre você, sua trajetória e sua personalidade. Não se desvie do objetivo principal e tenha certeza de que o que você está contando é relevante para o curso e para a instituição. Mas ser autêntico é o que vai fazer você se destacar entre tantos candidatos.

Não seja repetitivo

Em um processo seletivo, você deve enviar diversos documentos para a instituição. Então tenha cuidado para não repetir as informações que já estão em alguns dos outros documentos. Traga para a carta de motivação aquilo que ainda não foi possível ser demonstrado a partir do que já está sendo enviado.

Uma boa saída é falar sobre habilidades como liderança e proatividade, dando exemplos sobre isso. Ou então, conte sobre sua participação em algum projeto ou trabalho que só foi mencionado no currículo, mas explique com mais detalhes como foi a experiência. 

Não enrole 

Ao se estruturar suas ideias, você pode perceber que tem muitas coisas para apresentar aos avaliadores. É comum que você queira falar o máximo que puder com o objetivo de convencer o recrutador do quanto quer aquela vaga. Mas seja conciso. Como dito no primeiro tópico, muitas instituições direcionam os estudantes e indicam o tamanho da carta. Caso você não tenha essa informação, a Nuffic Neso Brazil, que auxilia estudantes a viverem a experiência na Holanda, sugere que sua carta se restrinja a apenas uma página.

Deixe claro o seu entusiasmo

Essa dica pode parecer um pouco óbvia levando em consideração o nome do documento. Tenha certeza de que vocês está mostrando toda a sua motivação ao escrever a carta. Vale explicar por que essa oportunidade é importante para você e, também, usar isso na hora de contar, por exemplo, por que escolheu aquela universidade. 

Compartilhe sua carta com familiares e amigos

Não tenha medo de pedir que outras pessoas revisem sua carta. Com mais opiniões em mãos, você vai ter certeza de que a carta está bem escrita e de que suas ideias estão claras. Além disso, caso sua carta seja direcionada a uma instituição no exterior, peça para alguém que domina o idioma revisar o material. Tenha certeza de que não está cometendo erros de ortografia ou gramática! Aproveite os comentários para acrescentar ou retirar partes da sua carta de forma que ela fique perfeita.

 

Tecnologia foto criado por freepik – br.freepik.com

Continua após a publicidade
Publicidade