Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Matemática – Entenda juros simples e compostos

Veja fórmulas e exemplos

Por Redação Atualizado em 17 jun 2021, 15h23 - Publicado em 3 jul 2012, 12h09
Juros simples e compostos
A taxa de juros é a relação entre o valor emprestado e o valor recebido por quem emprestou aquele dinheiro. Esse valor recebido é composto pelo valor emprestado acrescido de um “bônus”, chamado de juros. Pinterest/Divulgação

Existem dois tipos de juros:

juros simples

São acréscimos somados ao capital inicial no final da aplicação

Juros compostos

São acréscimos somados ao capital, ao fim de cada período de aplicação, formando com esta soma um novo capital, também conhecido como “juros sobre juros”.

Enquanto o crescimento dos juros simples é linear, o segundo juros compostos é exponencial, e portanto tem um crescimento muito mais acelerado. Como capital definimos o valor que é financiado, seja na compra de produtos ou empréstimos em dinheiro.

Ao financiar algo utilizando juros simples, a pessoa obtém um montante (valor total a pagar) inferior ao que financia por meio de juros compostos.

A fórmula de resolução de juro simples é a seguinte:

j = C. i. t

Na qual:
j = juros, C = capital, i = taxa, t = tempo

Continua após a publicidade

 

Já a fórmula para juros compostos é:

onde S = montante, P = principal, i = taxa de juros e n = número de períodos que o principal P (capital inicial) foi aplicado.

Fórmula

 

(ESPM-SP) Um capital de R$ 100,00 foi aplicado a juros compostos à taxa de 2% ao mês. Ao completar 2 meses, o montante foi retirado e aplicado a juros simples à taxa de 5% ao mês. Após um certo prazo, o montante final era R$ 130,05. O prazo da segunda aplicação foi de:
Enviado por Gislaine Oliveira

Resposta

LEIA MAIS

– Questões respondidas no “Pergunte ao Professor”

  • Continua após a publicidade
    Publicidade