Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

Relembre conceitos básicos sobre DNA e RNA

Saiba como estudar as moléculas estão envolvidas na transmissão genética e na produção de proteínas

Por Ana Carla Bermúdez Atualizado em 19 ago 2021, 16h32 - Publicado em 19 ago 2021, 08h05

O DNA e o RNA estão diretamente envolvidos no processo de transmissão das informações genéticas e na produção de proteínas compostas, que são o principal constituinte dos seres vivos. Relembre, a seguir, os principais conceitos que envolvem essas moléculas.

Ácidos nucleicos

Os ácidos nucleicos estão presentes em todas as células vivas. Eles são macromoléculas, ou seja, moléculas gigantes que são formadas por unidades menores e monoméricas chamadas de nucleotídeos.

O ácido desoxirribonucleico (DNA) e o ácido ribonucleico (RNA) são tipos de ácidos nucleicos. Cada nucleotídeo que os compõe é formado por três partes: um radical fosfato, uma pentose (açúcar formado por cinco átomos de carbono) e uma base nitrogenada. Desses componentes, apenas o radical fosfato é o mesmo tanto para o DNA quanto para o RNA. Já a pentose presente no RNA é a ribose, enquanto a do DNA é a desoxirribose.

Bases nitrogenadas

As bases nitrogenadas podem pertencer a dois grupos, o das bases púricas (adenina e guanina) e o das pirimídicas (timina, citosina e uracila). As bases púricas existem tanto no DNA quanto no RNA. Já das bases pirimídicas, a timina é exclusiva do DNA e a uracila do RNA, enquanto a citosina é comum para ambos.

DNA

O DNA contém as informações genéticas de todos os seres vivos e de alguns vírus. Assim, todas as características hereditárias são transmitidas devido a essa molécula. Cada indivíduo possui uma sequência única de nucleotídeos que formam o DNA, o que além de caracterizar a espécie garante a individualidade do organismo.

Continua após a publicidade

Dupla hélice

Em 1953, Watson e Crick propuseram o modelo da estrutura da molécula de DNA, em que ela é formada por uma dupla hélice, com duas cadeias polinucleotídicas envoltas uma à outra em forma de espiral. Para isso, as bases nitrogenadas de uma fita se ligam à da outra por ligações de pontes de hidrogênio. O pareamento das bases ocorre sempre entre uma púrica e uma pirimídica. No DNA, a adenina se liga à timina e a guanina se liga à citosina.

Funções

Além de carregar as informações genéticas, o DNA é capaz de sofrer mutações, o que leva a uma troca dinâmica dessas informações ao longo do tempo. Ainda, as informações genéticas do DNA servem para que as células fabriquem proteínas – que, por sua vez, definem as características celulares e do próprio organismo.

Replicação ou duplicação do DNA

A replicação do DNA acontece de forma semiconservativa: as duas cadeias complementares se separam sob ação da enzima DNA polimerase, que rompe as pontes de hidrogênio entre as bases nitrogenadas. Assim, cada uma delas serve como molde para a formação de uma nova fita. A replicação acontece sempre antes da divisão celular.

RNA

A molécula de RNA é consequência do processo de transcrição do DNA. Nele, as cadeias do DNA se separam e uma delas serve de molde para o RNA (a outra cadeia permanece inativa durante todo o processo). Assim, o RNA apresenta apenas uma cadeia simples, composta por diversos nucleotídeos. Sua função está intimamente ligada ao DNA, auxiliando a coordenar os processos celulares.

Tipos de RNA

Os diferentes tipos de RNA estão diretamente envolvidos no processo de síntese proteica. Ele pode ser classificado em três formas diferentes, de acordo com sua estrutura e função: RNA ribossômico (RNAr), RNA mensageiro (RNAm) e RNA transportador (RNAt). O RNAr, tipo de RNA mais abundante nas células, é o constituinte primário dos ribossomos; o RNAm atua com os ribossomos na sintese proteica; o RNAt carrega os aminoácidos utilizados para a síntese das proteínas. A imagem representa a estrutura do RNAt, que estruturalmente lembra um trevo de quatro folhas.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade