Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

“Território Restrito”: saiba como utilizar o filme no vestibular

Explore o enredo e enriqueça seu repertório

Por Julia Di Spagna Atualizado em 2 Maio 2019, 17h32 - Publicado em 12 jul 2018, 11h43

A ideia desta série de matérias é permitir que você consiga desenvolver um repertório mais amplo e um pensamento crítico mais aguçado com base nas diversas camadas que a sétima arte pode apresentar. As análises dos filmes que faremos aqui buscam mostrar certas relações entre o enredo e temas contemporâneos que podem ser abordados na redação e em outras questões do Enem e dos principais vestibulares do Brasil.

  • esta análise contém spoilers em prol de um panorama mais claro aos estudantes sobre os eventos do enredo e suas consequências.

O filme Território Restrito conta a história de uma série de imigrantes de diferentes nacionalidades que desejam viver legalmente nos Estados Unidos. Ambientada na cidade de Los Angeles, a trama retrata as dificuldades enfrentadas por diferentes grupos: iranianos, muçulmanos, uma australiana, um judeu, uma criança nigeriana e coreanos.

Um dos personagens centrais é Max Brogan, um agente especializado na busca de imigrantes ilegais. Todo dia ele precisa lidar com pessoas que tentam entrar nos Estados Unidos em busca de uma vida melhor.

Em uma de suas batidas policiais, ele prende a operária mexicana Mireya Sanchez, que estava ilegal no país. Antes de ser levada para a prisão, ela lhe entrega um papel com o endereço do local onde está seu filho e pede para ele cuidar do menino.

Porém, cedendo às pressões dos outros agentes, Max deixa a imigrante ser levada, cumprindo friamente sua função. Depois, Max acaba procurando o garoto e tenta achar a mãe dele, que desapareceu depois de ser presa.

Assim como Mireya, muitos estrangeiros enfrentam problemas nos EUA, apesar de acreditarem estar na terra das oportunidades.

O músico Gavin Kossef, por exemplo, apesar de não praticar a religião, usa o judaísmo como um artifício para conseguir um green card. Já a australiana Claire Shepard é uma aspirante a atriz que tenta, por meio de documentos falsos, conseguir um visto para ser aceita em um papel de destaque na televisão.

A jovem, por acaso, conhece Cole Frankel, responsável pela análise e possível aprovação dos pedidos de imigração de milhares de pessoas das mais diversas partes do mundo. Ele a chantageia, prometendo um green card em troca de favores sexuais.

Sua esposa, Denise Frankel, é uma dedicada advogada de defesa. Ela fica encarregada do caso de uma jovem de 15 anos nascida em Bangladesh, Talisma Jahangir, que é presa por dizer durante uma aula o que pensa sobre os motivos dos terroristas dos ataques do 11 de Setembro.

O discurso de defesa da garota é ingênuo, mas irrita seus colegas – inclusive a professora que a denuncia ao FBI. Neste momento, sua família se torna alvo de investigações da agência, que acredita que a garota é uma grande ameaça ao país e que deve ser imediatamente deportada.

Além dessas histórias, o parceiro de Brogan é Hamid Baraheri, cuja família é de origem iraniana e mantém certos costumes, o que causa problemas para a caçula, Zahra Baraheri, nascida dos EUA, que leva uma vida nada pacata.

Num dado momento, o destino do oficial cruzará com o de um jovem coreano, Yong Kim, cuja família espera a naturalização, que é forçado a ir contra sua moral para ser aceito em um grupo de jovens.

O longa destaca questões como a vigilância de fronteiras, fraudes de documentos, o direito a asilo, o processo de obtenção do green card, o emprego de imigrantes em situação ilegal, naturalização, o combate ao terrorismo e o choque entre culturas.

Enquanto isso, as histórias de cada personagem vão se entrelaçando ao longo do enredo e o sonho de permanecer nos Estados Unidos se torna o grande fio condutor do longa.

É possível explorar o filme “Território Restrito” a partir de diversos aspectos. Conversamos com Flávia Consolato, professora de redação do Anglo, para estabelecermos os principais e qual a melhor forma de aplicá-los na hora da prova.

Imigração ilegal

Parte dos personagens vive ilegalmente nos Estados Unidos. Essa questão está em alta por causa da política do presidente norte-americano Donald Trump de “tolerância zero” em relação aos imigrantes ilegais e pode ser abordada nos vestibulares.

A polêmica mais recente envolvendo Trump diz respeito às crianças que foram separadas de seus pais, imigrantes ilegais, pelo governo norte-americano na fronteira do país.

Além disso, vale pesquisar sobre sua proposta de ampliação de um muro para cercar toda a fronteira com o México.

Saiba tudo sobre as polêmicas envolvendo a política migratória de Trump aqui.

Sonho americano

Viver o sonho americano é algo distante para muitos – especialmente se o sonhador não nasceu nos Estados Unidos. Território Restrito mostra um grupo de personagens cujos destinos interligados tratam dessa questão.

A ideia de que o sonho americano, em muitos casos, é mais parecido com um pesadelo vai se revelando lentamente ao espectador. É importante refletir sobre os motivos que levam milhares de pessoas a se arriscar nessa jornada a qualquer custo. Os riscos dessa empreitada e as histórias fracassadas já foram denunciados diversas vezes pela imprensa.

O país, que sempre vendeu a imagem da terra da liberdade e da prosperidade, tem enfrentado uma série de desafios para lidar com os imigrantes em busca dessa promessa.

Xenofobia

A xenofobia pode ser definida como a aversão ou o medo de pessoas com costumes diferentes, em geral, estrangeiros. Ela se baseia em um sentimento de superioridade de uma cultura sobre outra e cresce em momentos de crise.

O filme explora em diversos momentos o choque cultural e o difícil convívio entre os personagens que pertencem a diferentes grupos.

Um exemplo disso é o caso de Talisma: a menina é agredida verbalmente, com ofensas xenofóbicas, pelos colegas de classe, após ler sua redação e defender suas ideias.

Entre os próprios funcionários da polícia de imigração americana, há também alguns estrangeiros. E mesmo entre esses é possível notar a intolerância ao imigrante ilegal.

Saiba mais sobre crise migratória e xenofobia no link.

Continua após a publicidade

Terrorismo

Os atentados ao World Trade Center, em 2001, mudaram em definitivo as práticas de controle e vigilância no mundo todo, sobretudo nas fronteiras.

No filme, uma das cenas iniciais trata justamente da redação escolar e a defesa de Talisma a respeito dos motivos de os terroristas terem atacado os EUA. Com isso, a adolescente enfrenta severas consequências. Por não ser cidadã norte-americana, como seus irmãos mais novos que nasceram no EUA, a garota é forçada a voltar com a mãe para sua terra natal.

A relação com a frase de Voltaire “Posso não concordar com o que tu dizes, mas lutarei, para que o possas dizer em liberdade” parece fazer todo sentido para Talisma, mas não é esse o efeito produzido na sua turma da escola. Saiba mais sobre o pensador aqui.

A garota é denunciada ao FBI, que passa a investigar todas as suas ações na internet em busca de ligações com o terrorismo. Vale também refletir sobre a ação policial desses casos, que facilmente consegue acessar os dados de um usuário da internet sem a sua permissão, e a invasão de privacidade são justificadas pela defesa de um “bem maior”, que é a segurança nacional, por mais abusivo que isso possa parecer. Qualquer ato considerado suspeito é sinônimo de ameaça e poderá ser punido como tal.

Violência contra a mulher

No filme, a atriz australiana é subornada e abusada sexualmente pelo agente de migração que propõe dar a ela um green card. Aqui, a hipocrisia do cidadão “de bem” norte-americano, o abuso de poder e a misoginia ficam patentes.

Além disso, uma das personagens passa boa parte do enredo sendo julgada pelo irmão e outros parentes por seus comportamentos. No final, ela é brutalmente assassinada por “desrespeitar a honra de sua família”.

Aqui, vale também refletir sobre as denúncias contra Harvey Weinstein (um dos produtores do filme), que deram origem a movimentos como o #Me too e o Time’s up e podem ser associadas ao enredo do filme. Assim como no enredo, um homem utiliza sua posição de poder para abusar de mulheres.

Ficou na dúvida de como esse conteúdo poderia ser aplicado na sua redação? Vamos ajudá-lo nessa missão. É impossível prever qual será a proposta dos vestibulares. Entretanto, seja qual for o tema, se você estiver munido de diversos exemplos e relações relevantes na hora da prova terá um resultado melhor do que imagina.

No caso do filme “Território Restrito”, é importante identificar os principais tópicos, como a imigração ilegal, a xenofobia e a questão do sonho americano, por exemplo, e memorizar algumas cenas que exemplifiquem as situações.

Você não precisa assistir ao filme com um caderno fazendo várias anotações. O importante é entender o enredo como um todo e refletir sobre determinados acontecimentos que achar adequados. Se quiser, anote alguns tópicos e pesquise mais sobre os temas que achar mais pertinentes ou nos quais tiver alguma dificuldade.  

Selecionamos algumas propostas de redação de vestibulares de anos anteriores em que você poderia utilizar seus conhecimentos sobre o filme para desenvolver o tema, tanto em termos de relações estabelecidas, quanto em exemplos.

UFRR 2014 – Formas de violência contra a mulher

Ao longo do enredo, é possível notar a questão de violência contra a mulher. A irmã de Hamid, uma filha de iranianos nascida nos EUA, é brutalmente assassinada pelo próprio irmão em nome da honra da família.

O estudante poderia citar esse exemplo e relacioná-lo com a violência enfrentada por mulheres que contrariam a vontade de seus parentes, muitas vezes fortemente atrelada às suas culturas.

UFBA 2011 – A importância do sonho na vida do ser humano

Uma das definições de sonho apresentada pela coletânea aponta que este é uma “ideia ou ideal dominante que alguém ou um grupo busca com interesse ou paixão”. Com isso, o estudante poderia trabalhar a importância que os grupos de personagens deram a morar nos EUA. É como se a felicidade deles fosse em grande parte dependente disso.

Ainda encontramos a seguinte definição na proposta:

“O Sonho Americano é o sonho de uma terra onde a vida é melhor, mais rica e mais completa para todos, com oportunidade para cada um de acordo com a capacidade ou desempenho. Não é apenas um sonho de altos salários, mas um sonho de ordem social em que cada homem e cada mulher sejam reconhecidos por outros pelo que eles são, sem levar em conta as circunstâncias fortuitas de berço ou posição.”

O aclamado “sonho americano” é o que levou os personagens a atravessar a fronteira e lutar pela permanência no país. Logo, o candidato poderia refletir sobre o que cada personagem se dispôs a fazer por isso e construir relações entre o enredo e a realidade enfrentada pelos imigrantes que correm diversos riscos para driblar a política de Trump, por exemplo.

Fuvest 2009 – Fronteiras

Esta proposta trabalha a questão das fronteiras não apenas em seu sentido físico, mas também no figurado.

Dessa forma, o filme se torna extremamente útil por tratar tanto de fronteiras geográficas quanto de fronteiras culturais e psicológicas.

Aqui, é válido fazer uma análise de que mesmo após ultrapassarem as barreiras físicas e chegarem aos Estados Unidos, os personagens enfrentaram resistência por meio de outras fronteiras de caráter cultural, por exemplo.

Enem 2007 – O desafio de se conviver com as diferenças

A proposta apresenta textos que trabalham a questão das diferenças individuais e culturais e os desafios que as acompanham.

O estudante poderia mencionar diversos momentos do filme para exemplificar situações em que essas diversidades geraram conflitos na trama.

Hamid, por exemplo, não soube lidar com a maneira de sua irmã encarar a vida; os alunos da escola da garota Talisma não admitiam sua maneira de pensar; e o grupo do jovem Yong Kim exigia dele um comportamento que ia contra tudo que ele acreditava.

Filme: Território Restrito
Ano: 2009
Direção: Wayne Kramer

  • Continua após a publicidade
    Publicidade