Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Como ter atitude empreendedora desde cedo

Economista dá dicas para quem quer ter uma visão para os negócios desde cedo

Por Luccas Diaz Atualizado em 13 jul 2021, 17h46 - Publicado em 13 jul 2021, 16h25

O perfil dos empreendedores brasileiros está mudando e a tendência é que as novas gerações ocupem cada vez mais espaço nesse setor. Uma pesquisa realizada em 2019 pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) mostrou que 80% dos empresários de até 24 anos já haviam cogitado se tornar um empreendedor antes dos 18 anos.

Seja pela necessidade de complementar a renda, ter independência financeira ou até mesmo a busca por realização pessoal, os jovens estão mais abertos a novas experiências. No entanto, para gerir seu próprio negócio com sucesso, é preciso desenvolver uma atitude empreendedora o mais cedo possível.

Confira 3 passos simples que podem ajudar.

1. Conhecer a si mesmo

Criar seu próprio negócio também é um processo de autoconhecimento. Você precisa conhecer suas habilidades e aptidões para colocar em prática suas ideias. Nesse sentido, Paulo Costa, economista e autor do material didático sobre empreendedorismo da BEĨ Educação, destaca algumas características importantes.

“Ter facilidade para trabalhar em equipe é essencial. Sozinho, você até pode chegar a um bom lugar, mas com um grupo de pessoas você pode chegar ainda mais longe. Além disso, é preciso ser comunicativo e ter uma boa argumentação, para que você seja capaz de convencer as pessoas de que sua solução é boa”, explica.

2. Não ter medo de errar

Paulo também afirma que uma das principais vantagens de começar a empreender desde cedo é ter a possibilidade de experimentar diferentes modelos de negócio sem que haja grandes prejuízos. Segundo ele, nessa fase os jovens têm mais tempo para se desenvolver e podem assumir riscos maiores.

“É preciso aprender com os erros, e quanto mais cedo você entender isso, melhor. Muitas vezes, achamos que o caminho para o sucesso é uma linha reta, e não percebemos que até os grandes empreendedores passaram por dificuldades e problemas. As pessoas crescem com medo de errar e de se arriscar, mas o empreendedorismo te ensina a lidar com isso”, complementa.

3. Aproveitar a escola

O empreendedorismo é uma das competências gerais previstas na BNCC para o ensino básico e deve ser trabalhado de maneira transversal às outras disciplinas em sala de aula. Paulo defende que aprender sobre empreendedorismo na juventude traz muitas vantagens profissionais, mas também vantagens pessoais, já que ajuda o estudante a lidar com seus erros, assumir riscos, ter responsabilidades, tomar decisões, pensar estrategicamente, ser mais criativo e refletir sobre cidadania.

“A escola é o ambiente ideal para trabalhar essa questão e, inclusive, ajuda os educadores a diversificar as metodologias de ensino. Em sala de aula, é comum passar conhecimentos apresentando primeiro a teoria e depois a prática, mas os alunos acabam perdendo o interesse porque aquilo fica distante da sua realidade. O empreendedorismo faz justamente o contrário, ele usa a prática do dia a dia do aluno para depois introduzir os conceitos”, conclui.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade