Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

10 Temas de atualidades que podem cair no vestibular

Professores de cursinhos dizem em que assuntos você deve prestar mais atenção

Por Ana Prado Atualizado em 16 Maio 2017, 13h40 - Publicado em 25 out 2012, 12h18

Ler jornais e revistas para estar em dia com as notícias é requisito básico para quem vai prestar vestibular e Enem. Mas, com tanta coisa acontecendo – e tantas matérias para estudar -, como saber quais são os temas de atualidades que merecem mais atenção? Foi para ajudar você nesse sentido que pedimos a professores de cursinhos que indicassem o que é mais importante e tem mais chances de cair nas provas (incluindo a de redação).

"É bom lembrar que as provas não perguntam diretamente se o aluno sabe essas coisas; ela deduz que sim. E procura relacionar as informações com conteúdos mais tradicionais, de Geografia e História, ou mesmo de Sociologia", aconselha o professor de Geografia do Cursinho do XI, Alexandre Eneias Gobbis.

Confira a lista e uma sugestão de links com mais informações:

1. Questões ambientais

Aqui entram conceitos relacionados ao desenvolvimento sustentável e conferências da ONU sobre o Meio Ambiente (Rio +20, realizada este ano). Também é bom estar por dentro das discussões sobre o novo Código Florestal, compreendendo quais são os interesses envolvidos e as mudanças propostas.

Links para saber mais e treinar seus conhecimentos

Como a Rio+20 pode ser abordada no vestibular

Como o novo Código Florestal pode cair no vestibular (ele provavelmente será cobrado!)
Problemas Ambientais – resumo, dicas e questões de vestibular

2. Questões energéticas

Fontes alternativas de energia (aqui, pode entrar a promessa do governo alemão de fechar seus últimos reatores nucleares até 2022) e projetos polêmicos (construção da Usina de Belo Monte, por exemplo).

Links para saber mais e treinar seus conhecimentos
Como a polêmica da usina de Belo Monte pode cair no vestibular
Alemanha será 1ª potência a renunciar à energia atômica (Revista Veja)
Problemas Ambientais – resumo, dicas e questões de vestibular
Resumo de geografia: Fontes energéticas e suas relações econômicas
Combustíveis: da madeira ao biocombustível
Simuladinho – Aquecimento Global 
Quiz – Questão nuclear

3. China

"Estude as características de seu desenvolvimento econômico, sua importância para a economia internacional, quadro natural e diferenças regionais", diz o professor Célio Tasinafo, diretor pedagógico do cursinho Oficina do Estudante.

Links para saber mais e treinar seus conhecimentos
Leia um resumo sobre a China
Conheça a trajetória do Império Chinês – que, durante séculos, esteve muito à frente do Ocidente
Ásia (principais países) – resumo, dicas e questões comentadas

4. Mundo árabe-muçulmano

Estude os grupos considerados terroristas, razões do anti-americanismo e política norte-americana para a região durante o governo Obama. Irã e Síria têm grandes chances de serem cobrados nos vestibulares este ano.

Links para saber mais e treinar seus conhecimentos

Como o possível envenenamento de Yasser Arafat pode ser abordado no vestibular
Egito realiza segundo turno das eleições neste fim de semana; veja como isso pode ser cobrado no vestibular
Como a crise na Síria pode ser cobrada nas provas deste ano?
Entenda como o programa nuclear iraniano pode cair no vestibular
Europa reforça pressão com sanções contra Irã e Síria (Exame)
Irã parará exportação de petróleo em caso de novas sanções (Exame)
Saiba tudo sobre a política, a história e a economia da Síria
Confira o resumo da Primavera Árabe
Teste seus conhecimentos sobre a crise no Egito
Leia o resumo sobre Oriente Médio
Leia o resumo sobre a Revolução Islâmica
Leia o resumo sobre o programa nuclear iraniano

5. Crises econômicas e capitalismo

É importante ser capaz de fazer um paralelo entre a crise de 1929 e a de 2008. E vale dar uma atenção especial para a Comunidade Europeia. "Boa parte dos países da Europa passaram de exportadores de força de trabalho, em fins do século 19, para importadores de trabalhadores dos países subdesenvolvidos. Com o atual momento de crise geral do modo de produção capitalista, eles tendem a reduzir ao máximo os gastos com o chamado ‘estado de bem estar social’ e os benefícios dos trabalhadores", explica o professor de Geografia do cursinho do XI, Paulo Cesar Fonseca Neves.

Links para saber mais e treinar seus conhecimentos
Simuladinho: Crise econômica mundial
O que foi a Grande Depressão? (Mundo Estranho)
Entenda a crise econômica de 2008 (Superinteressante)
Quiz – União Europeia
Estados Unidos – resumo

6. A xenofobia

Outro fator importante ligado à crise econômica. "Os governos muitas vezes jogam as razões da crise na existência de muitos imigrantes que se beneficiam dos benefícios conquistados pelos cidadãos europeus, e não no modo de produção capitalista (que não tem solução fácil). A saída defendida por muitos presidentes é a expulsão dos estrangeiros", diz o professor Paulo. Nos Estados Unidos, a situação não é muito diferente e os latino americanos, na maioria mexicanos, são alvo de preconceitos.

Neste link tem tudo isso explicadinho (é só clicar): O julgamento do atirador norueguês e a xenofobia: como isso pode aparecer no vestibular

7. Eleições

"Estude os modelos político-representativos: monarquia, república, parlamentarismo, presidencialismo e seus processos eleitorais", aconselha o professor Célio Tasinafo. Em ano de eleições no Brasil, é sempre importante.

As eleições nos EUA também merecem atenção. Em meio a uma crise econômica, o presidente democrata Barack Obama disputa um segundo mandato com o adversário republicano Mitt Romney. Obama conseguiu realizar a reforma no sistema de saúde norte-americano, uma das maiores vitórias de seu mandato (embora alvo de críticas de seus oponentes). Mas o principal tema da campanha é a economia: embora o presidente afirme que o pior da crise já passou, uma vez que o país não está mais em recessão, a recuperação é modesta e o desemprego se mantém alto. Além disso, a economia norte-americana está com um enorme endividamento interno, que disparou nos últimos anos devido às guerras do Iraque e do Afeganistão e ao uso de dinheiro público para salvar empresas. Democratas e republicanos defendem propostas diferentes para para a cobrança e o uso de impostos para recuperar o crescimento da economia.

Links para saber mais e treinar seus conhecimentos
Saiba como as eleições no Brasil podem cair no vestibular
O que você precisa saber sobre a reforma da saúde nos Estados Unidos
Como o anúncio do presidente Obama de facilitar a emissão de vistos a brasileiros nos EUA pode cair no vestibular?
Relembre todos os presidentes que o Brasil já teve e os fatos importantes de cada governo

8- Questões demográficas (no Brasil e no mundo)

Estude a questão da distribuição de renda (o crescimento da chamada "nova classe C"), crescimento vegetativo, expectativa de vida e mercado de trabalho.

Continua após a publicidade

Uma boa dica é dar uma olhada no infográfico do Guia do Estudante/Almanaque Abril com os dados do último Censo. Clique na imagem abaixo para ter acesso:

O Brasil é um dos países de renda mais desigual no mundo, mas tem avançado no combate à pobreza e melhoria da distribuição de renda nos últimos anos. Essa melhora é resultado da valorização do salário mínimo e de programas de repasse direto de dinheiro à população pobre, como o Bolsa Família. Mas os indicadores ainda não são satisfatórios, já que, em 2010, mais da metade das famílias detinha renda mensal per capita de apenas um salário mínimo ou menos.

A concentração de renda no Brasil tem causas históricas: a concentração de terras nas mãos de poucos, que teve origem no sistema de capitanias hereditárias do período colonial e manteve-se na estrutura da agricultura de exportação, e provoca pobreza no campo, a migração das áreas rurais para as cidades e a favelização; a industrialização, que durante décadas foi concentrada no Sudeste e Sul; a exclusão social da população negra; e um sistema injusto de cobrança de impostos.

9- Movimentos e questões sociais

Os movimentos sociais brasileiros ganharam mais importância a partir da década de 1960, quando surgiram os primeiros movimentos de luta contra a política vigente, ou seja, a população insatisfeita com as transformações ocorridas tanto no campo econômico e social. Mas, antes, na década de 1950, os movimentos nos espaços rural e urbano adquiriram visibilidade. Hoje, as ações coletivas mais conhecidas no Brasil são o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MSTS) e os movimentos em defesa dos índios, negros e das mulheres.

Dentro deste tema, a aprovação da nova Lei de Cotas tem boas chances de aparecer no vestibular. No dia 29 de agosto, a presidente Dilma Rousseff sancionou o projeto da lei, que havia sido aprovado pelo Senado no início daquele mês. Ela estabelece que 50% das vagas das universidades federais serão destinados a alunos que estudaram na rede pública de ensino. A seleção será feita via Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e a lei deve começar a ser aplicada nos vestibulares ainda no fim deste ano.

Links para saber mais e treinar seus conhecimentos
Entenda como a reintegração de posse de Pinheirinho pode cair no vestibular
Como as cotas podem cair no vestibular
Feministas de topless: o movimento Femen pode cair no vestibular?
Confira o resumo sobre a Urbanização no Brasil
Simulado sobre a questão agrária no Brasil

10- Efemérides

Fique de olho em marcos importantes da História que completam um número redondo de anos em 2012 (como centenários). Veja uma lista de efemérides importantes:

– 80 anos da morte de Santos Dumont
Admirado no mundo inteiro pelo gênio inventivo e considerado o "pai da aviação", o brasileiro Alberto Santos Dumont nasceu em 20 de julho de 1873 e suicidou-se e, 23 de julho de 1932, aos 59 anos, tomado pela extrema tristeza de ver os aviões sendo usados como arma nas guerras. Na Primeira Guerra Mundial (1914 – 1918), Dumont apelou até mesmo à Liga das Nações (entidade que antecedeu a ONU) para tentar proibir esse uso. O mesmo ocorreu durante a Revolução Constitucionalista de 1932, que opôs tropas paulistas às do governo Vargas.

>>Saiba mais sobre a era Santos Dumont

– 90 anos da Semana de Arte Moderna
Realizada em São Paulo em fevereiro de 1922, a Semana de Arte Moderna inaugurou o modernismo brasileiro e marcou fortemente a arte contemporânea nacional. Participaram dela nomes como Mário de Andrade, Menotti del Picchia, Manuel Bandeira, Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti e Heitor Villa-Lobos. A mensagem era objetiva: os ideais estéticos do século 19 precisavam ser superados.

A Semana de 22 ocorreu em em um cenário de agitação política: no movimento tenentista, deflagrado no mesmo ano, jovens oficiais combatiam o modelo autoritário de governo. O Brasil vivia a República Velha, controlada pelas oligarquias rurais e pela política do café com leite. A populaçao urbana crescia, começava a implantação de indústrias e a classe operária passava a exigir melhores condições de trabalho. Com tudo isso, o novo homem urbano se tornava objeto de interesse dos artistas.

>>Neste game, você deve ligar os símbolos do evento aos seus respectivos pares. Clique para jogar.

– 100 anos da Guerra do Contestado
>>Saiba mais sobre o conflito

– 100 anos do nascimento de Nelson Rodrigues
>>Leia análise de "Anjo negro", obra deste que foi considerado o maior dramaturgo brasileiro de todos os tempos
>>Leia análise de "Vestido de Noiva"

– 100 anos de Jorge Amado
Entre as características literárias do autor destacam-se o regionalismo, o coronelismo, a retratação da emancipação da mulher e da exclusão social no Sertão e nas cidades nordestinas.

>>Jogue e estude Capitães da Areia, de Jorge Amado
>>Veja dicas de dois filmes e duas histórias em quadrinhos para aprender mais sobre a obra
>>Saiba mais sobre o livro Capitães da Areia, de Jorge Amado
>>"Capitães da areia" – análise da obra de Jorge Amado

– 25 anos da morte de Carlos Drummond de Andrade
>>Sentimento do Mundo – Análise da obra de Carlos Drummond de Andrade

– 120 anos de Graciliano Ramos
>>Estude as obras literárias da Fuvest – Vidas Secas
>>"Vidas secas" – Análise da obra de Graciliano Ramos

– 80 anos da Revolução de 1932

>>Relembre os pontos mais importantes do conflito e como ele pode cair no vestibular

– 35 anos da morte da escritora Clarice Lispector

>>"A hora da estrela" – Análise da obra de Clarice Lispector
>>"Felicidade Clandestina" – resumo e análise da obra de Clarice Lispector

– 45 anos da morte de Guimarães Rosa
>>Sagarana – resumo e análise da obra de Guimarães Rosa
>>"Grande Sertão: Veredas" – Resumo da obra de Guimarães Rosa
>>Viagem de Guimarães Rosa ao grande sertão rendeu obras da literatura

– Jubileu de Diamante da Rainha Elizabeth II que marca o 60.º aniversário da sua ascensão ao trono do Reino Unido, Canadá, Austrália e Nova Zelândia.
Trecho da matéria "Elizabeth II: A cara da coroa", publicado na revista Aventuras na História de fevereiro de 2007:

No início de seu reinado, há 60 anos, a rainha era bem mais popular. Em um tempo em que o Império Britânico não era mais o mesmo, ofuscado pela ascensão dos Estados Unidos e da União Soviética, Elizabeth II rodou o mundo para resgatar o carisma da coroa. Em 1953, passou seis meses viajando pelos países da Commonwealth (união de nações que já pertenceram ao Reino Unido), o que a tornou a primeira monarca inglesa a pisar na Austrália e na Nova Zelândia. E ela não parou por aí, sendo também a primeira a visitar a América do Sul – nos 12 dias que passou no Brasil, em novembro de 1968, Elizabeth II inaugurou a nova sede do Masp (Museu de Arte de São Paulo) e foi ao Rio de Janeiro ver Pelé jogar no Maracanã.

Embora seja considerada aberta às inovações na monarquia – permitiu que a TV transmitisse cenas da vida doméstica da família real pela primeira vez, em 1970, e perdoou o divórcio da irmã, em 1978 -, os escândalos gerados pelo divórcio do seu filho Charles com a princesa Diana nas décadas seguintes foram demais para ela. Ainda assim, boa parte dos súditos torce para que a rainha permaneça no cargo por mais tempo. Como o próximo da lista é seu filho Charles, considerado bem mais insosso que a mãe, muitos ingleses preferem que a coroa seja transmitida diretamente para o neto William, filho de Diana.

Continua após a publicidade
Publicidade