Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Com mais interpretação, prova da Unicamp segue criativa e atual

Confira como cada disciplina foi cobrada, o nível de dificuldade e temática, na prova desta quarta-feira (6)

Por Juliana Morales Atualizado em 6 jan 2021, 21h45 - Publicado em 6 jan 2021, 21h27

Os candidatos de Humanas e Exatas que realizaram a prova da primeira fase da Unicamp 2021, nesta quarta-feira (6), não tiveram grandes surpresas. A Comvest manteve a tradição de elaborar uma avaliação atual, coerente e criativa – como fez no ano passado, inclusive. Além disso, cumpriu a promessa de trazer, diante dos desafios da pandemia, uma prova mais acessível e com bastante interpretação. Não é à toa que a qualidade da prova rendeu elogios à banca.

Para Daniel Perry, diretor do Curso Anglo, a primeira prova deste ano da Unicamp foi bastante criativa, sofisticada e analítica. “Ela indica o tipo de aluno que a universidade deseja: alguém bem informado com capacidade crítica, atento às questões sociais, que valoriza a ciência”.

Luís Gustavo Megiolaro, diretor-adjunto das Unidades Escolares do Poliedro, elogiou a capacidade da Unicamp de contextualizar diversos assuntos fortes de 2020, como o feminismo e o desmatamento, em diferentes áreas do conhecimento.

  •  

     

    Os dois especialistas deram mais detalhes da prova em relação a cada disciplina, apontando o nível de dificuldade, a distribuição de temas e as características das perguntas. Esse ano, com as adaptações por conta da pandemia, não foram cobradas questões interdisciplinares.

    Química

    A disciplina teve a prova mais difícil. Além de exigir muita interpretação, apresentou gráficos não convencionais, e cobrou poucas contas.

    Matemática

    Luís afirma que a prova de matemática cobrou questões bem distribuídas entre fácil, médio e difícil. “Os alunos podem ter tido maior dificuldade em algumas perguntas mais complicadas de Geometria”, aponta o diretor.

    Continua após a publicidade

    Perry diz que a prova foi bem elaborada e com uma boa abrangência de temas: análise combinatória, equações, porcentagens, função, geometria plana e geometria espacial.

    Física

    A prova de física foi considerada uma prova fácil, sem grandes contextualizações – mais simples que anos anteriores. Também teve uma boa distribuição de temas, mas com predominância de mecânica.

    Biologia

    Biologia também teve nível fácil. Foi uma prova marcada por muitas imagens e diversos temas clássicos, como evolução, ecologia e botânica.

    Português

    A prova de Português, como era de se esperar, foi muito interpretativa e teve como destaque análise de discurso. O nível de dificuldade foi médio.

    História

    Segundo Perry, a prova de História foi muito criativa, sofisticada, e de alto nível. “Exigia uma leitura atenta e rigorosa do enunciado e tratou diversos temas, da Idade Antiga a Idade Contemporânea”. Entre as temáticas abordadas, aparece a migração, o feminismo, o racismo e a ressignificação de símbolos.

    Geografia

    De nível médio de dificuldade, a prova de Geografia apostou na interpretação de mapa e gráfico. Alguns assuntos cobrados foram: globalização, concentração de renda, relação Brasil e China, geografia urbana, clima e cartografia.

    Inglês

    “A prova de Inglês foi considerada uma prova difícil e bastante diversificada. Era composta por muitos textos, havia infográfico, e tinha uma conotação social na abordagem dos temas”, explica Perry.

    Em resumo, como Luís Gustavo explica, “o aluno que tinha conceitos mais básicos e essenciais não teria problema em realizar essa prova. Mas foi uma avaliação que exigiu bastante concentração, leitura e interpretação”.

  • Prepare-se para o Enem sem sair de casa. Assine o Curso Enem do GUIA DO ESTUDANTE e tenha acesso a centenas de videoaulas com professores do curso Poliedro.

    Continua após a publicidade
    Publicidade