logo-ge

8 cursos para quem gosta de ajudar o próximo

Desde a área da saúde até a de educação, são diversas opções para quem quer impactar a vida das pessoas

Imagine trabalhar com algo que permita você ajudar uma pessoa a se curar de uma doença, a resolver algum distúrbio psicológico, a aprender algo para chegar mais perto de um sonho ou mesmo a provar que está sendo injustamente acusada de um crime que não cometeu. E aí, se interessou? Se ter um impacto positivo na vida do próximo é algo fundamental para você ao construir sua carreira, temos algumas opções de cursos para sob medida.

É claro que praticamente todas as profissões permitem que você ajude outra pessoa de uma forma direta ou indireta. Mas selecionamos aqui aquelas em que essa característica é mais explorada e o contato com o outro é maior. Confira:

Enfermagem

Junto com outros profissionais, como médicos, fisioterapeutas e psicólogos, o enfermeiro se dedica a manter e restabelecer a saúde das pessoas. Em contato direto e constante com pacientes, ele pode atuar em hospitais, clínicas ou prestar atendimento domiciliar. 

Na área hospitalar, seu principal papel é coletar dados sobre o estado de saúde do paciente e definir a conduta a ser seguida pela equipe de enfermagem. Também é responsável por higiene, alimentação, administração de remédios e curativos. E muitas vezes o enfermeiro ajuda os familiares e amigos dos pacientes, dando orientações práticas e oferecendo apoio emocional. 

Medicina

O médico investiga a natureza e as causas das doenças, preocupando-se tanto com a cura quanto com a prevenção. Tendo a saúde humana como o objeto de estudo, ele pesquisa, previne e trata disfunções e moléstias. Para isso, é imprescindível que esteja sempre bem informado e atualizado a respeito de novas drogas, procedimentos e tecnologias.

As especializações são diversas e o profissional faz diagnósticos, pede exames, prescreve medicamentos e realiza cirurgias. Pode atuar em hospitais, clínicas, postos de saúde, equipes de saúde da família e empresas e/ou ter seu próprio consultório.

Psicologia

O psicólogo diagnostica, previne e trata doenças mentais, distúrbios emocionais e de personalidade. Por meio da análise de atitudes, sentimentos e mecanismos mentais do paciente, este profissional procura ajudar as pessoas a identificarem as causas dos problemas e a superarem traumas, problemas pessoais, compulsões e se dedicarem ao equilíbrio físico e mental. 

Para isso, ele estuda os fenômenos psíquicos e de comportamento do ser humano por meio da análise de suas emoções, suas ideias e seus valores. 

Quem se forma em psicologia pode trabalhar em consultórios, hospitais e mesmo em escolas, na área de orientação educacional, ou em empresas, em conjunto com a equipe de Recursos Humanos, para promover o bem-estar dos funcionários ou ajudando candidatos a encontrarem a vaga ideal.

Terapia Ocupacional

Por meio de tecnologias e atividades diversas, o terapeuta ocupacional busca promover a autonomia de indivíduos com dificuldade de integrar-se à vida social devido a problemas físicos, mentais ou emocionais. Ele pode, por exemplo, elaborar planos de reabilitação e adaptação, para desenvolver autoconfiança nos pacientes. 

Esse profissional atua em clínicas, casas de repouso, hospitais, instituições geriátricas, psiquiátricas e penais, centros de reabilitação, creches, empresas e em domicílios.

Serviço Social

O assistente social faz o planejamento e a execução de políticas públicas e de programas sociais voltados para o bem-estar coletivo e a integração do indivíduo na sociedade. Ele analisa e propõe ações para melhorar as condições de vida de crianças, adolescentes e adultos em situação de vulnerabilidade social ou que tenham seus direitos violados.

Ele pode criar campanhas de alimentação, saúde, educação e recreação, além de implantar projetos assistenciais. Também pode atuar na promoção do bem-estar e na defesa de direitos de crianças e adolescentes que sofreram violência, abandono ou estão à espera da adoção. E são fundamentais em penitenciárias para a reintegração de ex-detentos na sociedade. 

Pedagogia

O licenciado em Pedagogia trabalha para garantir e melhorar a qualidade da educação, dominando métodos de ensino e a condução dos assuntos educacionais. 

O profissional tem dois grandes campos de atuação: a administração de escolas e a atuação como professor. Ou seja, pode tanto gerenciar e supervisionar o sistema de ensino e orientar professores e alunos quanto dar aulas. Em sala de aula, leciona nas séries iniciais do Ensino Fundamental e acompanha e avalia o processo de aprendizagem e as aptidões de cada estudante. 

No governo, o pedagogo pode ajudar a formular, implementar e fiscalizar o cumprimento das políticas de ensino em todo o país. Além disso, o graduado está habilitado a trabalhar com a inclusão de pessoas com necessidades especiais ou educação a distância.

Fisioterapia

O fisioterapeuta ajuda pessoas que sofreram lesões ou que estão com limitações físicas a recuperarem os movimentos por meio de diversas técnicas, como exercícios, massagens, tratamentos à base de água, calor, frio e aparelhos específicos.

Ele diagnostica e trata problemas causados por alterações genéticas, doenças adquiridas, acidentes ou vícios de postura, aplicando terapias para restaurar, desenvolver e manter a capacidade física e funcional do paciente. 

Além de ajudar na recuperação de acidentados e pessoas com distúrbios neurológicos, cardíacos ou respiratórios, trabalha com idosos, gestantes, crianças e pessoas com deficiência física ou mental. Também pode atuar na área esportiva, na qual acompanha os atletas, avalia o condicionamento físico de cada um e prescreve tratamentos.

Direito

Quem se forma em Direito e decide atuar como advogado, defende os interesses de cliente sem diversos campos. Já como juiz, resolve litígios entre indivíduos ou empresas, analisando os conflitos com base no que está estabelecido na Constituição e regulamentado pelas leis.

Entre as diversas área de atuação, o advogado pode trabalhar com defesa do consumidor, ajudar pessoas que sofreram danos diversos (físicos, morais, financeiros) e prestar assistência a encarcerados, por exemplo.

Na área da defensoria pública é possível auxiliar pessoas que não tenham condições financeiras para pagar um advogado.