Assine Guia do Estudante ENEM por 15,90/mês
Continua após publicidade

O drama da 2ª Guerra Mundial retratado por uma fábula em quadrinhos

Em Maus, Art Spiegelman, de família judaica, narra a história de seus pais em meio à guerra, numa fábula na qual os personagens são animais

Por Paulo Zocchi
5 jan 2024, 10h41

O quadrinista norte-americano Art Spiegelman conseguiu uma proeza em 1992, quando venceu o Prêmio Pulitzer com sua história em quadrinhos Maus. Foi a primeira vez que uma HQ ganhou o prêmio, referência mundial em jornalismo, literatura e música. Maus é uma obra-prima, que merece ser lida por quem queira conhecer melhor o horror da guerra.

Maus (rato, em alemão) narra a saga dos pais do autor, judeus poloneses, para sobreviver ao Holocausto – o extermínio nos campos de concentração nazistas –, no cenário terrível da Segunda Guerra Mundial. Com base nos relatos que recolheu do pai, Vladek, Spiegelman constrói uma alegoria, em que os judeus são ratos; os poloneses, porcos; os alemães, gatos; e os norte-americanos, cachorros.

+ O Diário de Anne Frank: a história da menina que viveu o Holocausto

Com essa maneira original e singular de abordar uma duríssima realidade, Spiegelman elabora uma narrativa atraente, quase impossível de não ser lida de uma só vez. Mesmo retratadas como animais, as personagens são construídas de forma profunda e complexa. Têm personalidades marcantes, graças à brilhante associação que o autor faz entre texto e imagem.

Continua após a publicidade

A história começa antes mesmo de o nazismo emergir na Europa, seguindo a narrativa feita por Vladek, já idoso. Ele conta como conheceu a esposa, Anja, e tiveram o primeiro filho. No período pré-guerra, a família ouvia os boatos terríveis sobre os nazistas na Alemanha, até o conflito engolfar a Polônia e, ao final, a família ser enviada para o campo de concentração de Auschwitz. Lá, o menino morre. Art Spiegelman, nascido em 1948, não conheceu o irmão mais velho. Seus pais sobreviveram, mas tiveram a vida profundamente marcada pela insana experiência.

Ao lermos Maus, vemos surgir toda a dimensão da opressão e da crueldade nazistas, do horror da Segunda Guerra Mundial e da perseguição e extermínio dos judeus, o que leva o leitor a refletir sobre vários aspectos dos acontecimentos narrados. Originalmente, a obra foi publicada em duas partes, com cinco anos de distância entre elas. A edição brasileira, da Companhia das Letras, traz a história completa.

Maus

Clássico contemporâneo dos quadrinhos, Maus é um relato comovente sobre Auschwitz e um acerto de contas do artista com o pai. Única história em quadrinhos a receber o Prêmio Pulitzer.

Busca de Cursos

Continua após a publicidade
Compartilhe essa matéria via:

Entre no canal do GUIA no WhatsApp e receba conteúdos de estudo, redação e atualidades no seu celular!

Prepare-se para o Enem sem sair de casa. Assine o Curso GUIA DO ESTUDANTE ENEM e tenha acesso a todas as provas do Enem para fazer online e mais de 180 videoaulas com professores do Poliedro, recordista de aprovação nas universidades mais concorridas do país. 

Publicidade
O drama da 2ª Guerra Mundial retratado por uma fábula em quadrinhos
Repertório Cultural
O drama da 2ª Guerra Mundial retratado por uma fábula em quadrinhos
Em Maus, Art Spiegelman, de família judaica, narra a história de seus pais em meio à guerra, numa fábula na qual os personagens são animais

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se você já é assinante faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

DIGITAL
DIGITAL

Acesso ilimitado a todo conteúdo exclusivo do site

A partir de R$ 9,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.