Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

‘Fui mal no Sisu. E agora?’

Você pode aproveitar aprendizados do ano passado para conseguir um resultado melhor da próxima vez. Confira as dicas

Por Julia Di Spagna 16 abr 2021, 14h30

O sentimento ao não ver o nome na lista de aprovados é algo extremamente doloroso para um vestibulando. Com o baque de não conseguir um bom resultado no Sisu, é normal se sentir desmotivado ou questionar todo o esforço realizado no último ano. Afinal, a dedicação foi intensa e sua expectativa era outra.

Sem contar que, em 2020, não foi nada fácil conciliar as mudanças e desafios impostos pela pandemia com os simulados, aulas online, dúvidas por chats, a distância dos colegas e exercícios mais exercícios. 

Segundo Marcio Guedes, coordenador do Poliedro Curso, de São José dos Campos, o primeiro passo é digerir a perda. “Quando o aluno se prepara, se esforça e o resultado vem negativo, é muito desgastante. Ele se sente incapaz, fica com incertezas. Mas o grande objetivo (a aprovação) não pode ser perdido de vista. É preciso sentir e, depois, seguir em frente”, diz. 

”É importante reforçar que, para cursos concorridos, a maioria dos estudantes não conseguirá aprovação na primeira tentativa, ou seja, faz parte deste momento não passar e precisar retomar a luta”, afirma Alfredo Terra Neto, orientador pedagógico da Oficina do Estudante, de Campinas. A dica do especialista é perguntar para aqueles vestibulandos que não conseguiram passar de primeira, se eles se arrependem de ter tentado uma segunda ou terceira vez. Spoiler: eles dirão que valeu a pena.

Não foi um ano perdido

E nada de achar que foi “um ano jogado fora”. Os aprendizados e experiências adquiridos serão valiosos nos próximos meses. 

Lembre-se que o crescimento acadêmico ocorre aos poucos. Por isso, para quem se dedicou em 2020, muita coisa será aproveitada. “Os estudantes precisam ter consciência que o processo de aprendizagem é acumulativo, então ‘o que eu aprendi o ano passado e ficou consolidado, será aproveitado este ano e me permitirá/auxiliará na evolução de outros pontos e conceitos. Aquilo que não aprendi, precisarei dar mais atenção para crescer este ano’”, diz Neto.  

Vale destacar que o mundo virtual predominou em 2020, exigindo que todos se adaptassem a uma realidade inédita. Em 2021, as coisas tendem a ser parecidas nesse sentido, mas com uma grande diferença: você já lidou com isso ano passado. “Ficar no online, em aula gravada ou ao vivo, tirar dúvida pelo chat… nada disso é novidade. Dá para aproveitar a experiência obtida nesse cenário com os estudos em casa e sentir que o esforço não foi em vão”, explica Guedes. 

  • O que fazer agora?

    Depois de superar o resultado, chega o momento de agir. Para isso, separamos algumas dicas para te ajudar. Confira:

    Não desanime

    Em um primeiro momento, como já explicamos acima, é importante digerir a não aprovação. Independentemente de ser a primeira, segunda ou terceira tentativa, o impacto é grande, mas é importante refletir sobre os desafios enfrentados em um ano pandêmico, a acirrada concorrência que é o vestibular e diversos fatores que podem ter impactado a sua nota. 

    “Não ter ido bem no Sisu não significa que o estudante não é capaz. A gente está falando de um sistema muito delicado, onde milhões e milhões de estudantes disputam poucas vagas. A competição é realmente muito apertada. Então não desanimar de forma alguma é a primeira dica importantíssima”, diz Guedes.

    Continua após a publicidade

    Avalie erros e acertos no Enem

    Quem teve um resultado ruim no Sisu deve verificar o desempenho no Enem 2020. A análise minuciosa dos resultados é o que permite a criação de uma rota de estudos coerente e específica para um bom desempenho nas provas de 2021. 

    É importante olhar para a prova e analisar os erros e acertos. Poucos estudantes avaliam as questões que acertaram, mas é fundamental checar se a resposta não foi um chute e se está coerente com o que estudou. Já os erros devem ser separados de acordo com o motivo: distração, ansiedade, falta de tempo ou falta de conhecimento sobre o tema.

    “Parece uma coisa boba, mas a maioria dos alunos não faz este tipo de análise”, afirma Neto. 

    Avalie erros e acertos nos estudos 

    Segundo Guedes, um olhar crítico em relação ao último ano pode ajudar muito na “nova” preparação. Analise o que pode ter dado errado e como você pode melhorar. Será que assistir as aulas gravadas em horários diferentes é a melhor estratégia? Além de descansar, será que as férias e feriados também não poderiam ajudar a colocar a matéria em dia? Com que frequência você treinava redação? Você levou os simulados a sério? Que outras técnicas para a realização de prova você pode experimentar?

    Avalie também o que funcionava bem para você e pode ser aprimorado, além de aproveitar materiais, anotações e resumos. 

    Crie um plano de ação 

    Depois de avaliar essas questões, é hora de colocar tudo em prática. Foque no novo projeto, no que pode fazer de diferente esse ano, organize seu espaço de estudos e evite pensar na perda.

    “É preciso montar um bom plano e seguir com dedicação e firmeza, concentrando-se no agora, naquilo que é necessário hoje, para que a aprovação ocorra no início do próximo ano”, finaliza Neto.

    Quero Bolsa | Procurando por Bolsas de Estudo para graduação, pós-graduação ou técnico?! Garanta uma Bolsa de Estudo de Até 75% nas Mensalidades. Saiba mais!

    Continua após a publicidade
    Publicidade