Clique e assine GE Play por R$16,90

Primeira prova do Enem 2018 exige a capacidade de interpretação de texto

Neste domingo (4), os candidatos enfrentaram as questões de Ciências Humanas e Linguagens e a redação sobre a manipulação de usuários na internet

Por Da redação - Atualizado em 5 nov 2018, 16h26 - Publicado em 5 nov 2018, 16h18

O primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018, deste domingo (4), exigiu bastante capacidade de interpretação de textos dos candidatos, segundo especialistas.

Nas questões foram cobradas leituras de fotos, gravuras, pinturas, além de outros gêneros textuais, como charges, poemas e propagandas.

Para o coordenador do Curso Poliedro Vinicius de Carvalho Haidar, o exame apresentou o nível já observado em outras edições. “Prova exigente e com nível de dificuldade parecido com a do ano passado. Talvez só um pouco mais difícil. O aluno precisava saber o conteúdo.”

Haidar ainda considerou que se o estudante resolveu, pelo menos, o Enem de 2017, não se surpreendeu. “Agora se o aluno não fez nenhum, encontrou dificuldades.”

Renan Garcia Miranda, diretor do Curso Anglo, também observou que o Enem manteve o mesmo grau de complexidade: “Até varia o que está mais difícil de uma matéria para outra, mas quando se avalia o conjunto da prova é possível perceber que o padrão do exame continua. É uma prova com identidade, personalidade. Isso é bom para o aluno, por ser democrático”, disse.

Estilo das questões

De acordo com Miranda, o que mais chamou a atenção no Enem 2018 foi a presença da temática social durante a prova toda. “Tinha questões sobre direitos civis, direitos humanos, feminismo, movimento negro”, falou. 

Em Ciências Humanas, filosofia foi a parte mais complexa do exame. “Textos muito densos, os extratores (questões incorretas) são muito completos. O aluno tem que ler os textos com muita atenção pra conseguir eliminar as alternativas e chegar na correta”, explicou o coordenador do Curso Anglo.

Continua após a publicidade

Já em linguagens, artes e literatura foram as matérias mais cobradas, pedindo a interpretação de obras contemporâneas.

Para ambos os coordenadores, o tempo de 5h30 é suficiente para realizar o exame, mas o candidato deve estar bem treinado. “É preciso ter feito as edições anteriores, se deparar com a situação de já ter feito uma prova nesse tempo e com 3 minutos para cada questão”, falou Miranda.

Redação

A maior surpresa do Enem continua sendo a prova de redação, que teve como tema a manipulação de usuários na internet.

A proposta foi diferente, porque não trouxe a questão de minorias, como vinha acontecendo nos últimos anos. Talvez mais fácil para boa parte dos candidatos por ser um tema atual, mas ao mesmo tempo traz o obstáculo de como sair do senso comum e encontrar uma proposta de intervenção”, disse Haidar. 

“O tema da redação é excelente, porém o aluno tem que tomar cuidado para não fugir do tema. Se ele começar a desviar e começar a falar de fake news e coisas do gênero, vai desfocar do tema central que é como esses sites e portais lidam com os dados das pessoas que transitam neles”, avaliou Miranda.

Dicas para o segundo dia

Para a prova do segundo dia do Enem, composta por 45 questões de Ciências da Natureza e 45 questões de Matemática e sua Tecnologias, os dois especialistas recomendam que os participantes continuem se preparando.

“O importante é o estudante manter uma rotina e ter boas noites de sono. A segunda prova promete ser exigente”, disse Haidar.

Miranda também complementa: “Vale a pena o candidato revisar. Não adianta fazer resumos, o melhor é treinar com questões esta semana, já que o exame exige muita habilidade”.

Continua após a publicidade
Publicidade