Clique e assine GE Play por R$16,90

“A Chegada”: saiba como utilizar o filme no vestibular

Explore o enredo e enriqueça seu repertório

Por Julia Di Spagna - Atualizado em 30 abr 2019, 18h31 - Publicado em 31 Maio 2018, 07h00

A ideia desta série de matérias é permitir que você consiga desenvolver um repertório mais amplo e um pensamento crítico mais aguçado com base nas diversas camadas que a sétima arte pode apresentar. As análises dos filmes que faremos aqui buscam mostrar certas relações entre o enredo e temas contemporâneos que podem ser abordados na redação e em outras questões do Enem e dos principais vestibulares do Brasil.

“A Chegada” é um filme de ficção científica baseado no conto Story of your life, de Ted Chiang. Nele, seres extraterrestres chegam em doze naves e pousam em diferentes pontos na Terra.

A partir de então, os governos de cada país tentam se comunicar com esses seres e descobrir qual a sua real intenção. Os norte-americanos pedem a ajuda da linguista Louise Banks e do físico Ian Donnelly para essa tarefa.

Na tentativa de descobrir se os alienígenas são ameaças para os seres humanos e para o planeta, os pesquisadores dos Estados Unidos e de outras 11 equipes espalhadas pelo globo correm contra o tempo para tentar traduzir os sinais que recebem.

Aos poucos, Louise vai desvendando os mistérios dessa comunicação, mas precisa superar certos empecilhos pelo caminho.

O medo do desconhecido que afeta a população de maneira geral, interesses políticos, a corrida pela supremacia e diferenças culturais dificultam seu trabalho e aumentam a pressão para conseguir aprofundar o contato com esses seres o mais rápido possível – antes que a humanidade entre em colapso.  

É possível explorar “A Chegada” a partir de diversos aspectos. Conversamos com Carolina Achutti, professora de redação do Anglo, para estabelecermos os principais e qual a melhor forma de aplicá-los na hora da prova.

Lutar X Comunicar

As diversas nações que encaram o desafio de tentar descobrir o que os seres extraterrestres vieram fazer na Terra enfrentam um grande dilema: insistir na comunicação ou atacar?

Mais do que um foco apenas na cognição, o filme traz à tona a importância da comunicação para o mundo real e para a resolução de conflitos em nível global. As disparidades bélicas e tecnológicas exigiam uma postura voltada para a comunicação, segundo alguns personagens.

Entretanto, nem todos os países concordaram com essa ideia e seguiram outro rumo: a guerra.

Embora a circunstância apresentada pelo filme seja algo distante, a situação como um todo não foge muito de vários problemas enfrentados por diversos países na contemporaneidade.

Reflita sobre um exemplo concreto e atual: os embates entre Estados Unidos e Coreia do Norte. Saiba mais sobre a relação entre os líderes desses países no link.

Diferentes tipos de saber

No filme, observamos a necessidade da colaboração entre diversos especialistas para estabelecer uma comunicação com os alienígenas.

O destaque vai para uma linguista e um físico, que se ocupam de áreas diferentes do conhecimento. Cada um tem sua contribuição e importância para a causa.

A compreensão da linguagem dos extraterrestres exige uma série de habilidades. Seja, por exemplo, a percepção de padrões nos símbolos utilizados (algo em que Ian seria útil) ou o próprio reconhecimento de algum elemento em si a partir da semelhança com outras línguas (partindo da especialidade de Louise). Ambos conhecimentos poderiam ajudar no principal objetivo das nações.

Os dois personagens mostram a necessidade de superar as barreiras acadêmicas e estabelecer pontes entre os vários tipos de saber.

Abordagens de comunicação

É possível notar as diferentes formas que cada país adota para tentar estabelecer um diálogo com os seres extraterrestres.

Um dos pontos altos do filme ocorre quando os norte-americanos descobrem que outro país tentava se comunicar a partir de um jogo. O problema dessa abordagem, segundo Louise, é que assim os alienígenas só enxergariam a relação com os humanos de uma maneira: ganhar ou perder.

As diferentes formas de comunicação podem causar os mais variados efeitos e os personagens buscam utilizá-las como uma grande ferramenta para construir uma relação com os novos seres e proteger o planeta.

Negociações internacionais

Continua após a publicidade

Fica clara a importância da comunicação e de um consenso entre as nações para que os objetivos em prol do bem da humanidade sejam alcançados. Nesse sentido cabe refletir sobre a importância de órgãos estabilizadores, como a Organização das Nações Unidas (ONU).

Seja para impedir ou atenuar conflitos já existentes, eles são necessários para manter a ordem e evitar que alguma nação domine outras.

Desconstrução das concepções de tempo e espaço

Uma das ideias trazidas pelo enredo da obra desafia as certezas do homem em relação a noções que fazem parte da nossa realidade: o tempo e o espaço.

A compreensão de Louise sobre o sistema de escrita dos alienígenas afeta o jeito que ela percebe o tempo.

Isso parte da hipótese de Sapir-Whorf. Proposta nos anos 1930 por Edward Sapir e Benjamin Lee Whorf, a teoria defende que a estrutura e o vocabulário de uma língua são capazes de moldar os pensamentos e percepções de seus falantes. Logo, cognição e língua seriam aspectos indissociáveis.

Ficou na dúvida de como esse conteúdo poderia ser aplicado na sua redação? Vamos ajudá-lo nessa missão.

É impossível prever qual será a proposta dos vestibulares. Entretanto, seja qual for o tema, se você estiver munido de diversos exemplos e relações relevantes na hora da prova o resultado será muito melhor do que imagina.

No caso do filme “A Chegada”, é importante identificar os principais tópicos, como a importância da comunicação, a questão das negociações internacionais e as barreiras do academicismo, por exemplo, e memorizar algumas cenas que exemplifiquem as situações.

Você não precisa assistir ao filme com um caderno fazendo várias anotações. O importante é entender o enredo como um todo e refletir sobre determinados acontecimentos que achar adequados. Se quiser, anote alguns tópicos e pesquise mais sobre os temas que achar mais pertinentes ou que tiver alguma dificuldade.  

Selecionamos algumas propostas de redações de vestibulares de anos anteriores em que você poderia utilizar seus conhecimentos sobre o filme para desenvolver o tema, tanto em termos de relações estabelecidas quanto em forma de exemplos.

Fuvest 2009 – Fronteiras

A proposta pedia que o estudante escolhesse alguma das ideias trazidas pela coletânea sobre fronteiras e dissertasse sobre o tema.

“Além do significado geográfico, físico, o termo ‘fronteira’ é utilizado também em sentido figurado, especialmente, quando se refere a diferentes campos do conhecimento. Assim, existem fronteiras psicológicas, fronteiras do pensamento, da ciência, da linguagem etc”.

Com base nesse trecho oferecido pela banca, o vestibulando poderia utilizar o filme na construção do seu texto. O enredo mostra como superar barreiras acadêmicas, por exemplo, é importante para conquistar objetivos maiores.

Tanto as fronteiras construídas pelo excesso de academicismo quanto as construídas pelas diferentes linguagens que impediam que a comunicação ocorresse de forma natural seriam válidas aqui.

Mencione, exemplifique e não se esqueça de desenvolver as ideias de uma maneira mais aprofundada com base no encaminhamento que busca construir no seu texto.

Fuvest 2004 – Diferentes concepções do tempo

Cada pessoa estabelece uma relação diferente com a passagem do tempo. Algumas delas são apresentadas na coletânea da proposta.

O estudante pode utilizar o filme, não como um exemplo direto de como esse conceito é trabalhado, mas para refletir sobre como ele é maleável dependendo de diferentes pontos de vista.

Após assistir ao filme, faça, por exemplo, um pequeno levantamento de quantos conflitos da história da nossa sociedade podem ser relacionados com o seguinte trecho da coletânea: “ela (a história) passou a ser mais importante para nosso entendimento de mundo do que anteriormente”.

As ligações entre o passado e suas implicações diretas no presente também são trabalhadas no filme “Uma História de Amor e Fúria”. Veja no link.

Filme: A Chegada
Ano:  2016
Direção: Denis Villeneuve

Continua após a publicidade
Publicidade