logo-ge

Passou na faculdade e vai precisar se mudar de cidade? Saiba o que fazer

Amadurecimento e novos desafios com certeza farão parte da nova rotina

Entrar na universidade é por si só uma experiência que irá modificar a vida de um estudante. Serão novas responsabilidades, uma maior autonomia em relação aos estudos e as decisões que tomar irão influenciar a sua carreira.

Além de todas essas questões, muitos jovens encaram um desafio extra: mudar-se para outro estado ou cidade, onde fica a universidade na qual foram aprovados. Qual a maior dificuldade? Como se organizar? O que essa experiência pode oferecer de melhor? Essas são algumas perguntas que podem surgir. Ajudaremos você a respondê-las. 

Os desafios

Segundo Daniel Cecílio, coordenador pedagógico do Colégio Oficina do Estudante, de Campinas (SP), um dos maiores desafios que os estudantes que se mudam de estado enfrentam está ligado predominantemente aos aspectos pessoais. “Eles deixarão a convivência familiar diária, o que pode gerar aquela saudade, às vezes dolorida, da comida da mãe, do cachorro, do quarto, antigos amigos etc., e a distância aumenta a chance dos reencontros serem pouco frequentes ao longo do ano letivo”, explica. 

“É preciso estruturar muito bem a cabeça para lidar com essas mudanças, porque não necessariamente ele deixará de ter isso tudo em sua vida, mas a relação será bem diferente”, completa Renan Miranda, diretor pedagógico do Anglo Vestibulares. 

Ele ressalta que é importante que o estudante busque conversar com pessoas que passaram por esse processo para saber o que terá de enfrentar. Além disso, segundo Renan, a cultura brasileira varia de cidade para cidade e de estado para estado, e lidar com essas diferenças culturais é uma das maiores dificuldades de adaptação. 

Outra coisa que pode impactá-lo nesse primeiro momento é o fato do jovem precisar assumir algumas responsabilidades que não tinha antes (quando vivia na casa dos pais). “Precisará aprender a se organizar, por exemplo, para pagar as contas domésticas, fazer compras, organizar as próprias finanças, cuidar da limpeza da casa ou da república e outras tarefas domésticas que eventualmente não fazia antes”, diz Daniel. 

Mas lembre-se que tudo isso é desafiador no começo, mas também traz grandes aprendizados e crescimento pessoal ao longo do tempo.

As vantagens são muitas

Também é possível tirar muito proveito dessa mudança. Daniel explica que, como o estudante estará mais distante dos seus vínculos afetivos, existirá uma tendência maior de outros alunos, que estão vivenciando a mesma experiência, se agregarem e formarem laços de amizades fortes e duradouros. 

“Além disso, ele poderá experimentar uma nova cultura regional, com os seus hábitos alimentares característicos, sotaques diferentes, festas típicas, entre outras particularidades que diferenciam os estados brasileiros”, diz. “Fazer uma universidade passa muito pelo desenvolvimento da autonomia e da independência, muito mais do que no processo escolar anterior”, diz Renan. 

Não se esqueça!

O estudante deve se atentar, da forma mais detalhada possível, a alguns aspectos práticos da vida após a sua mudança: onde vai morar (distância da universidade, proximidade de supermercados, padaria, farmácia etc.), custos para se manter na nova cidade e outros fatores que possam interferir no seu dia a dia. 

“Se a grande vantagem é se organizar mais e ser mais autônomo, esse momento é importante para que o estudante elenque suas prioridades”, diz Renan. Uma sugestão é buscar experiências e depoimentos de pessoas que passaram por isso. 

“Porém, mesmo levando tudo isso em consideração, somente quando estiver vivenciando a vida universitária e as novas rotinas é que ele perceberá com maior clareza se a escolha atende ou não aos seus anseios”, completa Daniel. 

Sem dúvidas, acima dos desafios e novidades, tem algo que não irá faltar: amadurecimento. Ter essa experiência nem sempre é fácil ou confortável, mas o crescimento é significativo e, certamente, trará benefícios futuros para a vida pessoal e profissional do estudante.