Assine com até 65% de desconto

“Contágio”: saiba como utilizar o filme no vestibular

Explore o enredo e enriqueça seu repertório

Por Julia Di Spagna Atualizado em 13 mar 2020, 14h36 - Publicado em 28 jun 2018, 07h00

Explore o enredo e enriqueça seu repertório A ideia desta série de matérias é permitir que você consiga desenvolver um repertório mais amplo e um pensamento crítico mais aguçado com base nas diversas camadas que a sétima arte pode apresentar. As análises dos filmes que faremos aqui buscam mostrar certas relações entre o enredo e temas contemporâneos que podem ser abordados na redação e em outras questões do Enem e dos principais vestibulares do Brasil.

Uma executiva norte-americana, Beth Emhoff, volta para sua casa em Minneapolis, nos Estados Unidos, após uma viagem de negócios em Hong Kong. Ela conta ao seu marido que não se sente bem, mas acredita que seja apenas a mudança de fuso horário e cansaço.

Em questão de horas, ela entra em convulsão e morre em seguida, sem os médicos conseguirem identificar a causa.

Casos semelhantes começam rapidamente a acontecer em Minneapolis, Chicago, Londres, Paris, Tóquio e Hong Kong, se espalhando pelos quatro cantos do mundo. Os sintomas são sempre os mesmos: tosse, febre, convulsões, hemorragia cerebral e, por fim, a morte.

O vírus letal desconhecido responsável pela doença é altamente contagioso, bastando um contato com um objeto tocado por uma pessoa infectada ou o próprio ar para sua transmissão. Apenas uma coisa se espalha mais rápido do que a doença: o medo da população.

O caos domina a vida das pessoas ao redor do mundo e, enquanto setores básicos param e conspirações contra o governo e a indústria farmacêutica crescem, a comunidade médica mundial se esforça para encontrar uma cura.

É possível explorar o filme “Contágio” a partir de diversos aspectos. Conversamos com Gustavo Furniel, professor de redação do Anglo, para estabelecermos os principais e qual a melhor forma de aplicá-los na hora da prova.

Tipos de contaminação

Você sabe as diferenças entre surto, epidemia, endemia e pandemia? É importante conseguir diferenciar cada conceito para classificar cada doença em cada região do mundo.

Surto: ocorre quando há um aumento repentino do número de casos de uma doença em uma região específica.

Epidemia: quando acontece um aumento considerável do número de casos de determinada doença em diversas regiões no mesmo país.

Endemia: aqui, a questão não é quantitativa. Uma doença é classificada como endêmica quando acontece com muita frequência apenas em um local específico – não atingindo outras comunidades. Existem as chamadas áreas endêmicas: no caso do Brasil, por exemplo, é possível citar a febre amarela na Amazônia.

Pandemia: em uma escala de gravidade, a pandemia é o caso mais delicado. Ela se caracteriza por uma epidemia que se espalha por diversas regiões do planeta.

Saiba mais sobre as pandemias que já assolaram o mundo neste link.

Doenças X globalização

O aumento das locomoções intercontinentais facilitou as trocas comerciais, o turismo e as interações culturais, proporcionando uma série de benefícios sociais e econômicos. Mas esse intenso vai-e-vem de pessoas pelo mundo também tem seu lado negativo.

Os vírus podem dar a volta ao mundo em questão de horas e se disseminar com uma velocidade impressionante. Em alguns casos, a simples viagem de uma pessoa infectada a outro país é suficiente para iniciar um ciclo que pode dar origem a uma pandemia mundial.

O filme “Contágio” ressalta essa relação e mostra como a globalização afetou diretamente na transmissão da doença.

OMS

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e outros órgãos relacionados à indústria farmacêutica lutam contra o tempo para identificar o vírus, descobrir uma forma de enfraquecê-lo e desenvolver uma vacina.

Além disso, para descobrir a origem do vírus, eles se empenham para encontrar o “paciente zero”, que é a primeira pessoa a ser infectada.

Neste contexto, a organização ganha um destaque e é importante saber sua relevância no mundo desde sua criação até os dias de hoje.

Paralisações X setores básicos

No filme “Contágio”, a tendência de isolamento, com cada um em suas casas evitando o contato com os outros, leva trabalhadores de diversos setores a pararem de trabalhar.

Por exemplo: enfermeiros, para não ficarem expostos; lixeiros, para não entrarem em contato com material infectado.

Além disso, escolas fecham e lojas, farmácias e casas são arrombadas e saqueadas.

Com isso, começa a ocorrer uma deterioração dos serviços públicos e surgem diversos problemas por causa da falta de determinados produtos.

É importante refletir sobre os efeitos que a paralisação de setores básicos causam na sociedade. Esse tema está ainda mais em alta por causa da paralisação dos caminhoneiros que aconteceu este ano e vale sua dedicação.

Saiba o que causou a greve dos caminhoneiros e o consequente desabastecimento em grande parte das cidades brasileiras aqui.

Continua após a publicidade

Medo e reações em massa

A paralisação da sociedade é o reflexo tanto do medo da contaminação quanto de uma reação em massa dos cidadãos.

O filme faz questão de deixar claro ao espectador quantos dias se passaram desde que a doença começou a se espalhar em várias metrópoles do mundo. Isto é muito útil para mostrar como, em pouquíssimo tempo, as pessoas podem perder a razão devido ao medo.

Ao longo do enredo, na luta pela sobrevivência, elas perdem o controle e a racionalidade, deixando de lado, muitas vezes, a ética e o respeito ao próximo.

Papel da mídia

Enquanto a doença se espalha, algo aumenta a propagação do medo: a mídia. Grande parte da população tem acesso aos meios de comunicação, entretanto, muito do que é divulgado é pura especulação ou informação tendenciosa.

O clima de conspiração também cresce com um personagem específico que incita o uso de remédios homeopáticos. Na internet, ele expõe suas preocupações sobre a doença e sobre o que realmente estaria sendo feito para evitá-la.

Enquanto todos estão preocupados buscando uma solução, ele está mais interessado em apontar culpados e fazer denúncias, na maioria das vezes, questionáveis.

Além disso, em um das cenas, uma vítima passa mal no corredor de ônibus. Ao invés de ajudá-la, os outros passageiros pegam seus celulares para fotografá-la.

No começo, é possível achar isso absurdo, mas vale a reflexão: quantos momentos assim já não aconteceram na sociedade contemporânea?

Aqui, o filme ressalta o papel da mídia em grandes acontecimentos, com seu poder de promover mudanças e com a responsabilidade sobre o que divulga.

Ficou na dúvida de como esse conteúdo poderia ser aplicado na sua redação? Vamos ajudá-lo nessa missão. É impossível prever qual será a proposta dos vestibulares. Entretanto, seja qual for o tema, se você estiver munido de diversos exemplos e relações relevantes na hora da prova terá um resultado melhor do que imagina.

No caso do filme “Contágio”, é importante identificar os principais tópicos, como as consequências da paralisação de setores básicos e a questão do papel da mídia, por exemplo, e memorizar algumas cenas que exemplifiquem as situações.

Você não precisa assistir ao filme com um caderno fazendo várias anotações. O importante é entender o enredo como um todo e refletir sobre determinados acontecimentos que achar adequados. Se quiser, anote alguns tópicos e pesquise mais sobre os temas que achar mais pertinentes ou nos quais tiver alguma dificuldade.  

Selecionamos algumas propostas de redação de vestibulares de anos anteriores em que você poderia utilizar seus conhecimentos sobre o filme para desenvolver o tema, tanto em termos de relações estabelecidas, quanto em exemplos.

Insper 2013 – De que forma somos condicionados a ter medo?

Durante o filme, é possível perceber como o medo se espalha pela população de maneira descontrolada. As pessoas lutam para conseguir mantimentos e para ficarem confinadas em casa com seus familiares.

A única coisa que importa para os civis é evitar a contaminação e torcer pela cura. Nessa dinâmica, muitos agem de uma maneira fora do usual e tomam atitudes irracionais em busca da sobrevivência.

“Sua função é ‘avisar’ o organismo dos perigos. Em geral, portanto, o medo é benéfico – somente quando é excessivo (em casos patológicos de pânico, fobia) pode ser prejudicial”.

A partir deste trecho apresentado pela banca, é possível mencionar como o medo de muitas pessoas acabou protegendo cada uma delas. Ao mesmo tempo, vale ressaltar o quanto o temor foi alimentado com notícias falsas, desencadeando atitudes radicais e prejudiciais para outros indivíduos.

Enem 2004 – Como garantir a liberdade de informação e evitar abusos nos meios de comunicação

Em “Contágio” fica claro o quanto a mídia é essencial para conseguir passar as informações corretas para a população e evitar prejuízos ainda maiores.

É importante que o estudante reflita sobre essa responsabilidade que é depositada na mídia e também sobre como a velocidade com a qual as notícias se espalham na internet afeta todo esse processo.

Esse contexto fica ainda mais complexo quando avaliamos o peso das chamadas fake news. Aprenda a identificar uma notícia falsa neste link.

Aqui, também é válido o estudante fazer uma relação com acontecimentos, recentes ou não, em que a mídia tenha influenciado diretamente a realidade.  

Filme: Contágio
Ano: 2011
Direção: Steven Soderbergh

  • Continua após a publicidade
    Publicidade