Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Unicamp 2021: o que esperar da primeira fase

Entre tradições e mudanças, saiba quais são as expectativas e pontos de atenção para a prova

Por Juliana Morales 30 dez 2020, 11h47

Sim, o vestibular da Unicamp já está aí! Na próxima quarta e quinta-feira, 6 e 7 de janeiro, acontecerá a primeira fase do vestibular elaborado pela Comvest. Além da ansiedade característica de quando a prova se aproxima, neste ano atípico, candidatos estão ainda mais apreensivos com mudanças.

Mas, calma, estudante! É hora de pensar no formato da prova e entender melhor o que pode se esperar da primeira fase da prova de 2021.

Vinicius Haidar, coordenador do Curso Poliedro SP, afirma que o vestibular Unicamp, além de bem elaborado, é uma prova bastante tradicional. Dessa maneira, a chance de aparecer uma grande surpresa – algo muito discrepante do que foi cobrado nos anos anteriores – é mínima. Um indício disso, segundo ele, é que a Comvest anunciou mudanças na prova com muita antecedência e que indicaram preocupação com os estudantes.

As questões da prova serão reduzidas de 90 para 72 e o tempo máximo para sua realização passará de cinco para quatro horas. De acordo com a comissão, tanto a redução do número de questões como do tempo em sala diminui o estresse de uma prova muito extensa.

Como muitos alunos já estão acostumados com cinco horas de prova, tempo padrão dos principais vestibulares e da própria Unicamp até o ano passado, Haidar alerta os candidatos a “tomarem cuidado com a distribuição do tempo nas questões”, sempre em mente o novo tempo de realização da prova e a quantidade de questões. Planejem-se!

Como será a prova?

No ano passado, a primeira fase da Unicamp teve prova interdisciplinar, atual e analítica, como apontou especialistas entrevistados pelo GUIA. Apesar de manter o mesmo estilo, Vinicius indica que esse ano será um pouco diferente: “vai ser uma prova um pouco mais interpretativa e não vai trazer questões interdisciplinares, que é comum na prova da Unicamp”. Um dos motivos é a pandemia: “é difícil juntar professores de bancas diferentes no mesmo lugar para montar a questão”, explica.

Diante do impacto da pandemia na educação brasileira, pensando nos alunos que tiveram dificuldades no ensino a distância, a Unicamp anunciou que aplicará no vestibular 2021 conceitos “mais básicos” na primeira fase. 

Continua após a publicidade

Em entrevista ao G1, o diretor da Comvest, José Alves de Freitas Neto, afirmou que essa mudança “não quer dizer que o nível de dificuldade da prova será reduzido, mas sim que a banca que elabora o exame vai dar mais importância aos conteúdo que são essenciais para o aprendizado de qualquer disciplina e acabam usados como base para os professores durante as aulas”.

“Sempre uma prova atenta à realidade do mundo e que tenha o olhar para os conhecimentos produzidos nos diversos campos do saber, nas ciências, nas letras e nas artes”, esclareceu José Alves ao site da Unicamp.

  • Atenção!

    O coordenador do Poliedro aconselha que o aluno preste muita atenção na prova: “a Unicamp não é de trabalhar com pegadinhas, mas por ser uma prova mais interpretativa, na pressa, pode acabar errando até uma questão mais fácil”. Ele reforça a boa prática de” fazer provas anteriores para ficar com modelo de prova na cabeça”.

    Prepare-se para o Enem sem sair de casa. Assine o Curso Enem do GUIA DO ESTUDANTE e tenha acesso a centenas de videoaulas com professores do curso Poliedro.

     

     

     

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade