Clique e assine GE Play por R$16,90

Ingresso dos alunos da rede pública na USP é tema de palestra na Feira GE

Diego Antonio Falceta Gonçalves, Vice-Diretor Executivo da Fuvest, vai palestrar sobre o assunto nesta edição do evento

Por Giulia Tani - Atualizado em 29 ago 2018, 14h57 - Publicado em 27 ago 2018, 15h26

A 13ª edição da Feira do Guia do Estudante está cada vez mais perto! O evento acontece entre os dias 13 e 15 de setembro e além dos seus tradicionais expositores de universidades, nacionais e internacionais, a feira vai contar com atrações especiais.

Neste ano, um dos convidados mais esperados é Diego Antonio Falceta Gonçalves, Vice-Diretor Executivo da Fuvest, que apresentará uma palestra com o tema “USP para alunos de escola pública”.

A ideia do tema é falar sobre as alterações na distribuição de vagas para os candidatos de escolas públicas. Para o ingresso em 2019, a Universidade de São Paulo (USP) alterou suas diretrizes e reservará 40% de suas vagas, por curso, para estudantes de escolas públicas, considerando Fuvest e Sisu. Dentro dessa porcentagem, 37,5% são vagas reservadas para PPIs (cor ou raça: Preta, Parda ou Indígena).

Com essas mudanças, a concessão de bônus que existia desde 2006 deixa de existir. A medida foi criada para estimular o ingresso de estudantes da rede pública na USP e funcionava como uma porcentagem de bonificação na nota desses alunos.

O Guia do Estudante conversou com o Diego Antonio para entender melhor sobre o assunto. Confira:

O que você pretende apresentar para os estudantes na sua palestra. O que eles ficarão sabendo nela?

Na palestra “USP para alunos de escola pública” pretendo ressaltar a importância da Universidade de São Paulo como agente transformador na vida de qualquer estudante que venha a ingressar na melhor universidade da América Latina, lembrando que se trata de uma universidade gratuita! Além de gratuita, ela possui diversos programas de financiamento de permanência estudantil.

Com recursos públicos, a USP têm programas de manutenção dos estudantes durante seu curso, com bolsas e auxílios financeiros, que permitem a dedicação de qualquer aluno (mesmo que de baixa renda) na universidade, sem terem que se deparar com a necessidade de largar seus estudos para trabalhar. Finalmente, quero apresentar o novo sistema de reserva de vagas da USP, que garantirá que ao menos 40% das vagas de cada carreira estarão destinadas a alunos egressos de escolas públicas.

Continua após a publicidade

Como essas mudanças na distribuição de vagas aos candidatos de 2019 vão beneficiar e trazer mais inclusão para a Fuvest?

A USP vem, ao longo dos últimos anos, se esforçando para aumentar a inclusão de alunos de escolas públicas em seus cursos de graduação. Até o ano passado, esse incentivo era feito através de bonificação (fator de ampliação) nas notas do exame vestibular. Entretanto, mesmo com a bonificação, os alunos de escola pública competiam diretamente em ampla concorrência.

Com isso, caso candidatos que não eram de escola pública atingissem notas superiores às notas bonificadas, candidatos provenientes de escola pública não ingressariam. Agora o sistema de entrada é diferenciado. Alunos de escola pública competem apenas com alunos de escola pública.

Vale apontar que em pouco mais de uma década, houve um incremento de mais de 37% no número de ingressantes oriundos de escola pública (21,6% em 2006, frente a 29,6% em 2018). Em 2019 este número saltará, com a reserva de vagas, para no mínimo 40%.

Como surgiu a decisão de implantar esse novo sistema de modalidades?

A decisão surgiu após muita discussão no ambiente universitário através de uma avaliação do sistema de bonificação recentemente utilizado. A atual Reitoria da USP, também participante das decisões na gestão anterior, apresentou um estudo sobre o impacto do sistema de bonificação (INCLUSP) até então. Mostraram que o programa surtiu resultados, mas que havia saturado e a inclusão total era menor que a desejada pela universidade. Assim, um novo programa foi proposto, com reserva de vagas, para que o objetivo seja integralmente atingido.

Quais são os maiores obstáculos para alunos de escolas públicas entrarem na USP? 

Até o ano passado, por conta do programa de inclusão INCLUSP, com bonificação, a maior dificuldade era – mesmo com bonificação – superar a pontuação dos candidatos de ampla concorrência. Atualmente esta dificuldade foi removida. Agora, o aluno de escola pública competirá exclusivamente com alunos de escola pública. A dificuldade se dará a partir deste ano em ter desempenho melhor que dos outros estudantes de escola pública concorrendo à mesma carreira.

SERVIÇO

Palestra: USP para alunos de escola pública, com Diego Antonio Falceta Gonçalves
Quando: Sexta, 14 de setembro
Horário: 11h20 – 11h50
Onde: Auditório do Pavilhão de Exposições do Anhembi

Continua após a publicidade
Publicidade