Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

USP e PUCRS são as melhores na área de Saúde e Bem-Estar

Nesta área do Prêmio Melhores Universidades 2017, USP vence entre as instituições públicas; PUCRS, entre as privadas

Por Renato Garcia, Renata Costa, Simone Toledo e Lisandra Matias Atualizado em 18 out 2017, 12h43 - Publicado em 18 out 2017, 12h00

Em sua 27ª edição, a tradicional avaliação de cursos superiores do GUIA DO ESTUDANTE mediu a qualidade de 16,7 mil graduações. A avaliação é uma pesquisa de opinião feita, basicamente, com professores e coordenadores de curso. Eles emitem conceitos que permitem classificar os cursos em bons (três estrelas), muito bons (quatro estrelas) e excelentes (cinco estrelas). Entenda como é feita a avaliação de cursos.

A partir da avaliação, são identificadas as melhores instituições de Ensino superior (IES) do Brasil – públicas e privadas – e aquelas que mais se destacam em oito áreas do conhecimento.  Entenda os critérios do Prêmio Melhores Universidades 2017 aqui.

Veja a seguir as melhores da área de Saúde e Bem-Estar em 2017:

Melhor universidade pública: USP

Universidade oferece gigantesca infraestrutura aos alunos dos cursos de Saúde e Bem-Estar, que aprendem na prática no maior complexo hospitalar da América Latina

Fachada da Faculdade Medicina da USP, em São Paulo USP Imagens/Divulgação

Os alunos dos cursos de Saúde e Bem-Estar da USP contam com uma ampla infraestrutura de serviços de saúde e têm a chance de aprender na prática. A Faculdade de Medicina, por exemplo, é localizada ao lado do Hospital das Clínicas (HC), maior hospital da América Latina e considerado centro de excelência em ensino e pesquisa em saúde no Brasil.

Lá, os estudantes dos cursos de Medicina, Fisioterapia, Terapia Ocupacional e Fonoaudiologia contam com os mais modernos equipamentos para as aulas práticas e também realizam estágios.

Também fazem parte da universidade oito institutos especializados, como o Instituto do Coração (InCor) e o Instituto de Psiquiatria (Ipq), dois hospitais auxiliares e uma unidade de cuidados ambulatoriais para pacientes portadores do vírus HIV.

Segundo o diretor José Otávio Costa Auler Junior, a Faculdade sempre procura se modernizar. “Hoje já temos 62 laboratórios de investigação médica, com mais de 200 grupos de pesquisa. Também estamos implementando o novo currículo do curso de Medicina, que diminuiu o tempo dos alunos em sala de aula, para que eles possam se envolver mais em pesquisa e atendimento dos pacientes”, conta.

Os alunos da Faculdade de Saúde Pública (FSP), responsável pelos cursos de Nutrição e Saúde Pública, também se beneficiam com a infraestrutura do HC. Lá são realizadas as aulas práticas e os projetos de pesquisa, que envolvem desde estudos sobre obesidade até malária.

Já os estudantes da Escola de Enfermagem contam com um Centro de Laboratórios de Ensino, onde são ministradas aulas com simulação de situações – por exemplo, emergências hospitalares utilizando bonecos que imitam seres humanos em tamanho real e técnicas de acesso venoso com o uso de realidade virtual.

A Escola ainda oferece três programas de residência, além de especializações, mestrados e doutorados com nota máxima na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).      

Cursos da Cidade Universitária

Um pouco mais longe dali, na Cidade Universitária, encontra-se o curso de Odontologia, reconhecido como o melhor do mundo em 2016 pelo Center for World University Rankings.

A Faculdade de Odontologia disponibiliza uma clínica própria, onde os alunos fazem mais de 120 mil atendimentos anuais. “A grade curricular permanentemente revista é outro ponto de excelência do nosso curso”, destaca o diretor Waldyr Antonio Jorge. Segundo ele, a proposta é fortalecer a formação voltada para saúde pública e atenção primária à saúde.

A infrestrutura de qualidade também é a marca registrada da Escola de Educação Física e Esporte (EEFE), uma das mais completas do país na área. Os graduandos da licenciatura e do bacharelado podem utilizar piscinas, quadras, campos de futebol, pista de atletismo, velódromo e até uma raia olímpica para prática e ensino de remo e canoagem.

A Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF), por sua vez, foca na formação vocacionada do aluno: são ofertadas diversas disciplinas optativas separadas em eixos, como saúde, tecnologia e gestão e assuntos regulatórios.

O mesmo se aplica ao Instituto de Ciências Biomédicas, que oferece uma grade multidisciplinar, em que o estudante opta entre dez diferentes áreas. Os trabalhos podem ser desenvolvidos nos 160 laboratórios de pesquisa com tecnologia de ponta, com microscópios ultra modernos e aparelhos de sequenciamento genético.

Já no Instituto de Psicologia o aluno cursa o bacharelado e, caso queira, pode fazer também a licenciatura a partir do segundo ano, formando-se nas duas habilitações.

Graduações pioneiras na USP Leste

Continua após a publicidade

O bacharelado em Obstetrícia, único no Brasil e ministrado no campus da USP na Zona Leste, se destaca por manter convênios com diversas unidades básicas de saúde próximas à universidade e também hospitais municipais da capital, Osasco e Itapecerica da Serra, além de hospitais estaduais.

A grade curricular é atualizada constantemente e, em 2018, será ofertada uma nova disciplina voltada para a saúde da mulher e da comunidade nos contextos rurais. Há também a possibilidade de o aluno obter dupla diplomação na área, por meio de um convênio firmado com uma universidade italiana.

Vale ressaltar que a USP está em fase de finalização de um acordo com a Universidade Politécnica de Coimbra, em Portugal, para oferecer essa mesma vantagem aos alunos de Gerontologia.

Primeiro curso brasileiro na área, criado em 2005, esse bacharelado tem ganhado importância à medida em que a população brasileira vem envelhecendo. Seu corpo docente é responsável por projetos de pesquisa pioneiros no país, referentes a demências, envelhecimento celular, memória e questões sociais e psicológicas do envelhecimento, por exemplo.

Melhor universidade privada: PUCRS

Cursos da área de Saúde e Bem-Estar da PUCRS formam profissionais para inovar em suas profissões

Hospital São Lucas, da PUCRS BrunoTodeschini/PUCRS/Divulgação

A PUCRS, com infraestrutura e vocação para promover a inovação, com estruturas como o Parque Tecnológico Tecnopuc e programas como Torneio Empreendedor, forma profissionais de Medicina, Enfermagem, Nutrição e demais carreiras da área de Saúde para serem empreendedores não importa onde trabalhem.

Isso, no entanto, não substitui a formação específica na área, necessária para que os estudantes tenham uma base sólida. “Queremos formar profissionais éticos e humanistas comprometidos com a prevenção, promoção e reabilitação da saúde”, conta Ana Maria Pandolfo Feoli, coordenadora do curso de Nutrição.

Ensino e tecnologia

Nutrição, Enfermagem e Fisioterapia foram alguns dos primeiros cursos da PUCRS a entrar para o programa LabsMóveis, iniciativa com o objetivo de levar tecnologias atuais para a sala de aula, por meio de notebooks e tablets com softwares de apoio à aprendizagem.

No curso de Nutrição, o recurso possibilita aos alunos conhecerem e usarem aplicativos para cálculo de dieta e composição corporal. Em Enfermagem, o recurso foi o pontapé inicial para a simulação realística que é feita no Laboratório de Cuidado Humano.

Ali, no começo, o LabsMóveis permitia a gravação de atividades realizadas com os alunos e o uso de aplicativos para representar situações de emergência. Hoje, o Laboratório conta com manequins que simulam pacientes nas mais diversas situações para que os futuros enfermeiros treinem como agir.

Infraestrutura completa

Os estudantes contam ainda com outros locais de aprendizado prático, como a cozinha industrial e o Centro de Reabilitação, clínica criada para ser espaço de aprendizagem prática dos alunos de Fisioterapia, mas onde eles também trabalham em parceria com estudantes dos outros cursos da área da Saúde.

A infraestrutura própria inclui o hospital universitário São Lucas, que atende pacientes com convênio médico privado e pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e onde os futuros profissionais desenvolvem estágios. Ali está localizada uma biblioteca voltada exclusivamente para o curso de Medicina.

Por ano, passam pelo hospital-escola 2.500 alunos dos diversos cursos de graduação e de especialização da PUCRS na área de Saúde. Há ainda o Instituto do Cérebro, que alia pesquisa e tecnologia em neurociência.

Parque poliesportivo

Os cursos de Educação Física, tanto bacharelado como licenciatura, contam com um complexo poliesportivo com 22 mil metros quadrados de área construída. O Estádio Universitário possui campo de futebol com dimensões oficiais e pista de atletismo, bem como piscina olímpica e quadra para diversas modalidades esportivas. Dentro dessa estrutura está localizado o Prédio Poliesportivo, com laboratórios e salas de aulas.

Pesquisa de ponta e docentes preparados

A maioria dos docentes dos cursos da área da Saúde tem doutorado e atuação tanto na graduação como na pós-graduação. Os projetos de pesquisa envolvem alunos de mestrado, doutorado e graduandos. “A participação em iniciação científica, bem como em atividades de extensão, monitoria e estágios não obrigatórios são iniciativas que ajudam a preparar melhor o futuro profissional e, por isso, são bastante incentivadas”, afirma a professora.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade