Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Enem 2020: 8 características vitais da prova de Ciências Humanas

Entender como as questões são cobradas e checar os temas recorrentes em cada matéria pode ajudar a melhorar seu resultado

Por Julia Di Spagna Atualizado em 4 jan 2021, 11h01 - Publicado em 4 jan 2021, 11h00

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é realizado há mais de 20 anos e, nesse meio tempo, a prova já passou por mudanças. Cada alteração pode provocar apreensão por parte dos candidatos. Afinal,  a forma como o estudante se preparou pode não ser tão útil para a prova que tem em mãos. 

No entanto, para tranquilizar o estudante, o GUIA lembra que, nos últimos anos, alguns padrões foram seguidos. Ter consciência dessas constantes faz você sentir mais segurança sobre o conteúdo da prova e, automaticamente, melhorar seu resultado.

Conversamos com dois especialistas em Ciências Humanas e levantamos oito características da prova aplicada no primeiro dia do Enem (17/01), que você precisa saber para se dar bem:

1. Leitura atenta dos textos

Na prova do Enem, geralmente, as questões são apresentadas com textos em seus enunciados. Segundo Gianpaolo Dorigo, professor de História do Curso Anglo, de São Paulo (SP), uma leitura atenta desse material fará toda a diferença para acertar ou não a questão. “Muitas vezes, a questão pede apenas que se identifique uma informação que está presente nesse texto para, em seguida, relacioná-la com a mesma afirmação que aparece com outras palavras na alternativa correta”, explica.

Samanta Neves, especialista em Ciências Humanas do Sistema de Ensino Poliedro, ressalta que toda essa quantidade de textos não implica uma prova apenas de interpretação, que não exige aprofundamento no conteúdo. “Todas as questões têm textos relativamente longos e a leitura atenta deles ajuda bastante na resolução das questões, porém o estudante precisa ter uma boa base dos conhecimentos históricos para resolvê-las”, afirma.

Confira aqui os erros mais comuns na hora de interpretar os textos nas provas.

  • 2. Atenção às imagens

    Nesse dia, muitas questões são contextualizadas com imagens. Gianpaolo explica que o candidato deve extrair informações delas – algo que é um pouco mais complexo do que trabalhar com textos. Portanto, é essencial saber ler mapas, climogramas e gráficos para resolver as questões. Fotos históricas também podem exigir sua interpretação.

    3. Geografia e o meio ambiente

    Entre os assuntos mais cobrados nessa prova, segundo Samanta, destacam-se climatologia e problemas socioambientais mundiais, ambos relacionados à habilidade de avaliar as relações entre preservação e degradação da vida em diferentes escalas. 

    Continua após a publicidade

    “Sendo assim, para resolver essas questões, é importante que o estudante esteja antenado com o que ocorre no mundo”, diz a especialista.

    4. Conteúdos de História

    Gianpaolo ressalta que há uma preocupação muito grande da prova do Enem de identificar, ao longo da história, a atuação de movimentos sociais e as lutas que resultaram em mudanças. 

    Nesse contexto, ele aponta dois assuntos muito comuns. “ A luta dos escravos pela abolição e toda movimentação que resultou nela no ano de 1988 – inclusive a mobilização da imprensa e da opinião pública; e o movimento operário no início do século 20, cuja mobilização acabou resultando na criação de uma legislação trabalhista”.

    5. África e Ásia

    Algo recorrente que o especialista destaca também são as questões relacionadas à África e à Ásia contemporâneas. “E quando eu falo desse assunto, estou me referindo tanto ao imperialismo do século 19 quanto à descolonização do século 20, ou seja, a luta anti-imperialista, que resultou na independência das nações africanas e asiáticas.

  • 6. Questões contextualizadas

    Como já explicamos anteriormente, as questões da prova de Ciências Humanas aparecem com muitos textos, o que torna as questões contextualizadas. 

    Em História, Sociologia e Filosofia essa contextualização pode ocorrer com trechos de textos teóricos e acadêmicos. Sendo assim, Samanta indica a leitura de autores clássicos como Maquiavel, Santo Agostinho, Kant e Marx, além de nomes contemporâneos, como Hobsbawm. Isso serve tanto para familiarizar-se com o vocabulário quanto para interpretar textos e resolver as questões. “Trechos de revistas semanais ou de jornais diários também costumam ilustrar as questões de Sociologia e Geografia”, diz.

    7. Sociologia e direitos

    Segundo Samanta, em Sociologia sempre há questões sobre a indústria cultural, desigualdades sociais e direitos das minorias. Muitas vezes, essas questões apresentam trechos da Constituição Federal. “Uma dica é dar uma lida no artigo 5º – que trata dos direitos e garantias fundamentais – e no Artigo 6º dos direitos sociais, pois podem ajudar a resolver muitas questões dessa disciplina”, explica.

    8. Filosofia e os autores

    Em Filosofia, além da familiaridade com autores clássicos, Samanta faz mais um destaque. “A Escola de Frankfurt, com sua crítica à razão instrumental e à cultura de massa e as críticas de Adorno ao totalitarismo são assuntos que aparecem seja em textos-base ou em questões objetivas sobre esses temas”, diz.

    Prepare-se para o Enem sem sair de casa. Assine o Curso Enem do GUIA DO ESTUDANTE e tenha acesso a centenas de videoaulas com professores do Poliedro, que é recordista em aprovações na Medicina da USP Pinheiros.

    Continua após a publicidade
    Publicidade