Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

Como fazer revisão para cada área de conhecimento do Enem

Veja quais conteúdos você deve priorizar na etapa final de estudo

Por Ana Lourenço Atualizado em 16 Maio 2018, 18h50 - Publicado em 31 out 2016, 18h13

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é porta de entrada para milhares de vagas no ensino público e privado. Por isso, não dá para bobear faltando poucas semanas para a prova.

A revisão é parte muito importante da etapa final de estudos e deve ser o seu foco principal nessas últimas semanas. É importante valorizar a objetividade, analisando quais conteúdos mais caem na prova e quais matérias e assuntos você deve priorizar na hora de rever tudo de novo.

Para isso, o GUIA separou um conteúdo especial, preparado com professores, para te ajudar na revisão. Hora de estudar!

Guia completo de revisão para cada área do Enem

Ciências Humanas e suas Tecnologias

Ciências da Natureza e suas Tecnologias

Linguagens e suas Tecnologias e Redação

Matemática e suas Tecnologias

Estudo na reta final

Para a revisão, o mais importante é saber organizar o seu tempo. É importante programar os estudos e definir quais matérias vão ser estudadas em cada dia.

Continua após a publicidade

Para o professor Célio Tasinafo, coordenador pedagógico do cursinho Oficina do Estudante, o candidato deve estar preparado para fazer essa seleção. “Não adianta desperdiçar tempo e esforços com aqueles tópicos nos quais sempre teve dificuldades. O aluno também não conseguirá uma melhoria no desempenho geral com o estudo daquilo que já domina bastante”, explica.

No entanto, isso não significa largar o estudo por completo de uma matéria! É importante saber escolher, dentro de todas as disciplinas, quais tópicos são importantes e ainda podem ser estudados.

Se você ainda não pegou nenhuma prova do Enem para tentar resolver inteira, não perca mais tempo: essa é a hora. Mas, por que treinar com a prova inteira em vez de simplesmente resolver questões aleatórias do Enem? A razão é simples: refazer as provas pode ajudar a acostumar com o estilo do exame, o tipo de questões que costuma ser cobrado e, também, a mapear os assuntos que caem mais em cada disciplina.

Na hora de refazer a prova, o professor Alexandre Linares, do Cursinho Maximize, recomenda escolher “a pior cadeira que tiver em casa”. “A cadeira em que você vai fazer a prova tem muita chance de ser uma cadeira bem desconfortável.

A prova do Enem é também uma prova de exaustão física, por isso você tem que estar preparado para enfrentar essa maratona”, explica. Além disso, fazendo a prova você pode avaliar também o quão preparado está para enfrentar o exame – e saber quanto esforço terá que fazer até o grande dia.

Além disso, o formato do Enem pede um tipo de preparação diferente do que é exigido pelo vestibular tradicional. “O domínio da linguagem é a essência do Enem, porque é a partir dela que você vai dominar o que a prova requer”, explica o professor Alexandre. Por isso, a prova do Enem exige muito mais compreensão e habilidade do que só “decoreba” de conteúdo.

Na reta final, dê prioridade à leitura – mas muita leitura mesmo! “O aluno deve se acostumar à leitura de diversos tipos de textos, especialmente literários, notícias de jornais, artigos e crônicas”, explica a professora Fernanda Carvalho Bomfim, do Cursinho do XI. Aqui, é importante lembrar que o Enem é uma prova que cobra muita interpretação de texto – até nas questões de Exatas! -, e desenvolver bastante a leitura possibilita uma qualidade maior na correlação de informações.

Na hora de revisar, também é preciso dar atenção especial à redação, que no Enem conta como uma prova separada. Para treiná-las, também só há uma saída: fazer o máximo de dissertações possível até a prova.

 

Continua após a publicidade

Publicidade