Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

Sisu 2021: dicas e estratégias para os três dias de inscrições

Candidatos podem se inscrever a partir de 6 de abril. Os alunos podem mudar as opções de cursos até o último dia de inscrição

Por Juliana Morales Atualizado em 7 abr 2021, 16h09 - Publicado em 11 mar 2021, 15h14

A consulta das vagas do primeiro semestre do Sisu 2021 já está disponível no site do programa. Poderão concorrer a elas quem realizou o Enem 2020, em qualquer modalidade, e não zerou a redação. As inscrições serão abertas no dia 6 de abril. Mas, enquanto isso, é indicado que os estudantes já comecem a analisar as possibilidades e estratégias para a hora de preencher suas opções.

“O Enem é somente uma prova, ele vira um vestibular quando abre o Sisu. O programa é um leilão de vagas e o papel moeda são as notas das cinco áreas do conhecimento cobradas no exame”, afirma Madson Molina, coordenador do Curso Anglo.

Durante os três dias de inscrições, que terminam no dia 9 de abril, os candidatos podem modificar suas opções quantas vezes quiserem. O sistema irá considerar a última opção preenchida.

+ Entenda o Sisu passo a passo e como usar o Enem

“São três dias que exigem reflexão para trabalhar com um leque grande de opções”, observa o coordenador. Nesse período, é importante o estudante ter clara a sua realidade econômica, se ele tem condições de mudar de estado, por exemplo, e também entender a flexibilidade em relação às opções de carreiras e instituições.

Para Molina, um dos maiores erros do estudante em relação ao Sisu é “fazer uma única aposta”, ao se inscrever só no último dia. Com a ajuda do especialista, o GUIA separou mais dicas para os candidatos estarem preparados para fazer as melhores “apostas”, de acordo com o desempenho no Enem e as possibilidades disponíveis para sua realidade.

Antes das inscrições, use simuladores de notas

Com a notas do Enem em mãos, no dia 29 de março, quando serão divulgadas, um bom recurso para os estudantes são os simuladores de nota, disponíveis na internet. Eles indicam a probabilidade de entrar em determinado curso em função do histórico passado do Sisu.

“Apesar de estar sujeito a variáveis, é uma boa pista da probabilidade de passar em determinada instituição de acordo com a análise das notas de corte dos últimos anos”, diz Molina. 

O simulador do Me Salva!  e o do Stoodi são exemplos das opções gratuitas que você encontra na internet.

Faça o acompanhamento diário desde o primeiro dia de inscrições

Molina aconselha que os estudantes façam as inscrições logo no primeiro dia e acompanhem a movimentação diária das notas de corte. “Assim dá para identificar o quão está perto da nota de corte ou não e, eventualmente, procurar uma outra opção com mais chance de passar. É preciso ser realista, colocar o pé no chão e não queimar essa oportunidade”, diz. 

Continua após a publicidade

Além disso, é preciso se atentar ao fato de que as instituições usam de maneiras diferentes as notas do Enem. Algumas avaliam pela média das áreas cobradas, outras podem dar pesos diferentes às notas. “Se o aluno foi mal no primeiro dia e bem no segundo, com um instituição que tem peso maior em exatas ele pode ir melhor, por exemplo”, exemplifica Molina. 

Durante os três dias de inscrição, a nota de corte (nota do último aluno que está classificado no momento) flutua, por causa da entrada e saída de alunos com notas diferentes em uma mesma quantidade de vagas. Observe essa movimentação!

  • Saiba usar (ou não usar) a segunda opção

    O candidato não é obrigado a preencher uma segunda opção de curso no Sisu. Mas vale lembrar que é possível colocar o mesmo curso, na mesma universidade, só que em turnos diferentes. Por exemplo: Comunicação Social na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), turno da manhã, na primeira opção e Comunicação Social na UFRJ no turno da noite, na segunda opção

    A segunda opção pode ser uma forma de aumentar suas chances de passar para o curso e a instituição onde você quer  ingressar. Ou uma ótimo opção para aqueles alunos que têm afinidade com mais de um curso e pensam em vários caminhos para o futuro.

    Também tem a questão econômica: muitos alunos não têm a condição financeira de ficar mais um ano se preparando para o vestibular. Nesses casos, também vale a pena pensar em uma segunda opção para aumentar as chances de conseguir uma vaga. 

    Agora, se o aluno está focado em um curso específico e em uma instituição específica, e em um único turno, ele deve colocar apenas a primeira opção, aconselha Molina. Porque, se ele passar na segunda opção, ele não tem mais a chance de ficar na lista de espera da primeira opção.

    Só caso o estudante não passe em nenhuma das duas opções, ele pode escolher em qual lista de espera ele deseja entrar, do primeiro ou do segundo curso.

    Acompanhe a lista de espera e outras chamadas

    Depois que o processo do Sisu é encerrado, os alunos que manifestaram interesse na lista de espera devem ficar atentos às chamadas nos sites das próprias universidades em que estão concorrendo. “As instituições soltam listas de maneira homeopática. Há casos de universidades que fazem chamadas até o meio do ano para o Sisu do primeiro semestre”, conta Molina. 

    Quero Bolsa | Graduação, pós-graduação e técnico. Bolsas de Estudo com desconto de até 75% em mais de 1100 faculdades em todo o Brasil. Saiba mais!

    Continua após a publicidade
    Publicidade