logo-ge
Universidades

Saiba como é o estilo da prova, os conteúdos que mais caem, técnicas para a redação e o calendário completo do vestibular

A prova

A Unesp tem um dos vestibulares mais disputados do Brasil: são mais de 100 mil inscritos para 7.365 vagas no vestibular 2018. Veja como funciona a prova

<span>–</span>

(asiseeit//Unesp 2018: Tudo que você precisa saber sobre a prova/iStock)

Primeira fase

A primeira fase do vestibular da Unesp é composta por uma prova de conhecimentos gerais. O candidato tem 4 horas e 30 minutos para resolver 90 questões de múltipla escolha, com cinco alternativas cada.

“São apenas 3 minutos disponíveis para resolver cada questão. Por isso, é uma prova que exige bastante atenção do aluno em relação ao tempo total de duração”, afirma o coordenador do Curso Poliedro, Vinicius de Carvalho Haidar.

Serão 30 questões para cada uma das seguintes áreas:

Linguagens e Códigos: língua portuguesa e literatura, língua inglesa, educação física e arte;
Ciências Humanas: história, geografia, filosofia e sociologia;
Ciências da Natureza e Matemática: biologia, química, física e matemática.

De acordo Célio Tasinafo, coordenador do Colégio Oficina do Estudante, a prova da primeira fase da Unesp favorece os estudantes que têm mais facilidade com a área de Linguagens e Ciências Humanas, já que Matemática e Ciências da Natureza respondem por apenas um terço do exame.

“As questões, em geral, cobram conteúdos essenciais do ensino médio e têm nível mais fácil que o identificado na prova da primeira fase da Fuvest, por exemplo. Não há uma lista de leitura obrigatória para a prova de linguagens, mas, apesar disso, muitas perguntas cobram interpretação de textos literários em prosa e poesia, favorecendo o aluno leitor”, disse.

Além de interpretação de texto, a professora do Cursinho Maximize, Renata Harumi Muniz dos Santos destaca que o exame cobra muita leitura de gráficos e tabelas.

Outro diferencial importante do vestibular é a presença de questões com conteúdos específicos de filosofia e sociologia.

Segunda fase

A segunda fase, também com duração de 4 horas e 30 minutos, possui 36 questões discursivas e uma redação em gênero dissertativo. A prova será realizada em dois dias.

1º dia: 24 questões, sendo 12 de Ciências Humanas (história, geografia, filosofia e sociologia) e 12 de Ciências da Natureza e Matemática (biologia, química, física e matemática).
2º dia: 12 questões de Linguagens e Códigos (língua portuguesa e literatura, língua inglesa, educação física e arte) e uma redação.

“O tempo da prova não é tão crítico como o de outros vestibulares, mas pela quantidade de questões dissertativas, também é uma prova exigente. O candidato tem um pouco mais de 11 minutos por questão no 1º dia e um pouco mais no 2º dia por conter apenas 12 questões e a redação”, falou Haidar.

Ele ainda lembrou que na composição final da nota, a prova da Unesp tem grande peso na área de humanas por cobrar questões dissertativas de filosofia e sociologia.

Nessa fase, segundo Tasinafo, a capacidade redacional do estudante é essencial. Além disso, é fundamental organizar e demonstrar bem os cálculos nas questões de exatas.

Como funciona a nota

A nota da Unesp não usa a Teoria de Resposta ao Item, então todas as questões têm o mesmo valor. Veja como funciona

<span>–</span>

(anactor/iStock)

Diferentemente do Enem, a Unesp não calcula a nota segundo a TRI (Teoria de Resposta ao Item). Todas as questões têm o mesmo valor. Assim, a estratégia de responder primeiro as mais fáceis e deixar para depois as difíceis é muito importante. “É melhor garantir ponto logo no começo da prova. O candidato que perde tempo nas difíceis vai se prejudicar”, diz o professor do Colégio Oficina do Estudante, Célio Tasinafo.

1. Prova de conhecimentos gerais

A nota da prova da primeira fase será obtida por:

(nº de respostas certas X 100) / 90. A nota máxima que um candidato pode alcançar é 100.

Para quem for prestar o Enem 2017, o desempenho da parte objetiva também pode ser aproveitado na nota, de acordo com a fórmula abaixo:

NF = [(4 x CG) + (1 X ENEM)] ÷ 5 , se ENEM > CG ou NF = CG, se ENEM ≤ CG, onde
CG: nota da Prova de Conhecimentos Gerais do Vestibular da Unesp (escala 0-100 pontos).
ENEM: média do percentual de acertos da parte objetiva da prova.
NF: nota final da Prova de Conhecimentos Gerais da Unesp (escala 0-100 pontos).

Observação: para efeito de convocação para 2ª fase somente será considerada a nota obtida na prova de Conhecimentos Gerais da Unesp, sem o aproveitamento da nota obtida no ENEM, quando for o caso.

2. Prova de conhecimentos específicos e redação

Para correção das questões discursivas, as bancas estabelecem critérios para atribuir a seguinte pontuação às respostas dadas a cada questão: 0,00 -0,50 – 1,00 – 1,50 – 2,00.

Depois, a nota é obtida pela adição dos pontos atribuídos a cada questão, somando no máximo 72,00.

No caso da redação, é atribuída nota de 0 a 28 pontos na correção. A nota máxima da redação é 100.

3. Nota final

É a média aritmética simples das notas de todas as provas, dada por:

[(Prova de Conhecimentos Gerais) + (Prova de Conhecimentos Específicos e Redação)] ÷ 2.

Para os cursos que exigem prova de habilidades, a nota será computada no cálculo da nota final.

4. Critérios de desempate

Em caso de empate na nota final, os critérios para desempate são, pela ordem:

  • maior nota na 2ª fase;
  • maior nota na Redação;
  • maior nota em Ciências da Natureza e Matemática da Prova de Conhecimentos Específicos;
  • maior nota em Ciências Humanas da Prova de Conhecimentos Específicos;
  • idade mais elevada (considerando-se os anos, meses e dias a partir do nascimento).

Importante: os candidatos que não comparecerem em uma das provas ou obtiver nota igual ou inferior a 20 na prova de conhecimentos gerais, ou zero na prova de conhecimentos específicos ou zero na redação é desclassificado.

Calendário e informações

As datas das provas, dos resultados e a lista completa do que você pode ou não levar nos dias do vestibular

<span>–</span>

(mediaphotos/iStock)

Provas

Prova da primeira fase 15 de novembro de 2017 (quarta-feira) Início às 14h (abertura dos portões às 13h)
Provas da segunda fase 17 e 18 de dezembro de 2017 (domingo e segunda-feira) Início às 14h (abertura dos portões às 13h)

Resultados

2 de fevereiro de 2018 Divulgação da lista geral de classificação
2 a 5 de fevereiro de 2018 Confirmação de interesse por vaga
7 de fevereiro de 2018 Primeira chamada para matrícula
15 de fevereiro de 2018 Segunda chamada para matrícula
20 de fevereiro de 2018 Terceira chamada para matrícula
23 de fevereiro de 2018 Quarta chamada para matrícula
28 de fevereiro de 2018 Quinta chamada para matrícula

Materiais permitidos e proibidos nos dias de prova

Para a realização das provas o candidato pode levar:

  • lápis preto (proibido uso de lapiseira);
  • apontador;
  • borracha;
  • caneta esferográfica com tinta preta fabricada em material transparente;
  • régua transparente.
  • RG ou documento oficial equivalente, com foto e assinatura recentes (obrigatório);
  • roupas leves e comida são permitidas.

O que não é permitido:

  • nenhum aparelho eletrônico, como calculadora, telefone celular, relógio, reprodutor de áudio;
  • protetor auricular;
  • boné;
  • gorro;
  • chapéu;
  • óculos de sol.

O que estudar

Professores dão dicas para mandar bem na prova

<span>–</span>

(eclipse_images/iStock)

A revisão é parte muito importante da etapa final de estudos e deve ser o seu foco principal nas últimas semanas. É importante valorizar a objetividade, analisando quais conteúdos mais caem na prova e quais matérias e assuntos você deve priorizar na hora de revisitar o conteúdo.

Veja abaixo os temas mais frequentes em cada matéria cobrada na Unesp, de acordo com os professores consultados pelo GUIA.

LÍNGUA PORTUGUESA

  • Análise sintática do período simples e do período composto;
  • Classes de palavras;
  • Morfologia e formação de palavras;
  • Denotação e conotação de sentido;
  • Figuras de linguagem;
  • Mecanismos geradores de coesão textual;
  • Aspectos estruturais dos gêneros textuais;
  • Paráfrase e inferência textual;
  • Tipos de argumentos em textos dissertativos;
  • Interpretação de texto literário em verso e em prosa;
  • Leitura de textos não verbais.
Dica

– Estude análise do discurso, sobretudo a prática de isolar núcleos do texto e perceber seu campo semântico. Reveja figuração de linguagem. Uma boa prática para que fiquem consolidadas é observá-las nas canções populares.

– Também revise morfologia e sintaxe por fichas-resumo e listas de exercícios. Cuidado com conteúdos mais referenciais, como regência e concordância, que devem ser revistos, ao menos, uma semana antes da prova.

– A leitura de textos não verbais cobra mais atenção e capacidade de inferência, que deve ser exercitada. Isolar núcleos do enunciado é alternativa para fazer uma boa análise dos sintagmas em questão. Estude a prática de texto e estilo, não somente na prática redacional, mas também no seu reconhecimento estrutural.

Veja também

Resumo: Figuras de linguagem

Exemplos de figuras de linguagem

LITERATURA

  • Metrificação, versificação e rima;
  • Escolas literárias: Barroco, Arcadismo, Humanismo, Romantismo (José de Alencar e Álvares de Azevedo), Simbolismo, Parnasianismo e Modernismo (1ª geração);
  • Escritores e obras: Macunaíma, de Mário de Andrade; Os sertões, de Euclides da Cunha; Memórias de um sargento de milícias, de Manuel Antônio de Almeida; Sonetos, de Camões; Fernando Pessoa; A hora da estrela, de Clarice Lispector;
  • Vanguardas artísticas europeias.
Dica

– Compreenda as relações de causa e consequência entre história e literatura. Ao estudar cada estética (escola literária), procure averiguar o contexto histórico e as motivações do período, e não apenas decorar suas características.

– Estude os períodos de transição e os desdobramentos de uma estética sobre a outra. Por exemplo, o Modernismo faz muitas paródias sobre a Literatura Informativa, inclusive ironizando-a. Tais relações são importantes.

– Faça pontes entre períodos históricos, literários e comportamentos filosóficos, como no Iluminismo e no Arcadismo. Esteja atento aos grandes autores da MPB, como Chico Buarque, pois eles aparecem. Compreenda a potencialidade de multidisciplinaridade da Unesp, que cobra do aluno uma visão diacrônica (ampla) e outra sincrônica (restrita).

Veja também

Resumo: Estilos literários

Resumo: Macunaíma, de Mário de Andrade

LÍNGUA INGLESA

  • Interpretação de textos;
  • Linking words;
  • Anomalous verbs;
  • Vocabulário;
  • Referência pronominal;
  • Inferência.

Veja também

Simulado: If clauses

Conheça o GE Play Inglês, o curso do GUIA para quem quer tirar o certificado de proficiência no idioma

<span>–</span>

(PeopleImages/iStock)

HISTÓRIA

História geral

  • Idade Média: sociedade e cultura;
  • Revoluções burguesas: destaque para a Revolução Industrial;
  • Iluminismo: características do pensamento, oposição ao Absolutismo e princípios do pensamento liberal.
  • Regimes totalitários: nazismo, fascismo e franquismo;
  • Mundo grego: democracia e imperialismo ateniense;
  • Civilização romana: escravidão e administração;
  • Imperialismo e neocolonialismo: partilha da África e escravidão;
  • Antiguidade oriental: características gerais, Código de Hamurabi.

História do Brasil

  • Abolição da escravidão: processo, consequências, relação com a crise do Segundo Reinado;
  • Regime civil militar: violação dos direitos humanos, autoritarismo, estrutura econômica, redemocratização;
  • Primeira República: sistema político, economia, cultura (destaque para a Semana de Arte Moderna de 1922);
  • Sistema colonial: mercantilismo, exploração, sociedade e economia do açúcar, sociedade e economia mineradora;
  • Juscelino Kubitschek: economia e fundação de Brasília;
  • Sociedades indígenas: contatos entre europeus e indígenas no processo de colonização;
  • Segundo Reinado: golpe da maioridade, regência, revoltas (Farroupilha, etc.) e crise da monarquia.

Veja também

Resumo: Idade média

Resumo: Como foi o governo de Juscelino Kubitschek?

Resumo: Ditadura militar

GEOGRAFIA

  • Cartografia: análise interpretativa de dados geográficos (mapas, gráficos e tabelas);
  • Localização espacial, longitude (fusos horários) e latitude e coordenadas geográficas;
  • Relevo: estrutura e dinâmica do relevo e formações geomorfológicas;
  • Clima: dinâmica atmosférica e fenômenos climáticos;
  • Vegetação: distribuição geográfica das vegetações;
  • Água: distribuição, consumo, a dinâmica do ciclo hidrológico e seus conflitos;
  • Questão da terra: a posse sobre a terra, sistemas agropecuários, evolução, a concentração fundiária e fome;
  • O petróleo: consumo, distribuição e sua geopolítica, ontem e hoje;
  • Populações: dinâmica e transformações no espaço geográfico e no tempo histórico;
  • A indústria: processos de industrialização suas diferenciações; dinâmica comercial e blocos supranacionais;
  • Questões ambientais: interação homem-produção-natureza, o desenvolvimento sustentável e os protocolos ambientais;
  • Recursos minerais e energéticos no Brasil e mundo;
  • Urbanização e transportes no Brasil e mundo;
  • Regionalização do Brasil;
  • Geopolítica e mundo atual: as transformações do capitalismo e de seus antagonistas, a formação de blocos econômicos, os movimentos sociais, lutas reivindicatórias e a questão da identidade.
Dica

– A cartografia e os dados geográficos formam a base de análise e interpretação de todos os temas citados. É, portanto, a base da interpretação do conhecimento geográfico. Fique atento às categorias quantitativas e às qualitativas (que indicam as variedades).

– A geografia física é uma parte importante nas provas da Unesp. Há questões bastante específicas como as que pedem classificação, zona de ocorrência e interação com o meio social. Perceba as interações entre biosfera, atmosfera e litosfera. Fenômenos como El Niño, monções, sismos, vulcanismo e avanço da desertificação são pontos frequentes.

– Dentro da geografia humana, principal vilão da prova, saiba relacionar as questões da terra, urbanização e população, com destaque para os movimentos migratórios ou de êxodo.

– O petróleo constrói o cenário de disputas geopolíticas entre Oriente e Ocidente: o choque eterno entre dois mundos distintos. Você precisa saber as interações econômicas dentro das bandeiras políticas.

– Nos últimos anos, as questões ambientais foram destaque nas provas. Estude as principais convenções ambientais e as principais reivindicações. Atente-se à interferência de interesses econômicos dentro da aceitação ou refutação dos protocolos.

Veja também

Resumo: Cartografia

Resumo: Blocos econômicos

FILOSOFIA E SOCIOLOGIA

Nas provas não há uma separação clara entre os temas de filosofia e sociologia. As questões são estruturadas em dois modelos: questões conceituais e questões de análise de textos.

No primeiro modelo, é exigido do candidato um conhecimento sobre conceitos filosóficos e sociológicos. No segundo modelo, a partir de um recorte de reportagem de jornal ou revista, é exigido que o candidato realize uma relação entre visões filosóficas e sociológicas convergentes ou divergentes entre si.

Temas para as questões conceituais

  • Idealismo, racionalismo e empirismo (enfoque no pensamento de Platão, Descartes e dos empiristas ingleses, como Locke e Hume);
  • Liberalismo, individualismo, coletivismo e utilitarismo (enfoque nos autores Iluministas, nas caraterísticas do pensamento liberal e no ideal de direitos individuais);
  • Teorias socialistas: socialismo utópico, marxismo e anarquismo (enfoque nas diferenças entre essas escolas).

Temas para as questões de análise de texto

  • Racionalismo x dogmatismo / Mitologia x filosofia;
  • Evolucionismo x criacionismo;
  • Desdobramentos da modernidade: sociedade x natureza;
  • Objetividade x subjetividade;
  • Mercantilização da sociedade x Autonomia criativa da arte (indústria cultural);
  • Proibicionismo x liberdades individuais;
  • Críticas ao cientificismo radical.
Dica

– Domine a linguagem da prova. As questões de sociologia exigem domínio do conteúdo, mas uma parcela delas cobra essencialmente a interpretação das informações presentes no texto.

– Conheça os principais campos de exploração das Ciências Sociais: sociologia, ciência política e antropologia. Entenda conceitos sociológicos essenciais como cultura e diversidade, instituições sociais, divisão social do trabalho, política, Estado, poder. Quase todos os livros de sociologia para o ensino médio expõem de forma satisfatória esses conceitos.

Veja também

Estude com o ESPECIAL DE FILOSOFIA do GUIA 

<span>–</span>

(skynesher/iStock)

BIOLOGIA

  • Ecologia: dinâmica de populações, relações ecológicas, fluxo de energia, cadeias alimentares, teias alimentares e problemas ambientais;
  • Genética mendeliana: 1ª lei de Mendel e grupos sanguíneos;
  • Genética molecular: DNA, RNA, síntese proteica e mutações;
  • Citologia: organelas celulares e divisão celular;
  • Metabolismo energético: fotossíntese, respiração e fermentação;
  • Botânica: grupos vegetais, fisiologia vegetal e reprodução vegetal;
  • Fisiologia humana: imunologia (soro e vacina), sistema endócrino, sistema respiratório, sistema hormonal e sistema respiratório;
  • Fisiologia comparada: invertebrados e vertebrados;
  • Parasitologia: viroses, protozooses e bacterioses;
  • Evolução: darwinismo, neodarwinismo e cladogramas;
  • Reinos da biologia.
Dica

– Em ecologia, esquematize teias alimentares e classifique os organismos, de maneira a mostrar a relação entre eles e o impacto que a diminuição de uma população causaria em outras.

– Em relação aos problemas ambientais, compreenda as causas, consequências e soluções viáveis para cada caso.

– Para assuntos como citologia e fisiologia, estude com desenhos e imagens.

– Para imunologia, o uso de gráficos pode ajudar. Uma tabela consegue resumir bem as principais doenças com suas causas, sintomas e profilaxia.

– Em genética, apenas o estudo da teoria não é suficiente. A melhor estratégia é você resolver exercícios.

Veja também

Simulado: Genética

Indicação: Filmes e séries para quem gosta de biologia

Resumo: Evolução

QUÍMICA

  • Atomística: estrutura do átomo, modelos atômicos e suas aplicações – conceitos de radioatividade;
  • Ligações químicas e tabela periódica;
  • Forças intermoleculares e sua relação com propriedades físicas – pontos de fusão e ebulição das substâncias;
  • Química geral: classificação e separação de misturas;
  • Teoria atômico molecular: conceito de mol e suas aplicações;
  • Funções inorgânicas: ácidos, bases e sais – aplicações e reações;
  • Balanceamento e equacionamento de reações químicas;
  • Estequiometria: cálculos diretos e cálculos com reagente em excesso e pureza de reagente;
  • Soluções: classificação e concentração das soluções (em mol/L, g/L e % em massa de soluto);
  • Termoquímica: reações endotérmicas e exotérmicas – cálculos envolvendo a energia nas reações – gráficos e suas interpretações;
  • Cinética química: velocidade de reação – fatores que influem na velocidade das reações;
  • Equilíbrio químico: fatores que afetam o estado de equilíbrio – deslocamento de equilíbrio;
  • Equilíbrio iônico da água: pH e pOH;
  • Reconhecimento das principais funções orgânicas: hidrocarboneto, álcool, aldeído, fenol, éter, éster, cetona, acido carboxílico, amina, amidas e haletos – relação das biomoléculas (carboidratos, proteínas e lipídios) com as funções orgânicas;
  • Isomeria plana (cadeia, função e posição) e isomeria espacial (geométrica e óptica);
  • Reações orgânicas e polímeros.

Veja também

Resumo: Ligações químicas

Como cai na prova: Forças intermoleculares

FÍSICA

  • Velocidade média, aceleração e gráficos (vXt) e (aXt);
  • Leis de Newton (ênfase na 2ª lei: F = m.a);
  • Resultante centrípeta;
  • Trabalho e potência;
  • Conservação da energia mecânica;
  • Conservação da quantidade de movimento e colisões;
  • Equilíbrio estático de ponto e de corpo extenso;
  • Gravitação: leis de Kepler e lei de Newton;
  • Densidade, pressão e empuxo;
  • Escalas termométricas, dilatação térmica de sólidos, calor sensível e latente, gases perfeitos;
  • Reflexão e refração da luz: espelhos e lentes;
  • Conservação da carga elétrica, campo elétrico, trabalho e energia elétrica;
  • Corrente elétrica e 1ª lei de Ohm;
  • Potência em circuitos elétricos;
  • Campos magnéticos (ímãs) e força magnética;
  • Ondas, equação fundamental da ondulatória e interferência de ondas.

Veja também

Resumo: Dinâmica

Como cai na prova: Potência, trabalho e energia

MATEMÁTICA

  • Razões, proporções e porcentagem;
  • Análise combinatória: lembre-se de verificar se a ordem importa (arranjo ou permutação) ou não (combinação). Além disso, é sempre oportuno verificar se o cálculo dos casos complementares não é mais fácil do que pensar em uma contagem ampla;
  • Geometria plana: domine os teoremas básicos da geometria (Tales, Pitágoras, lei dos cossenos etc) e cálculos de áreas;
  • Exponenciais e logaritmos: domine as principais propriedades de exponenciais e logaritmos. Esteja atento às condições de existência e verifique sua interseção com as soluções encontradas;
  • Estatística: média aritmética apresenta-se com maior incidência, mas as outras medidas descritivas (moda, mediana, média ponderada) também podem ser cobradas;
  • Probabilidade: Além das dicas de análise combinatória, que são importantes para determinação do espaço amostral, domine a “regra do E e do OU” (E – multiplica, OU – soma) e lembre-se que a probabilidade de um evento nunca pode ser maior que 1.
  • Sequências e progressões (PA e PG): tenha familiaridade com as fórmulas de termo geral e soma destas progressões;
  • Geometria espacial: conheça as fórmulas de área e volumes dos principais sólidos (cubo, paralelepípedo, pirâmide, cilindro, cone e esfera). Cuidado com as mudanças de unidades e com possíveis planificações;
  • Função quadrática: saiba diferenciar os casos de uso das coordenadas do vértice (x ou y);
  • Equações e inequações: esteja atento às condições de existência e às mudanças de sinais durante as resoluções;
  • Polinômios: estude as aplicações práticas do teorema do resto e de identidades polinomiais;
  • Geometria analítica: conheça as propriedades do sistema de coordenadas cartesianas e saiba calcular a distância entre pontos;
  • Razões e funções trigonométricas;
  • Aritmética e sistemas de numeração;
  • Matrizes e determinantes: domine as operações básicas de matrizes. Revise as condições de nulidade de determinantes.
Dica

Mantenha a calma e preste muita atenção nos enunciados, ainda mais quando se trata de questões contextualizadas. Resolva provas anteriores, visando conhecer o estilo das questões de matemática da Unesp. Treine a identificação de questões mais difíceis, que podem ser deixadas para os momentos finais da prova.

Veja também

Resumo: Área de figuras planas

Resumo: Progressão aritmética e progressão geométrica

Simulado: Estatística

Redação

<span>–</span>

(Princigalli/iStock)

Uma das maiores preocupações dos estudantes que vão prestar o vestibular é a redação, porque ela representa uma parte importante da nota final de cada instituição.

A Unesp exige o tipo dissertativo de texto, o mais comum nos vestibulares. Isso significa que se trata de um texto argumentativo, que pede que o autor desenvolva uma ideia, um problema ou um questionamento com uma consideração final que deve estar de acordo com os argumentos expostos. É importante, também, que o estudante saiba colocar ideias favoráveis e contrárias à sua própria opinião.

Observar as provas anteriores é essencial para se familiarizar com o estilo das propostas da Unesp. Além disso, na reta final de estudos é importante escrever redações para os temas já apresentados, atentando-se aos critérios de correção específicos desse vestibular:

  • Abordagem da proposta e do tema: A banca avalia como você leu a proposta e como ela será articulada, no texto, em relação à coletânea de textos. Analisa, também, o seu ponto de vista e a reflexão feita por você ao longo do texto.
  • Desenvolvimento: Avalia como você construiu sua argumentação ao longo da introdução, do desenvolvimento e na conclusão, e se está de acordo com o tipo dissertativo-argumentativo.
  • Domínio da escrita: No último ponto, os corretores analisam se você utilizou a norma culta da língua, além dos elementos de coesão.
  • De acordo com a professora do Cursinho Maximize Ana Paula Dibbern, a prova da Unesp costuma abordar problemáticas sociais e atualidades na prova de redação.

    “É importante acompanhar os assuntos que estão sendo discutidos pela mídia, governo e sociedade brasileira. Para desenvolver a habilidade argumentativa, procure diferentes textos jornalísticos opinativos sobre determinado tema e compare-os, observando as divergências. Como as propostas costumam demandar capacidade reflexiva do vestibulando, também é interessante revisar os principais pensadores da filosofia e da sociologia”, falou.

    Se você está preocupado em zerar, fique tranquilo. A redação só é anulada em casos muito específicos: fuga do tema, letra ilegível, texto com menos de sete linhas ou identificação da autoria da redação em qualquer ponto da folha.

    Os seis últimos temas de redação da Unesp
    2017 – A riqueza de poucos beneficia a sociedade inteira?
    2016 – Publicação de imagens trágicas: banalização do sofrimento ou forma de sensibilização?
    2015 – O legado da escravidão e o preconceito contra negros no Brasil
    2014 – Corrupção no Congresso Nacional: reflexo da sociedade brasileira?
    2013 – Escrever: o trabalho e a inspiração
    2012 – A bajulação: virtude ou defeito?

    Estratégias de redação

    O primeiro passo é ler, reler e grifar, com muita calma, tanto as instruções como os textos-base da proposta de redação. Isso é importante para que você mantenha adequação ao tema, aspecto que representa o primeiro dos três critérios que compõem a avaliação.

    Como a prova exige uma dissertação argumentativa, o segundo passo é definir a sua tese e as ideias centrais de cada parágrafo argumentativo. Para isso, recorra às ideias dos textos motivadores e traga elementos de seu repertório. Anote tudo em tópicos. Defina a tese e escolha os argumentos mais fortes para defendê-la. Trace o esqueleto do seu texto, considerando o que será trabalhado na introdução (apresentação da tese), no desenvolvimento (argumentação) e na conclusão (reafirmação da tese). Essa estrutura e a pertinência dos argumentos constituem o segundo critério de avaliação.

    É chegada a hora do rascunho. Redija-o com clareza e procure amarrar muito bem as palavras de cada oração, as orações de cada parágrafo e os parágrafos entre si. Isso tornará o texto coeso, qualidade importante para o terceiro item da correção. Faça uma revisão do rascunho, agora observando com cuidado os aspectos gramaticais, também avaliados pelo terceiro critério. Por fim, transcreva a redação para a folha definitiva.

    Orientações para a redação

    Independentemente do vestibular que você for prestar e do texto que for fazer, há algumas regras básicas que devem ser consideradas em todas as redações. Confira:

    Tome cuidado com radicalismos. A banca quer que a defesa do ponto de vista ocorra com argumentos e posições claras, racionais e, principalmente, respeitosas. Por isso, evite usar qualquer expressão extremista, mesmo que sejam termos como “nunca”, “sempre”, “jamais”.

    Evite usar clichês, provérbios e citações sem critério. Você pode acabar errando o autor da expressão (o que pega muito mal), ou até mesmo usá-la fora de contexto, o que pode direcionar a sua redação para um lado que você não quer.

    – Rebuscar demais as palavras também não é uma boa ideia. Seu texto pode ficar sem fluência e clareza, dificultando a compreensão do corretor. Lembre-se: linguagem formal não é sinônimo de linguagem complicada.

    – O uso da linguagem oral também deve ser bem pensado. Expressões coloquiais e gírias não são adequadas a um texto que exige a norma culta da língua.

    Erros de gramática: deslizes graves e recorrentes de regras do português podem descontar muitos pontos da sua redação. Se houver dúvida na hora de usar algum termo, procure trocá-lo por outra palavra mais segura, para não arriscar.

    Provas anteriores

    Baixe os exames anteriores para se familiarizar com o tipo da prova e o estilo das questões

    <span>–</span>

    (Wavebreakmedia/iStock)

    Faltando pouco tempo para a prova da Unesp, é fundamental que você se familiarize com o tipo de exame. Os professores consultados pelo Guia do Estudante são unânimes em dizer que refazer provas anteriores é uma das melhores maneiras de estudar.

    Em geral, é recomendável refazer de duas a três provas mais recentes, podendo buscar até cinco caso tenha foco principal na Unesp e tempo disponível.

    “Nessa fase de preparação não é necessário fazer todas as provas com controle do tempo, pois um dos objetivos é se habituar à incidência de conteúdos, formato da prova e das questões, utilizando a prova como um guia de revisão dos conteúdos aprendidos no ensino médio e/ou revisados em um curso pré-vestibular”, explica o coordenador do Curso Poliedro, Vinicius de Carvalho Haidar.

    Haidar recomenda fazer pelo menos uma prova controlando o tempo, ou seja, resolvê-la dentro de 4 horas e 30 minutos para ajudar na estratégia da prova e ambientação com a questão do tempo total e do tempo médio por questão.

    Outro ponto importante no controle do tempo é evitar, ao máximo, travar em alguma questão muito difícil. “Começou a ler ou a resolver e não sabe continuar, marque a questão e siga para a próxima, assim evitando perder questões fáceis por não ter lido a prova inteira. Depois de ter lido tudo, volte nas questões marcadas e tente resolver”, sugere o coordenador.

    Para ajudar você nessa tarefa, o GUIA separou as provas (sem as marcações de resposta) e os gabaritos de algumas edições da Unesp:

    2017

    2016

    2015

    Consultoria

    Curso Poliedro

    Profs. César Ceneme (língua portuguesa), Cristina Luciana do Carmo (geografia), Fernando da Espiritu Santo (matemática), Luis Gustavo Megiolaro (biologia), Marcelo da Silva (inglês), Ricardo Calçada (química), Rodolfo Neves (história, sociologia e filosofia), Rosana Sol (Literatura), Venerando Santiago de Oliveira (física), Vinicius de Carvalho Haidar.

    Cursinho Maximize

    Profs. Alexandre Linares, Ana Paula Dibbern, Renata Harumi Muniz dos Santos, Rodrigo Varejão Pereira, Tiago Teixeira Abrantes.

    Colégio Oficina do Estudante

    Prof. Célio Tasinafo