Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Gabarito do Enem: entenda qual é a melhor forma de preenchê-lo

Você costuma passar para a folha de respostas aos poucos ou tudo de uma vez no final da prova?

Por Julia Di Spagna Atualizado em 23 dez 2020, 15h43 - Publicado em 25 dez 2020, 06h00

São muitos os desafios na hora da prova: lembrar o que estudou, lidar com o nervosismo, resolver as questões, controlar o tempo e passar tudo para o gabarito. E você já parou para pensar como esse último item é decisivo para o resultado? Preencher errado uma questão pode significar perder um ponto que garantiria a sua aprovação. Ou imagine pular uma linha e errar mais da metade das respostas? Por isso, o preenchimento do gabarito é uma etapa fundamental que deve ser feita com atenção. 

Preencher no final da prova

Segundo Carlos Massaiti Okubo, coordenador do Curso Poliedro São Paulo, o gabarito deve ser preenchido sempre no momento de maior tranquilidade, ou seja, quando grande parte das questões já foram resolvidas – na fase final da prova. Assim, as chances de errar por causa da ansiedade diminuem bastante. A recomendação do especialista é reservar os 30 minutos finais para se concentrar nessa etapa. 

“Nesse momento, o candidato também realizará a tarefa com maior agilidade, pois estabelecerá o foco em uma única atividade”, explica Alfredo Terra Neto, orientador educacional da Oficina do Estudante. 

Preencher aos poucos

Ambos os especialistas alertam que preencher o gabarito aos poucos não é uma boa estratégia. Você estará muito preocupado com as questões que ainda precisam ser resolvidas e a quantidade de ações simultâneas (ler e interpretar o enunciado, raciocinar, buscar a alternativa correta e passar para a folha de respostas) pode contribuir para assinalar respostas erradas ou trocadas e invalidá-las. 

“O aluno pode pular uma questão para fazer depois e acabar não fazendo o mesmo no gabarito, desencadeando uma série de erros. A única exceção é se o aluno tiver treinado de forma demasiada a confecção do gabarito aos poucos”, diz Alfredo.

E nada de deixar alternativas em branco. Nos últimos minutos antes do encerramento da prova, deve-se chutar uma alternativa para cada questão que tiver restado e transcrevê-las para o gabarito. Veja aqui algumas técnicas para chutar de uma maneira mais estratégica.

  • Estratégia mais indicada

    “Pela nossa experiência, deixar para o final é a estratégia mais assertiva e coerente, independentemente do nível da prova e da concorrência”, diz Carlos.

    Assim, é possível se concentrar na realização de uma única atividade, o que teoricamente aumenta a velocidade e diminui a possibilidade de erro. 

    Prepare-se para o Enem sem sair de casa. Assine o Curso Enem do GUIA DO ESTUDANTE e tenha acesso a centenas de videoaulas com professores do Poliedro, que é recordista em aprovações na Medicina da USP Pinheiros.

    Continua após a publicidade
    Publicidade