logo-ge

UFRJ adia provas específicas do vestibular por falta de verba

Em nota, a UFRJ afirmou que mantém diálogo com o MEC para resolver a questão orçamentária

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) anunciou nesta terça (24) o adiamento, por tempo indeterminado, das provas específicas do vestibular 2020. As provas seriam aplicadas entre os dias 6 e 27/10 para os cursos de Arquitetura e Urbanismo, Composição de Interior, Composição Paisagística, Comunicação Visual, Desenho Industrial, Dança e Música

O motivo, segundo a universidade, é a falta de recursos. Para aplicar as provas, que não têm custo para os candidatos, a universidade gasta cerca de R$ 240 mil, segundo a nota oficial. A UFRJ afirmou que não há previsão para que as provas sejam remarcadas e que os 1.673 candidatos dos exames específicos (além dos 178 que fariam o teste para o curso de LetrasLibras) devem acompanhar o andamento do vestibular no site do Acesso à Graduação.

Na nota, a universidade também afirmou que está em constante contato com o Ministério da Educação para viabilizar a continuidade de suas atividades, permanecendo em uma posição de liderança no Ensino Superior brasileiro. 

Veja também

Cortes

Em agosto, a reitora da UFRJ, Denise Pires de Carvalho, afirmou em entrevistas que a universidade teria que interromper algumas atividades ainda este ano, como atendimentos no Hospital Universitário e segurança dos campi. As medidas são resultado do corte de 30% do orçamento discricionário que todas as universidades federais sofreram este ano. 

As despesas discricionárias envolvem gastos com energia, água, limpeza, segurança e outras não obrigatórias (como pagamento de funcionários). Outras universidades como a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e a Universidade Federal do Acre (Ufac) também cortaram diversos serviços nos últimos meses.